Blog Página 4

Google mantém o FeedBurner no passado

1

FeedBurner, serviço de gerenciamento de feeds foi adquirido pelo Google em junho de 2007 em um acordo avaliado em $100 milhões de dólares, encontra-se totalmente perdido no tempo, assim como a tecnologia RSS.

Sem novidades há vários (muitos!) anos, o FeedBurner é um produto abandonado e que recebe pouquissimos recursos incrementais – sendo o mais recente em 2017 quando a plataforma foi atualizada para suportar o protocolo de segurança https.

Outro momento único em que o produto é lembrado pelo buscador ocorre quando os sistemas falham e dezenas de reclamações surgem em fóruns pela internet. Um porta-voz, então, aparece para avisar que uma correção/manutenção será feita no serviço visando o restabelecimento.

RSS/Feed

A falta de atualizações e melhorias, contudo, não quer dizer que o RSS/Feed esteja defasado.

Apesar de antiga, a tecnologia ainda é o principal encanamento que automatiza e torna possível que veículos de comunicação publiquem notícias no Twitter, por exemplo.

O fim do Google Reader (muitas #sdds!) foi um dos pontos críticos para o RSS/Feed, o que causou uma ruptura na adoção e no comportamento de consumo de conteúdo digital.

Qual o futuro do FeedBurner?

Não há sinais de que o Google tenha planos de atualizar o FeedBurner ou dar nova vida ao produto.

Ao mesmo tempo, a empresa enfrenta outro problema: exterminá-lo seria um problemão para milhares de publicações ao redor do globo.

É possível que o FeedBurner seja mantido no ar em consideração a todos os veículos de comunicação e blogs que ainda encontram no serviço uma utilidade aos seus visitantes.

Para o Google, o custo de mantê-lo é irrisório. O serviço indexa e distribui um arquivo simples no formato XML com apenas códigos, sem nenhum tipo de mídia ou elementos pesados.

O FeedBurner certamente será encerrado, mas, no curto prazo, isto não deve acontecer.

Ame Fast Forward oferece cursos gratuitos de Android e iOS

0

A Ame, conta digital do grupo Americanas, está lançando o projeto Ame Fast Forward, que oferece cursos gratuitos com o objetivo de promover a educação como ferramenta de inclusão social e impulsionar a diversidade.

As inscrições para o processo seletivo já estão abertas. O primeiro curso será “Arquitetura e Desenvolvimento iOS – nível intermediário”, com carga horária de 32 horas.

As aulas acontecerão nos sábados de junho (dias 8, 15, 22 e 29), no escritório da Ame na Vila Olímpia, zona sul de São Paulo.

Já nos sábados de julho acontecerá o curso “Arquitetura e Desenvolvimento Android – nível intermediário”.

Acesse o site da Ama Fast Forward e inscreva-se para não perder essa grande oportunidade!

Você sabe qual a origem do Kubernetes do Google Cloud?

0

Kubernetes, o sistema de código aberto para o gerenciamento de contêineres (ou workloads) do Google Cloud, foi lançado em 2014 para lidar com o crescimento da demanda por contêineres na tecnologia em nuvem.

Cinco anos após o seu lançamento, hoje a tecnologia do Kubernetes é padrão da indústria. No Brasil, o Kubernetes é usado para o desenvolvimento de diversas empresas, tais como Hotel Urbano e Magazine Luiza.

História do Kubernetes

Criado em 2003, o Borg, uma tecnologia interna do Google, foi antecessor do Kubernetes e serviu como base para o seu desenvolvimento.

Sua principal função era a de superar o desafio de fornecer e gerenciar serviços e aplicativos com abrangência de centenas de milhões de  contêineres de forma rápida e disponibilizá-los para o uso em ambientes de produção.

Em novembro de 2014, o Google lançou o ambiente gerenciado de implantação de aplicativos em contêineres, que os tornava prontos para produção.

A solução teve o seu papel na finalização do ciclo de inovação em tecnologia de contêineres e é, atualmente, o padrão da indústria por conta de seus benefícios na produção de diversas grandes empresas.

Após a sua implementação interna e os resultados positivos, o Google anunciou, ainda em 2014, que todos os seus serviços, tais como Busca, Gmail, Google Docs, YouTube etc, são executados na tecnologia de contêineres.

