Co-fundador do Google, Sergey Brin, foi visto participando de um protesto em San Francisco contra o decreto do presidente Donald Trump, que proíbe os cidadãos de sete países de entrar nos Estados Unidos.

“Estou aqui porque sou um refugiado”, disse Brin aos jornalistas que acompanhavam o ato.


Filho de pais judeus, Sergey Brin emigrou em 1979 para os Estados Unidos com a família, fugindo do anti-semitismo da União Soviética.

Efeitos dentro do Google

Para evitar que seus funcionários tivessem problemas para entrar nos EUA, o CEO do Google Sundar Pichai autorizou, há poucos dias, o retorno de mais de 100 pessoas antes que a ordem fosse assinada por Trump.

“Estamos preocupados com o impacto desta ordem e quaisquer propostas que poderiam impor restrições aos Googlers e suas famílias, ou que criam barreiras para trazer grandes talentos para os EUA”, disse um porta-voz do Google.

“Continuaremos a fazer com que nossos pontos de vista sobre esses assuntos sejam conhecidos dos líderes em Washington e em outros lugares”.