Google Maps captura avião em pleno voo

3
7935

Não é exatamente a primeira vez em que as imagens de satélite do Google Maps capturaram um avião em pleno voo, mas com certeza é uma das mais belas.

Diferente de muitos registros em que os aviões aparecem deformados, este é um registro raro em que é possível ler o nome da companhia aérea nas laterais da aeronave.


Quanto as cores, que parecem distorcidas, elas seriam o resultado do fenômeno da aberração cromática quando a lente não consegue focar em todas as cores.

Outros, porém, dizem que este seria um exemplo do Efeito Doppler relativístico.

Independente de qual é a explicação mais correta, esta é uma das imagens mais interessantes já registradas.

Você pode visualizar o avião no Google Maps por meio deste link.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGoogle Chrome vai remover o suporte ao Flash no final de 2020
Próximo artigoWaze ganha suporte ao Android Auto
é pós-graduado em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais pela ESPM. Fundador da FragaNet Networks, empresa especializada em comunicação digital , cujo o portfólio estão projetos como: Google Discovery, Arquivo UFO e Muito Curioso. Foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

3 COMENTÁRIOS

    • não tem avião nenhum aí César, mas essa região do caminho do vinho próximo a curitiba deve ser muito pitoresca.

  1. Essa região do sul da inglaterra onde foi capturado o avião, tem a sede da rolls royce na goodwood house, a região é sem graça mas nessa propriedade ter a rools royce é só um detalhe. Vale a pena fazer uma visita, principalmente se estiver ocorrendo o goodwood festival of speed, maior evento anual que ocorre na fazenda.
    A questão da decomposição das cores na imagem percebe-se claramente ser por causa da velocidade, o satélite provavelmente estava em orbita sul-norte, com ligeira inclinação para leste.
    Mas embora tanto o satélite quanto a aeronave estão em velocidades altas, para o efeito doppler teria que estar bem próximo da velocidade da luz, além disso o que ocorre é a distorção de toda a cor do elemento, como o barulho de uma aeronave passando pelo céu, que vindo comprime as ondas sonoras e fica mais agudo, ao passar indo embora estende a distancia das ondas, ficando com som abafado, mais grave. Como esse problema é normal ocorrer em astronomia e o satélite está no “espaço”, talvez explique a confusão.
    Também não acho que o problema seja aberração cromática, normalmente aparece em lentes grande angular, na margem da imagem onde o foco é menos nítido. No estreet view isso acontece muito, por usar lentes justamente grandes angulares, mas no google earth é usado o foco em “zoom”.
    Na aberração cromática toda a composição da imagem nessa região fica distorcida, no caso só a aeronave teve problema, e mesmo nela, na camada em preto e branco está com foco.
    Acho que o problema tem mais a ver com a complexidade do sistema de captura e tratamento. O que pode ter acontecido é que os sensores de cores são menos sensíveis e precisam de mais exposição que a composição de contraste preto e branco.
    No processamento da imagem o sistema consegue compensar o movimento do satélite em objetos fixos, mas não foi preparado para o movimento do avião, até carros em rodovias ficam distorcidos. A sorte da captura foi que o satelite estava praticamente na mesma velocidade oeste-leste que a aeronave, e assim foi possivel capturar primeiro o azul, depois verde, depois vermelho (borrados porque é necessário mais tempo de exposição) e a composição preto e branco (com mais nitidez), que após o processamento ficou transparente.
    Pesquisando sobre as fotos de satélite da tragédia em brumadinho tem se uma idéia do quanto complexo é a captura de imagem fora da atmosfera.

Comente!