A empresa gera, ainda, mais de 4 bilhões de implantações de contêineres por semana por meio do Borg, utilizado apenas internamente.

Além de fazer referência a um navio cargueiro, que utiliza contêineres no armazenamento de mercadorias, o logo do Kubernetes faz menção ao seu próprio nome quando ele ainda era um projeto em desenvolvimento.

“Project Seven of Nine” (ou Projeto Sete de Nove, em português) está representado nas sete guias presentes no desenho. Além disso, Kubernetes vem do termo grego “Kuvernetes”, que significa “timoneiro”, a pessoa responsável por conduzir o navio.

Star Trek

“Project Seven of Nine” faz uma homenagem a personagem “Sete de Nove” da série de ficção científica “Star Trek: Voyager”. Ainda, Borg – nome do projeto que serviu como base do Kubernetes – também faz parte do universo da série e lá é conhecido como uma espécie de organismos cibernéticos.

Google Policy Fellowship vai selecionar estudantes brasileiros

0

O Google Policy Fellowship é uma iniciativa criada para conectar estudantes de diversas áreas e níveis a organizações acadêmicas e da sociedade civil, que trabalhem com políticas públicas e internet.

Agora, o programa vai abrir uma nova rodada de convocações para alunos latino-americanos. Se você é estudante e tem interesse em se inscrever, envie seu pedido até 6 de junho de 2019.

Os participantes selecionados terão a oportunidade de ajudar sete organizações importantes da região por um período máximo de 12 semanas, e poderão tratar de temas como economia e transformação digital, liberdade de expressão e propriedade intelectual.

No Brasil, a organização que apoia o Google Policy Fellowship é o ITS:

ITS – Instituto de Tecnologia e Sociedade (Brasil): Sediado no Rio, o ITS faz pesquisas em parceria com outras entidades para analisar os aspectos jurídicos, sociais, econômicos e culturais da tecnologia.

O Instituto defende a implantação de políticas públicas e práticas privadas de proteção à privacidade, liberdade de expressão e acesso ao conhecimento.

Pesquisa do Google revela o nível de maturidade digital dos brasileiros conectados

0

Uma pesquisa colaborativa realizada pelo Google e pela McKinsey buscou mapear as habilidades do brasileiro no uso de ferramentas e tecnologias digitais e mostrar o impacto disso no desenvolvimento socioeconômico no Brasil.

Realizado em novembro de 2018, o estudo baseou-se em entrevistas feitas com 2477 pessoas, de 15 a 60 anos e das classes A, B, C e D, em 28 cidades do país.

Para compor o índice, foram investigadas as habilidades digitais em cinco dimensões: acesso, uso, segurança, cultura digital e criação. O índice obedece uma escala de 0 a 5, indo do nível básico ao avançado.

Veja abaixo alguns dos resultados em cada uma das habilidades investigadas pelo estudo:

Acesso: 3,5

Os brasileiros mostraram conhecimento em ligar e desligar aparelhos e na navegação na internet, mas ainda não dominam o uso de comando de voz, assim como não sabem configurar softwares.

Uso: 3,4

Há o domínio no uso de aplicativos de mensagem e buscadores, entretanto ainda é necessário evoluir em pontos como armazenamento de dados e transações on-line.

Segurança: 3,4

Cuidados com dados e informações pessoais e saber identificar phishing foram apontados como pontos positivos, porém ainda não há sucesso ao identificar sites seguros e ameaças como malware.

Cultura digital: 3,0

Há vocação para aprender experimentando o novo, além de acompanhar reviews de lançamentos. Como pontos negativos, cultura de aprendizagem por tentativa e erro e a tomada de risco no uso de novas tecnologias.

Criação: 1,8

O brasileiro sabe criar e desenvolver apresentações, além de editar vídeos, mas ainda não tem entendimento e não sabe aplicar conceitos de machine learning, assim como em sistemas de dados.

Os usuários do Brasil iniciam sua jornada digital aprendendo as competências relacionados a acesso. E somente depois de desenvolver habilidades relacionadas à segurança, ao uso e a uma cultura específica é que passam a criar conteúdo nas plataformas.

Uma das principais conclusões dessa pesquisa colaborativa entre Google e Mckinsey é a de que a digitalização tem repercussão direta sobre a renda e as oportunidades de desenvolvimento social do Brasil.

