O Tecnoblog, por meio do nosso amigo e editor Paulo Higa, levantou uma interessante questão ao sugerir que o “Chrome é hoje o Internet Explorer dos browsers atuais” – principalmente ao recordar a posição monopolista do navegador da Microsoft nos anos 90 e início do ano 2000.

É fato que, assim como no passado do IE, o Chrome atingiu níveis altíssimos de uso e tem deixado seus concorrentes em uma posição extremamente desconfortável, o que poderia prejudicar a competição, inovação e a compatibilidade entre os principais navegadores.


Mas a história do Chrome não pode ser comparada com o Internet Explorer. Nos anos 90, a Microsoft foi processada após assumir práticas ilegais ao embutir seu navegador dentro do Windows, o que dificultava ao Netscape qualquer possibilidade de competição.

Ao distribuir o IE com o Windows 95 e 98, a Microsoft obteve sucesso em sua estratégia: derrubou o market share do Netscape para menos de 1%. Mesmo com a tentativa de liberar uma versão gratuita do navegador, o lendário navegador não tinha mais força para enfrentar a empresa de Bill Gates.

Com o Chrome, a história é completamente oposta. O Google conquistou os usuários ao apresentar features que mudaram o mercado: navegador leve, simples, veloz, com atualizações automáticas e uma integração com o mecanismos de pesquisa que mudou a forma como pesquisamos na internet.

O Google não venceu a Microsoft e Mozilla com práticas questionáveis, e muito menos possui um monopólio. O Chrome é hoje o navegador mais utilizado devido a visão inovadora do Google e a preferência massiva dos usuários.

66 COMENTÁRIOS

  1. Com relação ao Firefox é questionável, sim. Mantiveram o financiamento da fundação Mozilla pra manter a Mozilla sob controle e pegando tecnologia dela.

    • Lembrando que não existe almoço grátis, não me espanta em nada o uso da tecnologia. De qualquer forma o código do Mozilla está disponível, pode pegar e fazer se próprio navegador.

      • Quando se opta por colaborar com uma fundação sem fins lucrativos… O almoço é grátis, sim. O que não era o caso do Google.

        O Google é hoje o que a Microsoft foi um dia. Só que com um ar descolado.

    • A Mozilla foi construída em cima do código aberto da Netscape. É muito difícil saber quem é dono de algo nesta situação.

  2. Acho que a tal afirmação diz mais respeito a atual lerdeza e excessivo peso no chrome comparado aos outros navegadores.

    • Isso é muito questionável e depende de cada máquina. Há pessoas que reclamam e outras que dizem não notar qualquer lentidão. De qualquer forma, o Google tem trabalhado em melhorias, assim como a Mozilla também tenta otimizar o Firefox.

      • Exato. No meu caso, em 2 máquinas completamente diferentes, não presencio o consumo excessivo de memória, como muitos insistem em falar.
        Eu ainda insisto que são as trocentas extensões e temas, que pesam o que é leve.

        • As reclamações normalmente envolvem Mac e PCs com pouca memória RAM. Mas depende da quantidade de extensões, temas, programas em segundo plano, antivírus…

      • Se vocês tem esse problema de memória, testem a versão Canary pois foram realizadas melhorias recentemente.

    • Realizei diversos testes e sim, o Chrome, mesmo com uma única aba aberta, consome mais memória que outros navegadores. Ao clicar em “detalhes” você vê que para uma aba existem pelo menos 3 processos do chrome em execução, isso com todas as extensões desabilitadas, o consumo médio de memória em cada um dos processos é de 150MB. Meu computador possui 16GB de RAM e não tenho problemas de lentidão. Já no PC da empresa, com diversas IDEs e ferramentas abertas o consumo de memória do computador com 8GB de RAM passa facilmente dos 6GB, aí você abre o chrome para fazer pesquisas para aqueles problemas no JavaScript ou no Java/C# e o consumo de memória vai às nuvens! Chegando a 80/90%.

  3. Na época do IE mandante muitos sites nos obrigavam a usar o IE e como o IE usava tecnologia embarcada e proprietária, ficava impossível de concorrer. Só que o impossível se tornou difícil e o difícil se tornou possível. Parabéns à Google. Conseguiu dar um mata leão na grande e aparentemente imbatível MS.

    • Exato. A Microsoft nos anos 90 criou códigos proprietários para tornar o Netscape gradativamente incompatível com a web. Atualmente a coisa é bem diferente: o Google trabalha com a Mozilla para que isso não ocorra.

      • Outra coisa que acho que ninguém mencionou o Netscape era muito pesado, eu lembro que meu pc da época quase morria para carregar o Netscape Comunicator 4.6 além de pesado maior parte dos sites não rodavam pois não tinha um padrão

        A W3C continua sendo uma inútil, a web hoje está mais padronizada pois as empresas aprenderam a cooperar mais, se fossemos depender da W3C não ia ser assim

        O Opera quando usava o motor Presto quase nenhum site funcionava direito e tinham problemas de compatibilidade

  4. Acredito que o aviso na pagina inicial do Google sobre o Chrome ajudou muito.

    A Microsoft usou o Windows para divulgar o IE
    E o Google usou o buscador para divulgar o Chrome

    E levantando outro assunto o Android seria o novo Windows?

