Blog

Google lança Relatório de Impacto Econômico no Brasil

0

De acordo com o Google, as ferramentas de Busca e publicidade do Google ajudaram a movimentar R$ 41 bilhões em atividade econômica no Brasil durante o ano de 2018.

O resultado é o que aponta a nova edição do Relatório de Impacto Econômico do Google, divulgada no início desta semana.

Criada usando a metodologia de Hal Varian, economista-chefe do Google, o Relatório oferece uma estimativa de impacto econômico baseada no retorno do investimento dos clientes ao anunciar na plataforma.

Além disso, também contabiliza a receita gerada pela plataforma AdSense, utilizada por publishers, e nos créditos oferecidos a organizações não-governamentais por meio do Google Ad Grants.

No total, mais de 60 mil empresas, publishers e organizações sem fins lucrativos brasileiras tem se beneficiado das ferramentas de monetização da empresa.

O Brasil, país em que o Google está presente desde 2005, figura entre os cinco maiores mercados para as oitos plataformas da empresa que contabilizam mais de um bilhão de usuários: Busca, Android, Chrome, YouTube, Maps, Play Store, Gmail e Drive.

Além disso, o Brasil é o único país no mundo a possuir cinco instalações diferentes do Google: um escritório de negócios (SP), um centro de engenharia (BH), um Google for Startups Campus (SP), um Partner Plex (SP) e um YouTube Space (RJ).

De acordo com o Google, mais de 800 pessoas são empregadas diretamente. Além disso, como parte dos esforços da empresa para promover jornalismo de qualidade na internet aberta, somente em 2017 o Google compartilhou R$ 10 milhões com veículos de comunicação parceiros no País.

O relatório completo, com histórias de empresas brasileiras que estão utilizando as ferramentas do Google para ter sucesso on-line, pode ser conferido abaixo:

Programador usa aprendizado de máquina para adicionar cor em fotos

0

Emil Wallner, um programador parisiense, construiu um programa simples que aprende a adicionar cores a fotos em preto e branco. O software utiliza o aprendizado de máquina do Google para entender e aprender sobre objetos do mundo real.

Emil usou o TensorFlow, a plataforma de aprendizado de máquina de código aberto do Google, para criar o algoritmo mais simples que ele pudesse, forçando-o a simplicá-lo até que tivesse menos de 100 linhas de código.

O algoritmo é programado para estudar milhões de fotos coloridas e usá-las para aprender qual a cor os objetivos do mundo devem ter. Em seguida, ele procura por padrões semelhantes em uma foto em preto e branco. Com o tempo, ele aprende que um objeto em preto e branco, em forma de peixe dourado, por exemplo, deve ser dourado.

Quanto mais diferente o objeto, mais fácil a tarefa. Por exemplo, as bananas são fáceis porque são quase sempre amarelas e têm um formato único. Luas e planetas podem ser mais confusos devido às semelhanças que possuem uns com os outros, assim como o formato e ambientes escuros. Nesses casos, assim como uma criança aprende sobre o mundo pela primeira vez, o algoritmo precisa de um pouco mais de informação e treinamento.

O algoritmo de Emil dá vida ao processo de aprendizado de máquina que o torna divertido e visual. Isso nos ajuda a entender o que as máquinas acham fácil, o que elas acham complicado e como ajustes no código ou no conjunto de dados afetam os resultados.

Milhares de programadores e artistas já baixaram o código de Emil e estão usando para entender os fundamentos do aprendizado de máquina, sem sentir como se estivessem em uma sala de aula.

“Até os erros são lindos, por isso esse é um algoritmo que gera satisfação enquanto você aprende”, diz Emil.

YouTube Music revela os hits do Carnaval 2019

0

O YouTube Music revelou os hits do Carnaval 2019 baseado em um ranking que considerou o número de reproduções e visualizações de músicas no YouTube, tanto em vídeos oficiais quanto em vídeos de usuários, durante o período 01 a 10 de março.

Este é o top 5 dos hits mais tocados durante a folia:

Top 5 mais ouvidas

1 – “Bola Rebola”, Tropkillaz, J Balvin, Anitta

2 – “Jenifer”, Gabriel Diniz

3 – “Hoje Eu Vou Parar Na Gaiola”, Mc Livinho feat. Renan da Penha

4 – “Agora é Tudo Meu”, Dennis DJ, MC Kevinho

5 – “Vamos pra Gaiola”, MC Kevin o Chris, FP do Trem Bala

Além disso, o YouTube Music também divulgou o top 10 com as músicas que geraram maior interesse durante o período específico do Carnaval, se comparadas com o mês de fevereiro.