Quanto maior é o índice de competências digitais, maior é a renda do brasileiro. Essa correlação positiva é clara e ocorre mesmo controlada por educação, idade, gênero e condição de trabalho.

G Suite ganha pagamento em Reais

0

O G Suite, a suíte de ferramentas colaborativas que inclui o Gmail, Documentos, Planilhas, Apresentações, Drive e Hangouts, agora terá a opção de ser pago em Reais.

A novidade, anunciada pelo Google Cloud, traz a opção de pagamento tanto para cartões de crédito locais e internacionais, como boleto bancário.

Segundo o Google, objetivo da mudança visa facilitar as operações dos novos e atuais clientes, evitando que eles tenham de pagar a alíquota de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Ou, ainda, fiquem à mercê da taxa de variação cambial, uma vez que as transações em moeda local já mostram o preço final a ser pago pelo consumidor.

“A mudança é opcional, e os clientes atuais que quiserem migrar para o pagamento em Reais terão cancelados os planos anuais pagos em dólares americanos, bem como a cobrança de débitos futuros. Se o cliente migrar para o pagamento em Real não terá a opção de voltar a pagar em dólar”, alertou a empresa.

O pagamento em Reais pode ser aplicável nas versões Basic, Business,  Enterprise e, também, para G Suite Lite.

Google celebra 100 anos da educadora Dorina Nowill

0

O Google está exibindo um doodle especial em sua página inicial em celebração aos 100 anos da educadora e filantropa Dorina Nowill.

“O Doodle de hoje celebra o centésimo aniversário da educadora e defensora brasileira Dorina de Gouvêa Nowill, cujos esforços incansáveis ​​tornaram o Brasil mais receptivo às necessidades dos deficientes visuais”, diz o Google.

História de Dorina Nowill

Uma doença infeliz deixou Nowill cega aos 17 anos. Como a primeira estudante cega a se matricular em uma escola regular em São Paulo, ela achou difícil encontrar os livros de que precisava.

Como resultado, ela começou a defender o acesso de todos os alunos à cultura e à informação. Tornando-se professora em sua alma mater, Nowill implementou treinamento para a educação de cegos e ganhou uma bolsa de estudos para aprofundar seus estudos na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos.

Em 1946, ela e alguns amigos fundaram a Fundação para o Livro dos Cegos no Brasil com a primeira grande editora de Braille do país, recrutando voluntários para transcrever várias publicações.

Depois de trabalhar para fundar o Departamento de Educação Especial para Cegos, Nowill ajudou a aprovar uma lei garantindo o direito das pessoas cegas a uma educação.

Tais realizações levaram a novas oportunidades em maior escala. Eleita presidente do Conselho Mundial dos Cegos em 1979, ela passou a falar na Assembléia Geral das Nações Unidas e fez campanha pela criação da União Latino-Americana dos Cegos.

Depois de ganhar vários prêmios filantrópicos, o legado de Nowill continua no trabalho de sua organização sem fins lucrativos, a Fundação Dorina Nowill, que imprime edições em braille para o Ministério da Educação do Brasil, além de menus, cartões de segurança de companhias aéreas.

A fundação também distribui livros em áudio e digitalmente acessíveis para escolas e bibliotecas em todo o Brasil, garantindo a sociedade justa e inclusiva que Dorina Nowill previu.

5 funções do Google Assistente no fone de ouvido da Sony

0

Disponível em português, o assistente virtual do Google pode ser ativado partir dos fones de ouvido da linha Noise Cancelling, da Sony (modelos WF-1000X, WH-CH700N, WH-1000XM2 e WH-1000XM3).

Basta falar “Ok, Google” para ativar a ferramenta e, em seguida, dizer a ação que deseja executar. Mas o que você pode perguntar ao Google Assistente usando o fone?

Opções de entretenimento

Ouça seus artistas favoritos de uma forma mais rápida, no streaming de música preferido, como por exemplo “Toque Beyoncé no Spotify”, ou até mesmo dizer o nome da música ou álbum. Também é possível perguntar qual é a música que está tocando.

Manter contato

Se estiver com as mãos ocupadas e não conseguir pegar o celular, basta pressionar o botão Noise Cancelling e dizer para o assistente “ligar para mãe”, por exemplo, que a chamada será iniciada, ou enviar uma mensagem de texto dizendo “chego em 5 minutos”.

