Google: Black Friday promove compras em cursos e capacitação em geral

O interesse pela área de Educação está crescendo nesta Black Friday. Segundo pesquisa do Google, realizada em setembro com 1.503 pessoas, 71% pretendem adquirir algum curso durante os próximos seis meses, passando pela temporada de compras – Black Friday e Natal.

O alto número é impulsionado, principalmente, por quem procura cursos livres, de curta duração ou em áreas específicas.


Entre as pessoas que demonstraram interesse em fazer compras nesta Black Friday, 40% delas estão em busca de desenvolvimento profissional, enquanto 31% procuram por qualificação dentro de suas áreas de atuação.

Para complementar, 25% estão buscando cursos que lhe permitam ter renda extra. “Em 2021 as pessoas têm acompanhado os cursos que desejam fazer, e muitas delas irão aproveitar as ofertas da Black Friday para conseguir realizar este projeto.

A pandemia também estimulou o interesse pela educação à distância, que entra nesse pacote de atrativos para a data”, afirma Fernanda Dória, head de mid marketing do Google no Brasil.

De acordo com as buscas realizadas no Google este ano, e a comparação principalmente com 2019, muitas pessoas aguardam a data de compras para decidir sobre o que estudar em 2021, e poder aproveitar as oportunidades.

O aumento nas buscas por cursos livres on-line em 2020 foi de 38% e o Brasil figura como o 2º maior volume de países de crescimento pelo tema. 

Ainda segundo a pesquisa realizada pelo Google, as principais áreas de conhecimento que os pesquisados pretendem adquirir cursos são Autoconhecimento (31%), Marketing Digital (31%), Gestão Financeira (29%) e Comunicação (28%). 

O fato mais importante para a decisão de fazer um curso para 52% das pessoas é que ele seja totalmente on-line, além de ser rápido, com no máximo 3 meses de duração (22%). Já 22% das pessoas preferem que o curso seja totalmente presencial, enquanto 13% delas procuram capacitação rápida, com menos de um mês de duração. 

O valor do curso ainda é decisório para escolher o curso, por 45% e a grade curricular segue em segundo, com 36% dos respondentes. Outros 26% buscam o nome da instituição e 18% aceitam indicação de amigos ou parentes, enquanto 18% ouvem seus contatos de networking.

“As pessoas tomaram consciência que existem diversas opções de cursos e capacitação para a área, desejo ou bolso de cada um. E o Google ajuda na hora de fazer o filtro do que é mais adequado, colocar em ordem de urgência e do que faz mais sentido para vida delas naquele momento”, completa Fernanda.

Comente!