Waymo solicita ao Uber que pare de usar sua tecnologia de auto-condução

Waymo, empresa criada pela Alphabet para gerenciar seus projetos de carros com auto-condução, pediu aos tribunais americanos que interrompam o Uber de usar “sua” tecnologia de auto-condução.

A Alphabet acusa o Uber de roubo de informações confidenciais sobre a tecnologia de sensor Lidar da Waymo – o componente mais importante para o funcionamento da condução autônoma.


“A Waymo, unidade de carros autônomos da Alphabet, informou que buscará uma liminar temporária contra o Uber em um processo de propriedade intelectual de alto perfil, de acordo com o documento jurídico”, publicou a agência de notícias Reuters.

“A Waymo processou o Uber no mês passado, alegando que um ex-funcionário baixou e roubou mais de 14 mil arquivos confidenciais, incluindo detalhes sobre uma tecnologia de detecção de luzes e sensor, conhecida como Lidar, elemento crucial na maioria dos sistemas de direção autônoma”.

Em nota a imprensa, a Waymo explicou que suas ações visam proteger a tecnologia criada por seus engenheiros:

“A competição deve ser alimentada pela inovação nos laboratórios e nas estradas, e não por ações ilegais. Dada a forte evidência que temos, estamos pedindo ao tribunal que tome medidas para proteger a propriedade intelectual desenvolvida por nossos engenheiros durante milhares de horas e para evitar qualquer uso desse material roubado”.

Comente!