    • Talvez você não lembre mas o Google chegou a fazer publicidade para o Firefox. Eles inclusive pagavam via AdSense pelo número de instalações.

      • Sim isso foi antes do google ter seu navegador eles apoiam muito o firefox

        Eu lembro que quando eu assinei internet pela primeira vez na decada de 90 ganhei um CD do Zaz que vinha com uma versão modificada do IE
        Internet Explorer powered by Zaz

        A AOL também dava CDs com navegador era uma praga esses CDs cheguei a ter mais de 10

    • Até onde eu lembro, toda vez que o google me falou para usar um navegador mais rápido/moderno, para ter mais recursos, ele sugeria inclusive atualizar o IE, além do Chrome e do Firefox. Tudo bem que eu vi poucas vezes isso, mas…

  5. É que agora é moda falar mal do Google no geral, não é a primeira vez que leio alguém comparando o “monopólio” do Chrome ao do IE nos anos 90. Isso é típico de usuário que só tem produtos da maçã, agora pro Higa o único navegador que é o salvador da lavoura é o Safari do MacOS, o único telefone que é supimpa é o iPhone.
    Infelizmente os últimos posts do Tecnoblog estão dando muita ênfase a Apple, tem hora que tá parecendo que estou navegando no Macmagazine.

    • Opera morreu, Firefox tá capengando, IE morreu, o Edge está custando crescer… e o Chrome só cresce dia após dia. Isso é sim um monopólio a la Internet Explorer.

  6. Tudo bem que o Chrome conquistou com funcionalidades diferentes, mas não se esqueça que existem diversas coisas que vc baixa na internet que tem uma mensagem em caixa minúscula escrito “baixar e instalar o Chrome para ter uma melhor experiência na internet”. Eu já baixei o Chrome sem querer e sem ver umas 3 vezes… o próprio Adobe Flash Player faz isso, tem lá a opção pra baixar ele junto. Agora não me lembro quais outros programas fizeram isso, mas eram sempre programas famosos e que faziam praticamente o que o Baidu faz, empurrando o Chrome.

  7. O autor aborda apenas um ponto da questão levantada pelo Higa: as razões que levaram as empresas aos seus respectivos monopólios. No final, porém, monopólio é monopólio, e isso é ruim.

    O texto publicado aqui, por exemplo, ignora completamente todos os problemas levantados pelo texto do Higa, como as questões de compatibilidade de páginas sendo renderizadas de forma errada em outros navegadores, ou ainda ferramentas compatíveis exclusivamente somente em alguns browsers, e em outros não. O Google conseguiu sim uma fatia monstruosa do mercado por seus próprios méritos, mas isso não diminui o fato de que, de modo geral, isso é ruim para a internet quando ficamos presos a um único navegador que consome muita RAM / bateria se quisermos usufruir de todos os recursos de uma página ou serviço.

    Concordo plenamente com o que um colega escreveu abaixo: o Google de hoje é a Microsoft dos anos 90 – só tem um ar descolado.

    • Se você estiver falando do “Inbox by Gmail” que é compatível apenas com o Chrome, esta é uma questão de marketing e estratégia de mercado. Agora, se você se refere a uma página de terceiro – que não abre corretamente nos navegadores concorrentes, esta é uma questão de acionar o desenvolvedor e cobrar a compatibilidade ou correção.

      • O texto quis dizer que, quando tem alguém no topo, os desenvolvedores ficam mais “relaxados” com os concorrentes. Que é o que aconteceu no passado, e o que está acontecendo no presente. Não que seja totalmente culpa do Chrome.

        • Mas no presente o padrão a ser usado na web é definido por um consórcio, não por uma empresa, como na época do IE. Hoje a W3C diz os padrões, e qualquer navegador deve seguir, bem como qualquer desenvolvedor meia boca sabe que deve seguir.
          Não existe mais aquilo de testar em 57 browsers diferentes o mesmo site para garantir compatibilidade.

          • Não é obrigatório não. Só ver que um site pode funcionar de forma diferente (ou não funcionar) dependendo do navegador. Os padrões da W3C são os oficiais e recomendados, mas nenhuma empresa é obrigada a suportar essas tecnologias.
            Inclusive, tem várias tecnologias proprietárias usadas nos navegadores que estão fora do controle da W3C.

          • Sim, eu sei que não é obrigatório. A diferença está na abrangência da parada. Antigamente, na época do IE, a MS ditava as regras, aplicava padrões proprietários e todos seguiam, por conta do monopólio absurdo que o IE tinha. O que eu quis dizer é que hoje isso não ocorre mais. Ninguém faz um site todo compatível apenas com Chrome, por exemplo (fora o Google, claro). O que acontecia antigamente, era que se colocava o famoso “Site melhor visualizado no Internet Explorer 4.0 ou superior, com resolução mínima de 640×480”.
            Hoje faz-se sites em HTML5+CSS3+JS e pronto. Funciona em tudo e faz tudo que você quiser (hipérbole).

