Google estabelece novas restrições às extensões do Chrome

O Google anunciou um novo conjunto de restrições às extensões do Chrome que devem ajudar a reduzir o spam.

Atualmente, a Chrome Web Store é a única fonte de extensões do Chrome, abastecendo também navegadores do Microsoft Edge e Opera, que são dereivados do código-aberto do Chromium.


As novas regras começarão a ser aplicadas em 27 de agosto. Conheça:

  • Os desenvolvedores ou suas afiliadas não devem publicar várias extensões que fornecem experiências ou funcionalidades duplicadas na Chrome Web Store.
  • As extensões não devem ter metadados enganosos, formatados incorretamente, não descritivos, irrelevantes, excessivos ou inadequados, incluindo, entre outros, a descrição da extensão, nome do desenvolvedor, título, ícone, captura de tela e imagens promocionais. Os desenvolvedores devem fornecer uma descrição clara e bem escrita. Depoimentos de usuários não atribuídos ou anônimos na descrição do aplicativo também não são permitidos.
  • Os desenvolvedores não devem tentar manipular o posicionamento de nenhuma extensão na Chrome Web Store. Isso inclui, mas não se limita a, inflar classificações de produtos, revisões ou instalar contagens por meios ilegítimos, como downloads, revisões e classificações fraudulentas ou incentivadas.
  • Extensões com o único objetivo de instalar ou iniciar outro aplicativo, tema, página da web ou extensão não são permitidas.
  • Extensões que abusam ou estão associadas ao abuso de notificações enviando spam, anúncios, promoções, tentativas de phishing ou mensagens indesejadas que prejudicam a experiência de navegação do usuário não são permitidas. Extensões que enviam mensagens em nome do usuário sem dar ao usuário a capacidade de confirmar o conteúdo e os destinatários pretendidos também não são permitidas.

Comente!