Desde a chegada do primeiro Android ao Brasil, lá por volta do ano de 2009, os brasileiros puderam acompanhar uma avalanche de lançamentos, desde dispositivos exclusivos para o mercado nacional (ex: suporte a TV Digital) à até anúncios que precederam smartphones globais.

Porém, nos últimos meses, os lançamentos nacionais deixaram de ser “vibrantes” com a chegada de modelos inferiores aos lançados lá fora. Além disso, temos acompanhado a desistência de algumas fabricantes em lançar novos produtos, principalmente em relação aos aparelhos com hardware mais robusto.


Abaixo, confira algumas das questões envolvendo as principais fabricantes e seus lançamentos mais recentes:

Motorola / Lenovo

A quarta geração do Moto G surpreendeu a todos por trazer um hardware mais sofisticado que suas antigas versões, mas o modelo trazido pela fabricante chinesa ao Brasil é inferior ao modelo indiano e americano.

Lá fora, os consumidores podem encontrar versões de 3 GB de RAM e 4 GB de RAM com 64 GB de memória. No Brasil, entretanto, somente 2 GB de RAM e 32 GB.

Outra questão envolve o novíssimo Moto Z Force, lançado recentemente nos EUA, que provavelmente não deve chegar por aqui.

LG

No final de 2015, o Google Discovery obteve a informação de que o Nexus 5X iria desembarcar em terras verde-amarelas durante o primeiro trimestre de 2016.

Com a piora da economia e o aumento alucinado do dólar, a fabricante sul-coreana parece ter abandonado seus planos, mas isso não impediu do 5X chegar a outros países.

De acordo com o jornal La Nacion, o Android puro da LG teve o lançamento confirmado na Argentina durante os primeiros três meses do ano.

Há poucas semanas, durante a chegada do LG G5, os jornalistas foram surpreendidos com uma versão mais barata do flagship (SE), que conta com um processador mais fraco e 1 GB a menos de RAM.

Huawei

A Huawei do Brasil nunca escondeu sua vontade em lançar o Nexus 6P no Brasil.

Quando questionada no Twitter, a empresa tem sido transparente ao afirmar que há uma “avaliação do mercado” para a viabilidade do aparelho.

Com a nova geração da linha Nexus a ser anunciada em poucos meses, a vinda do 6P se torna cada vez menos realista.

Xiaomi

De acordo com o G1, a Xiaomi Brasil congelou as operações no país e não pretende trazer novos lançamentos no curto prazo.

A fabricante chinesa alega que as mudanças constantes nas regras de fabricação e tributação foram fatores decisivos para esta paralisação.

Sony

A Sony, por sua vez, anunciou que irá encerrar sua produção de smartphones nacionais.

A empresa afirma que, sem as leis que beneficiam as vendas de produtos tecnológicos, os custos de importação se tornaram mais vantajosos do que manter uma equipe de trabalho local para produzi-los.

4 COMENTÁRIOS

  1. Graças ao desgoverno,a zona que é a política brasileira,impostos e mais impostos,enfim,retrocesso total…

    • Fato! Até pra serviços virtuais (cobrados em US$) sofremos isso!. Fator taxa de câmbio por vezes acaba até sendo secundário…
      Recentemente fiz uma grande aquisição de equipamentos de TI, total da NF R$ 2.448,25: Valor aproximado dos impostos federais R$ 611.84 estaduais R$ 463.43; ou seja praticamente 50% de imposto… fica difícil mesmo.

  2. Acho que o mercado global de celulares deu uma boa estagnada, pois a evolução está diminuindo, e os fabricantes estão perdidos não sabem o que colocar nos seus produtos, eles precisam de um diferencial e não sabem qual e nisso acabam saindo muitas ideias bizarras…

    Eu lembro que antigamente eu ficava doido para trocar de Smartphone, hoje em dia tenho um celular de 2014 e não quero trocar…

Comente!