História de Brasília ganha mostra digital inédita no Google Arts & Culture

O Google Arts & Culture lançou uma mostra online inédita em homenagem à cidade de Brasília, trazendo um mergulho na icônica arquitetura modernista.

Em parceria com 19 museus e instituições culturais locais, a coleção “Brasília: Um sonho construído” apresenta um passeio imersivo pelo passado e presente da capital desenhada por Oscar Niemeyer e planejada por Lúcio Costa.


São 100 exposições virtuais com 4.000 imagens históricas, além de detalhes de 200 obras de arte digitalizadas em altíssima resolução, tours virtuais em 360° pelos principais museus da cidade e recursos educativos para pais e professores.

Considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco desde 1987, Brasília é a primeira cidade da América Latina a ter uma exposição dedicada no Google Arts & Culture, seguindo os passos de outras grandes cidades também reconhecidas por sua riqueza cultural, como Parma, na Itália, e Pittsburgh nos EUA.

“Seu plano urbano ousado, a efervescência da sua cena artística e os traços modernos marcantes da capital do Brasil, um dos marcos arquitetônicos mais importantes do planeta, estão, agora, acessíveis para amantes da cultura no mundo inteiro que queiram conhecer ou descobrir em um só lugar os tesouros que fazem dessa cidade um incrível museu a céu aberto”, diz Luisella Mazza, diretora global de operações do Google Arts & Culture.

A mostra tem a curadoria e a colaboração de instituições parceiras como o Museu Nacional da República, o Arquivo Público do Distrito Federal, o Instituto de Arquitetos do Brasil, o Museu da Câmara dos Deputados, o Supremo Tribunal Federal e outras 15 instituições sediadas em Brasília (veja a lista completa abaixo).

“O acervo digital sobre Brasília, incluindo o do Museu Nacional da República, representa uma parte da relação entre arquitetura e arte que está na base da construção e concepção da cidade. É muito importante que ferramentas tecnológicas como o Google Arts & Culture deem essa visibilidade em escala internacional”, destaca o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues.

Comente!