Sergey Brin planeja usar dirigível secreto para entregar ajuda humanitária

O cofundador do Google, Sergey Brin, tem uma fortuna de mais de US$ 99 bilhões. Ele vem trabalhando em uma empresa de aeronaves secretas por mais de quatro anos.

A empresa foi fundada em 2017 no Centro de Pesquisa Ames da Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) e é chamada de Pesquisa e Exploração LTA – “LTA” significa “mais leve que o ar”.


Nos últimos quatro anos, a LTA Research tem se empenhado em alcançar sua visão de uma aeronave com emissões zero.

De acordo com a história da Bloomberg de 2017, Brin decidiu construir seu próprio avião em 2014 depois de visitar o Ames Research Center perto da sede do Google em Mountain View, Califórnia.

E, segundo um relatório de 2017 do Guardian, o dirigível deve ter quase 200 metros de comprimento, o equivalente a cerca de 656 pés ou quase dois campos de futebol de comprimento.

Brin também queria que o dirigível seja luxuosamente decorado para que possa ser usado como um “iate aéreo intercontinental” para seus amigos e familiares.

Naquela época, o desenvolvimento era financiado pelo próprio Brin e o valor era de mais de 100 milhões de dólares americanos. Quatro anos depois, não está claro quanto Brin gastou no avião.

A aeronave será usada para fornecer assistência humanitária a áreas remotas do mundo, incluindo alimentos e suprimentos – porque o dirigível não precisa pousar em uma pista de aeroporto tradicional, o dirigível pode, teoricamente, alcançar áreas que de outra forma seriam inacessíveis.

“Com esses dirigíveis de próxima geração, nós nos esforçamos para melhorar a distribuição de ajuda humanitária e reduzir as emissões de carbono, ao mesmo tempo em que oferecemos oportunidades econômicas e novos empregos para os americanos”, diz o site da LTA.

De acordo com o TechCrunch, a LTA construiu um protótipo de aeronave chamado Pathfinder 1. O dirigível será movido por baterias de íon-lítio, terá 12 motores elétricos e capacidade para transportar 14 passageiros.

Comente!