As 10 com maior crescimento e interesse no período:

1 – “Malemolência”, Dynho Alves

2 – “Piscininha Amor”, Whadi Gama

3 – “Abaixa Que É Tiro (Ao Vivo)”, Parangolé

4 – “Só Depois do Carnaval”, Lexa

5 – “Chorar pra Quê”, Mc Charada

6 – “A Entrega”, MC Alê & MC Rodolfinho

7 – “Sapequinha”, Lexa, MC Lan

8 – “Buzina”, Pabllo Vittar

9 – “Shallow”, Lady Gaga, Bradley Cooper

10 – “Lençol Dobrado”, João Gustavo & Murilo, Análaga

Curtiu? O YouTube Music preparou uma playlist que une todas as músicas que estiveram em alta no Carnaval.

Google estreia Doodle com AI para celebrar Johann Sebastian Bach

0

O Google irá celebrar o aniversário do compositor e músico alemão Johann Sebastian Bach com o primeiro Doodle desenvolvido com Inteligência Artificial.

Desenvolvido em parceria com as equipes do Google Magenta e do Google PAIR, o Doodle oferece uma experiência interativa que incentiva os usuários a compor uma melodia à sua escolha.

Basta pressionar o botão para o Doodle usar o aprendizado de máquina harmonizar uma melodia personalizada no estilo musical de Bach (um estilo híbrido de rock dos anos 80) e visualizar o easter egg especial no Doodle.

O primeiro passo no desenvolvimento, segundo o Google, foi a criação de um modelo de aprendizado de máquina para potencializá-lo.

“O modelo usado no Doodle desta quinta-feira foi desenvolvido por Anna Huang, responsável pela criação do Coconet: um modelo versátil que pode ser usado em uma ampla gama de tarefas musicais – como harmonizar melodias ou compor a partir do zero”, explicou a empresa.

“O Coconet foi treinado em 306 das harmonizações de coral de Bach. Seus corais sempre têm quatro vozes, cada uma carregando sua própria linha melódica, enquanto criam uma rica progressão harmônica quando tocadas juntas. Essa estrutura concisa os tornou bons dados para o treinamento de um modelo de aprendizado de máquina”.

A equipe do Google PAIR, então, usou o TensorFlow.js para permitir que o aprendizado de máquina acontecesse inteiramente dentro do navegador da Web, sem a utilização de – nas palavras do Google – de “toneladas de servidores”, como faz tradicionalmente o aprendizado de máquina.

“Para casos em que o computador ou dispositivo de alguém pode não ser rápido o suficiente para executar o Doodle usando o TensorFlow.js, o Doodle também é fornecido com as novas unidades de processamento Tensor do Google, uma forma de lidar rapidamente com tarefas de aprendizado de máquina em data centers”.

Esses componentes, combinados com arte e engenharia da equipe do Doodle, ajudaram a criar o que você vai ver hoje.

Johann Sebastian Bach

Johann Sebastian Bach nasceu na pequena cidade alemã de Eisenach neste dia em 1685. Conhecido como um organista excepcional durante sua vida, Bach também entendeu como construir e reparar os complexos mecanismos internos de órgãos de tubos (que são representados no Doodle interativo de hoje).

Bach era um homem humilde que atribuía seu sucesso à inspiração divina e a uma rígida ética de trabalho. Ele viveu para ver apenas uma parte de seu trabalho publicado, mas mais de 1.000 que restaram, em forma de manuscrito, agora são publicados e executados em todo o mundo.

A reputação de Bach subiu depois do “ressurgimento de Bach” do século XIX, quando o mundo da música ganhou nova apreciação por seu uso inovador da harmonia em quatro partes, modulações da chave e domínio do contraponto e da fuga.

No entanto, os músicos não foram os únicos afetados pela música de Bach. Depois que a sonda espacial Voyager 2 foi lançada, o cientista e autor Lewis Thomas sugeriu que transmitisse a música de Bach para os confins mais distantes do sistema solar. “Eu votaria em Bach, todo Bach”, escreveu ele. “Nós estaríamos nos gabando, é claro.”

A nova moda é trocar mensagens pelo Google Docs

2

Antes da web, os adolescentes costumavam trocar mensagens por meio de bilhetes dentro da sala de aula. Amassados ou dobrados, as mensagens eram, então, encaminhadas com a ajuda dos amigos.

Agora, anos mais tarde e com a internet disponível em todos os lugares, o Google Docs tem sido usado como plataforma para bate-papo e troca de bilhetes entre garotos e garotas.

A preferência pelo uso do editor de documentos do Google, frente aos tradicionais comunicadores instantâneos, se deve ao bloqueio dos aplicativos em redes internas.

Além disso, a popularização dos Chromebooks como ferramenta de ensino impulsiona o uso do Google Docs – serviço que conta com a preferência dos professores em exercícios colaborativos.

Bate-papo no Google Docs

Com o bloqueio dos comunicadores instantâneos e o uso em larga escala dos Google Docs, muitos encontraram no editor de documentos uma forma de conversar e trocar mensagens sem que o professor/escola percebam.