Dúvidas e respostas

Se você é uma pessoa curiosa e busca sempre respostas para as coisas, esta função é perfeita, basta perguntar o que deseja que o assistente procurará a resposta, como por exemplo “como fazer figurinhas no WhatsApp?” ou “vou precisar de um guarda-chuva hoje?”.

Gerenciar seu dia

Ficou mais fácil marcar um compromisso na agenda, é só dizer “marcar reunião com João na quarta às 10 horas”. Caso queira saber quando será o próximo compromisso, é só perguntar, também. Além de adicionar lembretes, como “lembrar de comprar café quinta-feira”.

Últimas notícias

Para saber das últimas notícias que estão rolando no mundo, é só dizer “me conta as últimas notícias” para que o Google Assistente abra as matérias mais relevantes.

Para ver mais ideias, pergunte ao Assistente: “O que você pode fazer?”.

Como configurar o Assistente no fone de ouvido Sony?

1 – Instale o aplicativo Sony | Headphones Connect no Google Play ou App Store;

2 – Selecione o botão “Alterar função de NC/Ambiente” no menu;

3 – Escolha o seu assistente favorito: toque na caixa próxima do nome “Google Assistente” ou “Amazon Alexa” para iniciar a função de sua preferência;

4 – Pressione e fale: para usar o Google Assistente, pressione e segure o botão Cancelamento de Ruído enquanto fala. Para usar o Amazon Alexa, não é preciso manter pressionado.

O que é o RCS? E como anda a adoção no Brasil?

1

RCS ou o Rich Communication Services é um padrão aberto descrito como a “nova geração do SMS”, que oferece mensagens com recursos avançados como áudio e vídeo, interatividade e outros recursos para as mensagens de texto.

Com as mensagens RCS, os usuários contam com acesso a todos os recursos de uma experiência de mensagem moderna, como a capacidade de criar bate-papos em grupo, ver quando alguém está digitando uma resposta, ler recibos, compartilhar fotos e vídeos de alta resolução e muito mais.

Mensagem RCS também aprimora a experiência de mensagens comerciais atualmente oferecidas através do SMS, permitindo que as marcas enviem mensagens mais úteis e interativas.

Por exemplo, uma companhia aérea pode fornecer uma experiência de check-in completa, com cartão de embarque e mapas de terminal, tudo através da experiência de mensagens.

Ou você poderá conversar com a sua operadora sobre opções para fazer um upgrade do seu plano e aparelho ou comprar um novo pacote de dados.

RCS no Brasil

De acordo com a Oi, a primeira operadora brasileira a colocar a tecnologia no ar, os testes iniciais com o RCS mostraram um elevado engajamento dos usuários, contudo, há poucos equipamentos compatíveis.

Segundo Diogo Câmara, diretor de mobilidade e conteúdo da Oi, apenas 20% da base atual de usuários móveis da operadora têm um smartphone compatível.

“O SMS tem um alcance brutal e é barato, mas a experiência, a comunicação e conversão são baixos. É difícil ter comunicação assertiva com o cliente. Com o USSD é semelhante, mas a conversão não é alta. O Satpush (smart message) tem conversão maior, mas alcance é menor. No WhatsApp, experiência é melhor, o alcance é abrangente, a comunicação é boa, mas o custo é maior. O RCS portanto vem complementar. Tem boa experiência, economia no custo, conversão, comunicação. Mas o grande ponto hoje é o alcance”, resumiu o executivo durante palestra em evento em São Paulo.

Google Duo agora com chamadas de vídeo em grupo com até 8 pessoas

0

Há algumas semanas, o app do Google Duo começou a lançar suas tão aguardadas chamadas de vídeo em grupo e incluiu o Brasil entre os primeiros países a receber a funcionalidade.

Agora, de acordo com o Android Police, o Google Duo irá ampliar sua capacidade de chamadas de vídeo em grupo com até 8 pessoas, derrubando o antigo limite até 4 pessoas.

A novidade foi confirmada pelo chefe de engenharia do Google Duo, Justin Uberti, em sua conta no Twitter:

Diferente do Google Allo, que foi encerrado no último dia 12 de março, o Google Duo parece ter conquistado um grupo de usuários fiéis.

Destaques