Mudança no Chrome incentiva empresas a priorizarem segurança

0
183

A partir da versão do Chrome 68, os sites que não migraram para o HTTPs serão marcados como ‘não seguros’ na barra de endereço que fica no topo da página.

E, como 60% do tráfego da internet passa pelo navegador do Google, a segurança precisará ser vista como prioridade pelos donos de sites, sejam pessoas físicas ou jurídicas.


Resolver o problema é uma questão tão simples quanto adquirir um certificado SSL (que significa Protocolo de Camada de Segurança, em português) de um fornecedor confiável. Com um certificado SSL a transmissão de dados dos clientes no site e a futura proteção deles.

O motivo é que ao criptografar as informações recebidas ou enviadas, a exposição de dados, como as informações sobre os negócios e os clientes, é evitada.

Além de proteger os sites, o SSL também melhora o tempo de carregamento da página na web e permite que o canal apareça nas pesquisas do Google.

Mas, é importante alertar que para que a proteção de uma página seja completa, a segurança vai além da aquisição de um Certificado SSL.

Há outras ferramentas adicionais de criptografia, proteção à malwares e back-ups, e serviços de proteção de websites, que juntas podem proteger totalmente as páginas, e os dados destas, contra ataques direcionados, evitando prejuízos financeiros e de reputação na marca das pequenas empresas, que o ciberataque pode impactar.

“O empreendedor na era digital precisa analisar o quanto a segurança pode afetar os seus negócios, e essa mentalidade pode mudar a partir da educação em cibersegurança. Entendendo o que cada ferramenta faz para proteger os seus negócios no ambiente virtual, e priorizar esse investimento pode ser um bom começo”, diz Valeria Molina, diretora de Marketing da GoDaddy para o Brasil.

Comente!