Testamos o OUYA, o primeiro console de videogame equipado com Android

0
386

ouya-review

Quando surgiram os primeiros devices Android, a comunidade ficou um tanto cética quanto ao seu possível sucesso. Hoje sabemos que o OS domina o mercado tanto de usuários iniciais quanto de avançados.


Com esse foco surgiu o OUYA, o primeiro videogame rodando OS mobile, em um formado de cubo extremamente pequeno (7cm cúbicos), que alcançou financiamento via Kickstarter (8.5 milhões de dólares) sendo o segundo projeto mais bem sucedido do site. Dentro da caixinha encontramos um Nvidia Tegra 3, CPD Quad-core 1.7 GHz, 8Gb de flash, saída HDMI e entrada USB e microUSB.

Feito para ser aberto, modificado e hackeado o OUYA recebe aplicativos Android via s OUYA Store, de maneira fácil e direta mas também via sideloading (transferindo o arquivo APK diretamente para dentro do aparelho e instalando manualmente), abrindo possibilidades para rodar apps não ‘homologadas’ para o OUYA.

Todos os games oficiais são grátis para teste, e alguns tem in-app pagos. Os maiores sucessos são os já famosos Towerfall, The Walking Dead, Sonic, Shadowgun, Final Fantasy III, Canabalt.

O controle é inspirado no do XBOX 360 com a adição de um pequeno touchscreen no meio para controle preciso em alguns games. Os 4 botões principais recebem as letras O U Y A. Podem ser usados controles de outros videogames conectados via bluetooth.

Para os fãs de emuladores o OUYA parece a melhor solução existente. Você pode jogar Mario, Zelda e afins em sua TV LED como nunca pensou antes. Entre os disponíveis estão os emuladores de NES, SNES, N64, Gameboy, MAME, etc.

Mas o mais interessantes são os jogos independentes que surgem para o OUYA desde os de gráficos 8bit para acender a chama da nostalgia até os de gráficos super detalhistas para competir com os games de última geração.

Aplicativos Android também são super úteis no OUYA, tal como gerenciadores de arquivos, Plex, XBMC, Tunein Radio.

OUYA tem potencial para se tornar um parceiro de seus momentos de diversão tranquilamente, com uma biblioteca de games e apps em constante crescimento e uma comunidade de entusiastas bem ativa, vale a pena explorar os cantos desse pequeno cubo Android.

Comente!