Política do YouTube contra desinformação reduziu número de vídeos enganosos no Facebook e Twitter

Uma pesquisa nos EUA descobriu que as políticas recentes do YouTube para conter a desinformação eleitoral tiveram impacto no número de vídeos falsos e enganosos no Facebook e no Twitter.

O relatório, feito por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Nova York, mostrou que a inicitiva do YouTube de coibir vídeos com conteúdo de desinforção levaram a uma queda dramática nas declarações eleitorais enganosas no Twitter.


Naquele período, a proporção de vídeos de fraude eleitoral compartilhados no Twitter a partir do YouTube caiu para menos de 20%.

Os pesquisadores também viram essa mesma tendência no Facebook. Antes da decisão política do YouTube em 8 de dezembro, cerca de 18% de todos os vídeos compartilhados na plataforma estavam relacionados a teorias de fraude eleitoral. No dia da posse de Biden, esse número caiu para quatro por cento.

Para compilar suas descobertas, a equipe coletou uma amostra aleatória de 10 por cento de todos os tweets a cada dia e, em seguida, isolou aqueles que vinculavam a vídeos do YouTube. Eles fizeram o mesmo no Facebook.

As descobertas destacam o papel e a influência do YouTube na forma como as informações são compartilhadas.

Comente!