Programa Potência Feminina com apoio do Google.org

O ano de 2020 definitivamente foi um dos mais desafiadores da história. Muitas pessoas perderam seus empregos, negócios e alguns até familiares e amigos para a COVID-19. Pensando em um futuro de reconstrução, o Instituto Rede Mulher Empreendedora, IRME, elaborou o projeto Potência Feminina com o apoio do Google.org, o braço filantrópico do Google.

O Potência Feminina é um programa nacional que vai treinar mulheres nos temas de empreendedorismo, empregabilidade e tecnologia, e ainda gerar apoio a negócios liderados por elas por meio de capacitação, mentoria, aceleração de negócios e capital semente. Ao final de dois anos, cerca de 50 mil mulheres em 10 estados brasileiros terão sido beneficiadas gratuitamente por meio de organizações sociais já selecionadas via edital.


As oficinas de empregabilidade e empreendedorismo, que serão realizadas no ambiente virtual a partir de 11 de Janeiro, terão conteúdos práticos como, por exemplo, o aprimoramento na confecção de um currículo mais competitivo, e conteúdos técnicos, que vão desde noções básicas de programação, utilização eficiente das ferramentas digitais até orientações relacionadas ao empreendedorismo. 

O Instituto RME treinou tutores locais para aplicação das capacitações e forneceu computadores e acesso à internet às OSCs que apoiarão a disseminação dos cursos em 10 comunidades, sempre respeitando as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e das autoridades locais para evitar a propagação da COVID-19. 

As 10 organizações selecionadas são: Associação das Donas de Casa do Estado do Amazonas, de Manaus (AM); Instituto Edson Royer, de Novo Progresso (PA); Centro Educacional Profissional do Coroadinho, de São Luís (MA); Sociedade de Educação e Saúde A Família, de Barbalha (CE); Instituto Manda Ver, de Maceió (AL); Instituto de Referência da Juventude, de Ceilândia (DF); Associação Ateliê de Ideias, de Serra (ES); Instituto Themis Furigo (SP); Grupo Anjos da Tia Stellinha (RJ); e Associação Beneficente Evangélica da Floresta Imperial de NH, de Novo Hamburgo (RS).

“O Brasil tem o povo mais empreendedor do mundo e mesmo com todos os desafios que nós, mulheres, enfrentamos para empreender neste país, ocupamos a posição mundial quando falamos de liderança feminina nos negócios. É preciso incentivar, capacitar e desenvolver. Por isso, nós, do Instituto RME, estamos determinadas a contribuir com o curso do caminho do empreendedorismo feminino brasileiro, ainda mais em fase de reconstrução, que acredito que será 2021. Mãos à obra!”, afirmou a líder e fundadora da RME e do Instituto RME, Ana Fontes.

“Os impactos econômicos da pandemia estão sendo comprovadamente mais intensos no público feminino, seja pela necessidade de cuidar das tarefas domésticas durante o isolamento social ou pela dificuldade em se recolocar profissionalmente. O Potência Feminina reforça que aprender mais sobre tecnologia ou empreendedorismo pode ser o início de uma jornada de sucesso para muitas mulheres criarem novas oportunidades econômicas em 2021”, completa Jimena Tomás, gerente de marketing do Google Brasil.

O Programa pretende acelerar 1.200 negócios chefiados por mulheres por meio de metodologia desenvolvida e aplicada pela Rede Mulher Empreendedora há mais de dez anos em centenas de projetos. Será feito ainda um repasse financeiro de R$ 10 mil para 180 deles, selecionados via editais internos lançados durante o projeto.

Comente!