      • O Google deixar um recurso/site (Inbox by Gmail) disponível apenas para o próprio navegador é uma questão de marketing e estratégia de mercado. Já a Microsoft incluir o próprio navegador ao próprio sistema operacional e deixar ele como padrão de início é coisa feia e de empresa malvadona.

        • Recomendo ler sobre a “Guerra dos Navegadores” para conhecer toda a história que quase terminou com a Microsoft dividida em duas empresas. A prática ilegal encerrou com um dos primeiros e melhores navegadores que tínhamos no início da internet.

  8. O Chrome é o Firefox de 6 a 8 anos atrás, o qual dominava pelo seu encanto, velocidade, extensões e tudo mais… Mas o Chrome não é essa coisa toda, tá melhor que os principais conhecidos, mas o Yandex que também é feito sobre o Chromium, tá muito melhor em quesito de desempenho tanto no mobile, quanto no desktop…

    • O Firefox nunca chegou (em market share) nem perto do que o Google Chrome é hoje.
      Sem dúvida, se o Chrome não tivesse sido lançado, hoje o Firefox dominaria o mercado. Foi quase.

  9. Caso a Microsoft não tivesse no windows um navegador nativo, como as pessoas iriam fazer para navegar e baixar outro navegador ? lembrando que estamos falando de 95, 98, 2000 onde o sonho de consumo de internet banda larga era velocidade de 100 kbps.

    • É um questão em aberto. Quanto a Netscape deu início ao processo antitruste, a empresa já estava fragilizada e sem market share. Será que a Microsoft seria forçada a colocar o Netscape no instalador do SO? Talvez. Windows Update? Possivelmente.

    • Ah, fiz uma pesquisa sobre o assunto e encontrei a resposta: “A gigante do software havia sugerido incluir CDs com aplicativos da concorrência junto aos programas vendidos com micros novos”. Mas parece que a ideia não foi aceita pois “não era canal efetivo de distribuição de programas” segundo a União Européia.

  10. Que bosta de artigo, se você quiser rebater o tecnoblog em uma opinião vazia você conseguiu, ta certo que o tecnoblog não é 100% em tudo, mas você perdeu tempo escrevendo um texto pobre comparado ao que o tecno fez. Vergonha desses “jornalistas” que querem conseguir acesso fazendo treta.

    • IE nunca conquistou o mercado por mérito, ele foi empurrado para as pessoas junto com o Windows. A MS chegou até mesmo a forçá-lo como padrão no SO. Vale lembrar que estamos falando da época da conexão discada.

      • O problema é você levantar que o Chrome realmente só foi instalado por mérito. Um banner gigantesco com os dizeres NAVEGUE MAIS RÁPIDO na home do site mais acessado do mundo (Google) foi o principal motivador do ganho de mercado do Chrome.

        • Fato. A publicidade ajudou a alavancar a popularidade e conhecimento sobre o Chrome, mas a experiência de uso é algo bem pessoal. As pessoas poderiam ter instalado e nunca mais usado.

  11. Quando vi o título achei que iria comparar o quão pesados estão os dois. Chrome rouba muita memória, mais de um ano que larguei.

    • Nem todas as pessoas sofrem com esse problema. Depende muito de cada computador, das extensões usadas, aplicativos em segundo plano, antivírus.

      • Em sites com muito javascript é melhor usar o safari aqui no mac, às vezes até o facebook trava o browser. Algumas vezes, as interfaces web de alguns roteadores também travam o browser, talvez o problema seja mais com os sites mal programados que o browser em si.

      • Exatamente. Os problemas são extensões e sites mal programados. Quase todos os dias tenho que parar o LastPass no braço porque ele entra num loop infinito e usa 100% de CPU.

        Além disso, eu sei que não é muito legal usar AdBlocker, mas tive que ativá-lo, e não foi por causa da propaganda em si ou da poluição visual, e sim por causa do abuso em termos de processador, rede e RAM.

    • O problema não deve ser o consumo de memória. Se o navegador consumir 100% da memória do PC, mas liberar memória sempre que necessário, não há nenhum mal nisso.

  12. Eu nunca achei que seria um erro da MS manter o IE nativo e padrão no Windows. O sistema é dela.. Ninguém reclama da calculadora, do notepad, visualizador de imagens, do media player, etc..

    • Recomendo você ler sobre a “Guerra dos Navegadores” que quase terminou com a Microsoft sendo dividida em duas empresas. Foi um caso gravíssimo de práticas ilegais e que culminou no fim do Netscape.

  13. Pra mim o grande problema está nos desenvolvedores, que utilizam APIs do
    Chrome para fazer algo especifico sem ao menos pensar na ideia do
    “cross-browser”, “progressive enhancement”, entre outros termos que
    sugiram.

    O Chrome é um software que é bem mantido, o time de
    core estão sempre ativos e às vezes implementam soluções até
    “drafitadas”, porém fica a cargo de outros browsers implementarem. Dai
    acontece a diversas formas de implementação de um recurso.

    Hoje, pra mim não existe mais essa de monopólio no “mercado de browsers”. Existem opções, cada um oferece o seu melhor.

Comente!