“Eles aproveitam o fato de que o Google permite que os usuários realcem determinadas frases ou palavras e façam comentários sobre elas por meio de uma caixa pop-up à direita”, diz o The Atlantic.

“Elas clonam o documento do Google compartilhado pelo professor e, em seguida, conversam nos comentários , então parece ao espectador casual que elas estão apenas fazendo anotações sobre o plano de aula”. 

Caso um professor se aproxime para dar uma olhada, basta clicar no botão “Resolver” para que toda a troca de mensagem desapareça.

Google Stadia é a plataforma de games do Google

0

O Google anunciou, durante a Game Developers Conference, o Stadia, uma nova plataforma de vídeo game que irá funcionar totalmente na nuvem computacional da empresa.

Os usuários poderão ter acesso instantâneo a jogos em qualquer tipo de tela, seja uma TV, laptop, desktop, tablet ou smartphone.

A novidade estará disponível em países selecionados como EUA, Canadá, Reino Unido e parte da Europa ainda neste ano. Não há, neste momento, qualquer previsão de chegada ao Brasil.

“O Stadia usa a rede global de data centers do Google e libera os jogadores das limitações dos consoles e PCs tradicionais com sua plataforma de última geração”, diz o buscador.

“Além disso, a plataforma também permite que os desenvolvedores tenham acesso a recursos quase ilimitados para criar os jogos que sempre sonharam”.

Os data centers espalhados por diversas regiões do mundo irão tornar o Stadia possível, além de permitir a integração com outros serviços do Google.

“Se você quer assistir a um de seus criadores favoritos jogando Assassin’s Creed Odyssey, basta clicar no botão ‘jogar agora’ e, logo depois, você estará correndo pela Grécia antiga na sua própria partida – sem necessidade de downloads, atualizações, patches e instalações.” diz Phil Harrison, Vice Presidente e General Manager do Google Stadia.

Além disso, o Stadia também contará com um controle dedicado. Ele possui conexão direta com nossos data centers via wi-fi para oferecer a melhor performance de jogo possível.

Ele inclui um botão para capturar, salvar e compartilhar o gameplay em até 4k de resolução e também vem equipado com um botão do Google Assistente e microfone embutido.

Vantagens do Google Stadia comparado com os consoles:

  • O Stadia fornece acesso imediato a uma poderosa plataforma de jogos.
  • Desfrutar de jogos instantaneamente em qualquer tela, seja desktop, laptop, TV, tablet ou telefone.
  • Sem downloads, sem atualizações, sem patches e sem instalações. Stadia oferece acesso instantâneo para jogar.
  • Integração profunda do Google, incluindo o Click to Play, o Crowd Play, até 4k de resolução do YouTube.

Será este o fim dos consoles?

YouTube nega a existência de vídeos com Desafio Momo

0

O YouTube anunciou não ter encontrado nenhuma evidência do Desafio Momo em sua versão com conteúdo voltado para crianças.

“Sobre o desafio Momo: não encontramos nenhum vídeo que promova um desafio Momo no #YouTubeKids”, disse a empresa.

“Qualquer conteúdo que promova atos nocivos ou perigos é proibido no YouTube. Se encontrar algo parecido, denuncie”.

O que é o Desafio Momo?

Desafio Momo é uma farsa virtual sobre um desafio inexistente nas mídias sociais que foi espalhado no Facebook e WhatsApp.

A brincadeira teria como foco crianças e adolescentes e estes seriam atraídos por um usuário chamado Momo para realizar uma série de tarefas perigosas, incluindo ataques violentos, automutilação e suicídio.

Luccas Neto

É falsa a informação que o YouTuber Luccas Neto (irmão do Felipe Neto) teria compartilhado um vídeo com o Desafio Momo.

O conteúdo, publicado em 2018, fazia referência uma escultura criada pela empresa de efeitos especiais Link Factory e exibida em uma galeria de Tóquio.

Em seu vídeo, Luccas educava seu público a não ter medo do escuro. Nenhum tipo de desafio foi mencionado no material.

Google Tune esconde os comentários tóxicos da internet

1

O Google lançou uma extensão “experimental” do Chrome chamada Tune que permite ocultar comentários tóxicos em sites como YouTube, Twitter, Facebook e Reddit.

Tune faz parte de um projeto de pesquisa de inteligência artificial conversacional feito pelo Google Jigsaw – uma unidade da Alphabet que visa usar a tecnologia para tornar o mundo mais seguro.

A extensão permite que você defina o volume de comentários tóxicos que você vê em diferentes sites até o “modo zen” para desaparecer completamente com os comentários.

O inverso também é permitido: você pode aumentar e ver todos eles. Mas não recomendamos que você faça isso…

O Google informou que nenhum dado pessoal é armazenado a partir da extensão.

