Google faz homenagem a Anne Frank, vítima do Holocausto

O Google está exibindo um doodle em memória de uma adolescente judeu alemão que foi vítima do Holocausto. Após o lançamento póstumo do Diário de Anne Frank, ela se tornou uma das figuras mais comentadas da história.

O Buscador explica o Doodle:


“A apresentação em slides do Doodle de hoje homenageia a diarista judia alemã-holandesa de renome mundial e vítima do Holocausto Anne Frank”. 

“Escrito entre as idades de 13-15, seu relato pessoal do Holocausto e eventos da guerra continua sendo um dos relatos mais comoventes e amplamente lidos até hoje”. 

“O Doodle de hoje apresenta trechos reais de seu diário, que descreve o que ela e seus amigos e familiares viveram escondidos por mais de dois anos”.

“Hoje é o 75º aniversário da publicação de seu diário, que é amplamente considerado um dos livros mais essenciais da história moderna”. 

“Obrigado, Anne, por compartilhar uma janela crítica sobre sua experiência e nosso passado coletivo, mas também uma esperança inabalável para nosso futuro.”

Anne Frank

Anne Frank nasceu em 12 de junho de 1929 em Frankfurt, na Alemanha, mas sua família logo se mudou para Amsterdã, na Holanda, para escapar da crescente discriminação e violência enfrentadas por milhões de minorias nas mãos do crescente partido nazista. 

A Segunda Guerra Mundial começou quando Anne tinha 10 anos e, logo depois, a Alemanha invadiu a Holanda, trazendo a guerra para a porta de sua família. 

O povo judeu foi particularmente alvo do regime nazista, sofrendo prisão, execução ou realocação forçada para campos de concentração desumanos. 

Incapaz de viver e praticar livremente e com segurança, milhões de judeus foram forçados a fugir de suas casas ou se esconder. Na primavera de 1942, a família de Anne fez exatamente isso, escondendo-se em um anexo secreto no prédio de escritórios de seu pai para evitar perseguição.

A família Frank, como milhões de outras, foi forçada a agir rapidamente e deixar quase tudo para trás em busca de proteção. Entre os poucos pertences de Anne estava um presente despretensioso que ela havia recebido em seu aniversário de treze anos apenas algumas semanas antes: um caderno quadriculado de capa dura. Logo se tornou seu veículo para mudar o mundo para sempre. 

Nos 25 meses seguintes na clandestinidade, ela encheu suas páginas com um relato sincero da vida adolescente no “anexo secreto”, desde pequenos detalhes até seus sonhos e medos mais profundos. Esperançosa de que suas entradas de diário pudessem ser publicadas após a guerra, Anne consolidou sua escrita em uma história coesa intitulada “ Het Achterhuis” (“O Anexo Secreto” ) . 

Em 4 de agosto de 1944, a família Frank foi descoberta pelo Serviço Secreto Nazista, presa e levada para um centro de detenção onde foram forçadas a realizar trabalhos forçados. 

Eles foram então deportados à força para o campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, onde viveram em condições precárias e anti-higiênicas. 

Alguns meses depois, Anne e Margot Frank foram transportadas para o campo de concentração de Bergen-Belsen, na Alemanha. 

Além dos assassinatos brutais e intencionais de prisioneiros pelas forças nazistas, doenças mortais se espalharam rapidamente. Eventualmente, Anne e Margot sucumbiram às condições desumanas em que foram forçadas a viver. Anne Frank tinha apenas 15 anos.

Embora Anne Frank não tenha sobrevivido aos horrores do Holocausto, seu relato daqueles anos, comumente conhecido como “O Diário de Anne Frank”, desde então se tornou uma das obras de não-ficção mais lidas já publicadas. 

Traduzido para mais de 80 idiomas, o livro de memórias de Frank é um marco nas salas de aula de hoje, utilizado como uma ferramenta para educar gerações de crianças sobre o Holocausto e os terríveis perigos da discriminação e da tirania. 

Casa de Anne Frank no Google Arts & Culture

Em 2019, quando Anne Frank completaria 90 anos de idade, a Google lançou uma exposição online para permitir que aos usuários pudessem visitar a casa da família alemã.

As imagens foram obtidas pelo Street View depois de uma parceria entre Google Arts & Culture e a Fundação Anne Frank.

Saiba mais no link abaixo:

You May Also Like