Google oferece US$ 6,5 milhões em recursos para organizações de checagem de fatos

O Google está oferecendo mais de US$ 6,5 milhões em recursos para organizações de checagem de fatos e entidades sem fins lucrativos de todo o mundo, que trabalham no combate às informações falsas e enganosas sobre o coronavírus.

O Google News Initiative está aumentando o apoio que já oferecia ao First Draft – organização sem fins lucrativos que oferece recursos pela internet, treinamentos sobre o assunto e simulações de crise, voltados a jornalistas de todo o planeta.


“Apoiamos também a rede CrossCheck do First Draft, que auxilia diversas redações a reagir de forma rápida e a lidar com a enxurrada de conteúdo capaz de causar confusões e problemas”, disse a empresa.

Alguns projetos são específicos para a América Latina. Um deles é a renovação do apoio oferecido ao brasileiro Comprova, um grupo colaborativo de checagem de fatos que reúne 24 veículos de comunicação. Em sua terceira edição, a coalizão agora amplia o escopo do trabalho para combater a desinformação na área de saúde e os boatos relacionados à COVID-19.

O Comprova também treina jornalistas para realizar verificação de fatos e outras técnicas, fomentar a alfabetização digital e promover conscientização sobre a importância do jornalismo profissional em tempos de crise – além de identificar e analisar o fenômeno das informações falsas e enganosas.

“Vamos apoiar também a iniciativa LatamChequea, coordenada pela Chequeado – entidade que oferece um lugar centralizado de destaque ao trabalho de 21 organizações de checagem de fatos, em 15 países de língua espanhola e da América Latina. O grupo é formado pelas seguintes entidades: Agência Lupa, do Brasil; Bolivia Verifica, da Bolívia; La Silla Vacía e ColombiaCheck, da Colômbia; La Nación e La Voz de Guanacaste, da Costa Rica; Periodismo de Barrio e El Toque, de Cuba; Ecuador Chequea e GK, do Equador; Maldita, da Espanha; Agencia Ocote, da Guatemala; Animal Político e Verificado, do México; El Surtidor, do Paraguai; Ojo Público e Convoca, do Peru; PoletikaRD, da República Dominicana; UyCheck, do Uruguai; e Efecto Cocuyo, da Venezuela; e Salud con Lupa, para toda região”.

“Em outras frentes, trabalhamos com a PolitiFact e a Kaiser Health News, que ampliaram sua colaboração para verificar informações sobre saúde e reforçaram o trabalho de combate à desinformação relacionada à COVID-19. Já a Full Fact e a Maldita.es estão coordenando esforços nos países europeus com maior número de casos (Itália, Espanha, Alemanha, França e Reino Unido), destacando fontes especializadas, compartilhando conhecimentos sobre tendências em todo o continente e reduzindo a disseminação de informações falsas e prejudiciais. A alemã Correctiv faz parte desse projeto, e vai centrar esforços no envolvimento dos cidadãos no combate à desinformação”.

Mais acesso a dados, informações científicas e checagem de fatos

Diante de um cenário de crise de saúde pública tão desafiador quanto o atual, em constante evolução, ter acesso aos principais especialistas no assunto é um grande desafio para os jornalistas que cobrem o assunto.

Para facilitar esse trabalho, estamos oferecendo recursos à SciLine, que faz parte da Associação Americana para o Avanço da Ciência, e aos criadores da Scimex.org, pertencente ao Centro de Imprensa Científica da Austrália.

O Google apoia ainda a criação de uma base de dados para jornalistas que cobrem a pandemia, desenvolvida pela organização jornalística sem fins lucrativos Meedan em parceria com especialistas em saúde pública.

O GNI está apoiando também as bolsas de jornalismo JSK da Universidade Stanford e o grupo Big Local News, da mesma instituição, com o objetivo de criar um centro de dados global para jornalistas envolvidos com a cobertura da COVID-19.

Este novo projeto vai compilar informações sobre o vírus, coletadas em países de todo o mundo. A iniciativa pretende ajudar jornalistas a usar dados locais para gerar notícias que causem impacto em sua comunidade – bem como agregar dados que possam ser usados por veículos nacionais e internacionais.

E mais: estamos renovando nosso apoio à Rede Internacional de Checagem de Fatos (IFCN, na sigla em inglês), que continua colaborando com checadores de todo o mundo para defender as melhores práticas na área da verificação de informações.

Essa parceria vai permitir uma nova visualização da base de dados resultante da checagem publicada pela CoronavirusFacts Alliance. Já a Science Feedback vai realizar uma análise de rede a partir dessa base de dados, para rastrear a disseminação de informações falsas sobre COVID-19 em plataformas e sites de todo o planeta.

Estamos compartilhando recursos online gratuitos que podem auxiliar no trabalho essencial realizado pelos jornalistas. O Centro de Treinamento do Google News Initiative conta com diversas ferramentas de jornalismo e checagem de fatos, em 16 idiomas. Nossa equipe global de integrantes e professores vem realizando workshops pela internet (em inglês), em dez línguas diferentes.

Informações confiáveis para checadores, repórteres e autoridades sanitárias

Para ajudar os jornalistas a compreender e explicar como o mundo pesquisa e busca informações sobre o vírus, deixamos as informações do Google Trends facilmente disponíveis, em páginas localizadas, com visualizações que podem ser inseridas nos sites dos veículos interessados.

Apoio a veículos latino-americanos, graças à distribuição de conteúdo dentro dos produtos Google

Além do trabalho de combate à desinformação, estamos atuando com veículos da América Latina na distribuição de seus conteúdos dentro dos produtos Google.

Lançamos uma experiência sobre COVID-19 no Google News (Android, iOS e web), que destaca as notícias mais recentes sobre o vírus vindas de fontes confiáveis, e as notícias sobre os impactos da pandemia no mundo.

Além de entender as notícias mais atualizadas, é importante conhecer o contexto e as diversas facetas da história. Por isso, dividimos as reportagens por temas como economia, saúde e viagem, e também por região. Dessa forma, os usuários são capazes de compreender melhor os efeitos da pandemia ao redor do planeta.

Cada veículo pode criar ainda uma seção especial sobre COVID-19 no Google News. Teremos também o “Notícias no Assistente”, um resumo das últimas novidades sobre coronavírus sempre que o usuário disser: “Hey, Google. Me dê as notícias sobre COVID-19” ou “Hey, Google. Me dê notícias sobre saúde”. Ao ouvir a solicitação, o Assistente vai ler as informações mais recentes ou exibir vídeos produzidos por veículos confiáveis.

Este é apenas o primeiro passo de uma série de iniciativas do Google para apoiar o trabalho da imprensa na cobertura da pandemia. Esperamos trazer mais novidades em breve.

Comente!