Nuvem do Google quebra recorde do Guinness mundial para o Dia do Pi

0

A pesquisadora do Google, de Seattle, Emma Haruka Iwao, calculou o Pi para 31,4 trilhões de dígitos, estabelecendo um novo recorde mundial no Google Cloud. O projeto levou apenas quatro meses para ser realizado.

Calcular Pi no Google Cloud sem falhas é um marco significativo e esta é a primeira vez que o registro foi quebrado usando a computação em nuvem.

O anúncio da conclusão bem-sucedida do cálculo de Pi para 31,4 trilhões (31.415.926.535.897 para ser exato ou Pi * 10 ^ 13) é feito na comemoração do Dia do Pi, 14 de março. São 9 trilhões de dígitos a mais que o recorde anterior de Peter Trueb (novembro de 2016).

A solução utilizada para esta conquista foi o Google Compute Engine. Emma executou o y-cruncher (que é considerado um programa de referência em Pi) em máquinas virtuais gerenciadas no Google Cloud Platform (GCP).

O programa foi executado continuamente por quatro meses com alta confiabilidade – sem desligamentos inesperados ou interrupções na infraestrutura.

Historicamente, um dos maiores desafios do cálculo do Pi é a necessidade de muito armazenamento – 170 terabytes para um cálculo como esse. Com a nuvem, foi possível executar um número ilimitado de máquinas virtuais no GCP. O programa leu e escreveu 9 e 8 petabytes de dados, respectivamente, durante os 4 meses.

“Eu tive uma conexão com Pi durante toda a minha vida. Primeiro quis calcular Pi quando tinha 12 anos, muito antes de saber muito sobre matemática. Quando ganhei acesso à internet, em 1995, consegui baixar um programa que me ajudou a calcular um milhão de dígitos”, conta Emma.

Segundo a engenheira do Google, acesso aos poderosos recursos de computação ofereceu tudo o que ela precisava para finalmente enfrentar o desafio e executar o programa de computador necessário para quebrar o recorde.

Em sua forma mais básica, o Pi é usado para encontrar a área ou circunferência de qualquer objeto redondo. Mas Pi não é só para cientistas e matemáticos – se você desenhar um círculo no seu computador, se você quiser criar renderizações em 3D, toda vez que você olhar para o mostrador do seu relógio, o Pi estará lá. Além disso, o Pi é usado como referência para as máquinas mais rápidas e confiáveis do mundo.

A corrida para calcular o Pi acontece desde 2000 aC, durante a era dos antigos babilônios. Antes dos computadores, o dígito mais longo era 1K – calculado à mão.

A disputa acelerou desde 1949, quando o primeiro computador foi usado para calcular Pi, resultando em 2K dígitos. Na comunidade matemática, o cálculo dos dígitos do Pi evoluiu para uma competição significativa – desde 2009, os engenheiros usaram computadores para calcular trilhões de dígitos.

Agora, com o anúncio, Emma é a primeira a quebrar o recorde mundial de cálculo de Pi usando a nuvem.

Twitter ganha recurso parecido com stories

0

O Twitter lançou uma atualização de seu app que oferece rápido acesso a câmera e torna mais fácil compartilhar, em tempo real, imagens sobre o que está acontecendo.

Com a novidade, ao abrir o app do Twitter, basta deslizar a tela para esquerda para ter acesso à câmera. A novidade dá mais rapidez a publicação de fotos e vídeos ou iniciar uma transmissão ao vivo.

Ao acessar a câmera, o usuário pode dar um toque para tirar uma foto ou segurar o botão do obturador para gravar um vídeo. É possível ainda alternar para o modo ao vivo, a partir da parte inferior, e acrescentar hashtags e a localização.

“O Twitter é o melhor lugar para ver e falar sobre o que está acontecendo, e temos trabalhado para desenvolver recursos que tornem isso ainda mais fácil. Com essa atualização, os usuários poderão capturar momentos com mais rapidez, atingindo uma audiência interessada em acompanhar e conversar sobre aquilo em tempo real”, afirma Keith Coleman, vice-presidente de produtos do Twitter.

Tweets publicados com fotos e vídeos da câmera atualizada aparecerão na página inicial com um novo visual: as imagens ocuparão um espaço maior do que antes, e o texto terá uma cor de plano de fundo que pode ser escolhida pelo usuário.

“Com base na geolocalização do usuário, hashtags relevantes – relacionadas ao local ou a um evento que esteja acontecendo – serão sugeridas para serem incluídas ao Tweet enquanto a câmera estiver aberta”, diz o Twitter.

Esta funcionalidade específica, contudo, estará inicialmente limitada a alguns eventos esportivos da América do Norte, mas a empresa promete expandir ao resto do mundo.

A atualização está disponível globalmente para as versões iOS e Android do aplicativo do Twitter.

Destaques