Virgínia Leone Bicudo, psicanalista brasileira, é destaque no Google

O Google está promovendo uma homenagem em sua página inicial para a a socióloga e psicanalista brasileira Virgínia Leone Bicudo que completaria 112 em 21 de novembro.

“O Doodle de hoje celebra os 112 anos da psicanalista brasileira Virgínia Leone Bicudo. Como psicanalista pioneira nos estudos raciais no Brasil, ela garantiu que as perspectivas negras fossem ouvidas na academia”, diz a empresa.


Quem foi Virgínia Leone Bicudo

Bicudo nasceu neste dia em 1910 em São Paulo. Sua mãe era uma imigrante italiana e empregada doméstica, e seu pai, um homem negro, sonhava em ser médico. 

Depois que as faculdades de medicina negaram seu pedido com base na cor da pele, o pai dela decidiu investir na educação dos filhos.

Bicudo herdou as ambições dos pais e priorizou os estudos desde muito jovem. Em 1930, graduou-se pela Escola Caetano de Campos. 

Ela completou um curso de educação em saúde pública antes de conseguir um emprego como atendente psiquiátrica. Bicudo rapidamente ganhou uma promoção e trabalhou como supervisor na Clínica de Orientação Infantil em São Paulo.

Em 1936, Bicudo matriculou-se na Escola Livre de Sociologia e Política, primeira instituição de ensino superior do Brasil que ensinava ciências sociais. Ela era a única mulher no programa. Durante seu tempo nesta escola, ela aprendeu sobre Sigmund Freud.

Ela se formou dois anos depois com um diploma de bacharel. Bicudo acreditava que poderia usar a psicanálise para entender melhor as tensões raciais no Brasil, que tiveram um impacto significativo na vida dela e de seu pai.

Bicudo também fez pós-graduação na mesma escola. Sua dissertação foi o primeiro trabalho de pós-graduação no Brasil com foco nas relações raciais. 

Isso lhe rendeu um convite para participar de um projeto de pesquisa da UNESCO que analisa raça em diferentes países. Sua pesquisa concluiu que o Brasil não era uma democracia racial, o que contradizia as crenças de seu orientador e fez com que seu trabalho não fosse publicado.

Ao voltar para o Brasil, Bicudo foi tratada como uma impostora no meio acadêmico por não ser formada em medicina. Em 1959, ela se mudou para Londres e estudou com alguns dos psicanalistas mais proeminentes da época. Ela transmitiu palestras ao Brasil através da BBC para divulgar seu trabalho.

Após retornar ao Brasil em 1959, Bicudo fundou o Instituto de Psicanálise da Sociedade de Psicanálise de Brasília. Ela também apresentou “Nosso Mundo Mental”, um dos programas de rádio mais populares do Brasil, enquanto escrevia uma coluna no jornal com o mesmo título. 

Os esforços e a resiliência de Bicudo lançaram as bases para as futuras gerações de psicanalistas.

Teses de Virgínia Leone Bicudo

Você pode encontrar a tese de doutorado de Virgínia Leone Bicudo neste link da USP.

** Fonte: Google

You May Also Like