Museu Nacional renasce no Google Arts & Culture

0
86

Com o apoio da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Ministério da Educação, o Google Arts & Culture disponibilizou um tour e oito exposições virtuais com imagens de 164 peças atingidas durante o incêndio do dia 2 de setembro.

Entre os artefatos disponíveis em g.co/museunacionalbrasil, destacam-se relíquias históricas como o crânio de Luzia, o mais antigo remanescente humano das Américas, a famosa réplica de Titanossauro e o Meteorito de Bendegó, o maior já encontrado no Brasil, pesando 5.260 kg.


Além das mostras, a plataforma traz um passeio virtual inédito por dentro do museu com imagens em 360 graus captadas em 2017, por meio do Museum View.

“Com a ferramenta, é possível mergulhar pelas salas do prédio histórico, além de ver, em detalhes, as peças que ficavam em exposição. Esse tour pode ser guiado com narração em português, inglês e espanhol e também assistido em modo imersivo com o uso de um cardboard ou outros visores de realidade virtual”, explica o Google.

As coleções do Museu Nacional também podem ser descobertas a partir do Google Assistente. Agora, quando o usuário conversar com o assistente inteligente do Google sobre museus, história e até mesmo dinossauros, ele será levado para essa experiência imersiva pelo acervo. Para começar, é só dizer: “Ok Google, você gosta de dinossauro?”.

Destaques:

  • Luzia, o mais antigo esqueleto humano encontrado nas Américas, com aproximadamente 11.500 anos de idade.
  • Meteorito do Bendegó, um dos maiores do mundo, foi descoberto por um menino à procura de uma vaca perdida em 1784.
  • Gato mumificado do Egito Antigo, uma oferenda à deusa Bastet.
  • Réplica do esqueleto do Titanossauro, cujos ossos originais foram descobertos perto de São Paulo na década de 1950.
  • Vaso Marajoara, sociedade pré-colombiana.
  • Máscaras indígenas do povo Awetí, Waurá e Mehináku.

Comente!