Google.org conecta iniciativas de produção de equipamentos hospitalares para combate à COVID-19

Google.org, braço filantrópico do Google está apoiando a Olabi, organização social que busca democratizar a produção de tecnologias no Brasil, numa parceria para conectar iniciativas públicas e privadas que estejam produzindo suprimentos hospitalares e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de saúde.

A parceria vai ocorrer por meio da recém-lançada ProtegeBR, plataforma on-line que já reúne mais de 200 iniciativas locais e está ajudando a conectar instituições de saúde a fornecedores e fabricantes de equipamentos, como ventiladores, respiradores, entre outros, com objetivo de ajudar no combate à COVID-19. 


O programa mantém contato com secretarias municipais e estaduais de saúde e instituições que possuem envolvimento com essas demandas, além de convidar indústrias para fabricar equipamentos já prototipados, testados e validados por hospitais, com protocolos abertos que podem ser replicados, em um esforço para aumentar a escala de produção. O foco é estimular doações de suprimentos hospitalares para hospitais públicos, universitários e filantrópicos, principalmente.

Os equipamentos vão dos mais simples, como máscaras caseiras, óculos de proteção, aventais, capotes impermeáveis e face shields (viseiras de acetato), até peças e artefatos mais sofisticados como ventiladores respiratórios, laringoscópios e tubos para respiração, vários produtos têm saído de oficinas caseiras e laboratórios universitários capitaneados por pesquisadores, ativistas do fazer, designers e engenheiros espalhados pelo mundo. 

Conectados e em parceria com médicos e profissionais da indústria, esses fazedores formaram uma rede global: trocam informações, testam protocolos abertos, fabricam protótipos, experimentam soluções, produzem equipamentos e ajudam a suprir necessidades urgentes de hospitais locais que vivem dias críticos e sem precedentes. As redes têm chamado a atenção para a possibilidade de produzir localmente, a baixo custo e de forma ágil. 

“Os laboratórios universitários e makers são iniciativas cidadãs que têm feito um trabalho muito relevante de prototipar e testar produtos, atendendo demandas em baixa escala. É um excelente convite para que a indústria e quem tem infraestrutura mais robusta mudem suas produções e se juntem a esta causa tão urgente”, anuncia Gabriela Agustini, diretora do Olabi e coordenadora da ProtegeBR. 

Valdir Leme, head de Marketing do Google Brasil, acredita que cada vez mais é preciso conectar iniciativas por meio da tecnologia. “Em todo o mundo, governos e autoridades de saúde estão trabalhando juntos para encontrar soluções para a pandemia do COVID-19. Precisamos encontrar e valorizar iniciativas de conexões eficientes neste propósito”, explica.

Unindo pontas

A ProtegeBR veio preencher uma lacuna nesta rede, conectando pessoas de formações, regiões e papéis distintos entre si mas em busca de um objetivo comum: trazer soluções rápidas e eficientes para combater o novo coronavírus no País, a partir do apoio aos profissionais de saúde. 

Neste cenário desafiador e ainda incerto, quando o Brasil passa a ser dos países mais contagiosos do mundo e a falta de equipamentos hospitalares e de proteção individual dos profissionais de saúde se torna um problema crítico, a plataforma Protege BR atua com os seguintes objetivos:

  • Conexão e troca de informações entre as iniciativas brasileiras que estão trabalhando na produção de suprimentos médicos; 
  • Ser um local com informações atualizadas e confiáveis onde agentes públicos e privados da área de saúde, na linha de frente do combate à covid-19, encontrem interlocutores para dialogar e estruturar soluções;
  • Abrigar protocolos abertos de projetos validados por instituições de saúde que possam ser replicados tanto por makers quanto pela indústria. 

Comente!