Um automóvel Google. Seria possível?

9
181

Ontem, o Renê Fraga revelou, com base em informações da BBC, que a Google tem, em seu Laboratório X, um programa de pesquisa e desenvolvimento de veículos elétricos.

Não é segredo para ninguém que a Google busca desenvolver novas tecnologias disruptivas, com vistas a mudar o mundo, ou, no mínimo, encontrar outros seguimentos de negócios lucrativos, com capacidade para tirá-la da armadilha de ser uma empresa essencialmente voltada à publicidade na Web.


Também não é segredo que a busca de carros elétricos eficientes tem sido uma das grandes pesquisas da atualidade, porque mudariam tanto a matriz energética da frota automobilística, substituindo-se os motores a explosão em veículos movidos a energia limpa. Neste campo, estão disputando, a Nissan, a General Motors, a Ford, a Toyota e uma empresa minúscula chamada Tesla Motors.

De todas as concorrentes, a que atingiu a mais festejada tecnologia na área foi a Tesla, com seus belos esportivos totalmente elétricos e com formas inovadoras de baterias, que poderão, um dia, ser levadas aos celulares.

Hoje, o Insider Monkey, um serviço de notícias, que provê informações direcionadas a investidores na Bolsa de Valores, sugeriu que a Google poderia vir a se interessar na compra da Tesla, onde já tem uma participação minoritária.

Sem dúvida, a compra da Tesla poderia dar à Google uma nova fonte de receita com uma empresa, que está crescendo muito. Além disso, poderia transformar a Tesla na primeira montadora a usar a sua tecnologia de veículos autônomos.

Sem dúvida, a Google tem dinheiro em caixa para comprar a Tesla e ainda fazê-la crescer. Mas a pergunta que se faz é: seria um bom negócio para a Google? Eu, particularmente, tenho minhas dúvidas, pelos seguintes motivos:

  1. a Google não tem experiência no setor automobilístico, que é muito diferente do foco atual da gigante das buscas;

  2. a Tesla está supervalorizada (em comparação, ela vale USD$ 12,41 bilhões e a mundialmente estabelecida Toyota, USD$ 191 bilhões);

  3. a tecnologia de caros autônomos poderia ser licenciada a várias montadoras, ficando a Google com os royalties e com as informações decorrentes do uso da tecnologia.

Assim, em que pese parecer que a Tesla, mais dia, menos dia, acabará vendida a uma corporação mais robusta, acho difícil que esta compra venha a ser feita pela Google.

De qualquer forma, seria interessante andar num veículo Google, não seria?

 

9 COMENTÁRIOS

  1. Iria durar muito, render muito e seria seguro. Se ela entrar nesse ramo vai vender muito!

  2. acredito que seria dificil dar sucesso a esse novo ramo que Google nunca trabalhou , mas nao seria imporssivel, google teria capacidade para isso.

  3. Para já apenas tenho  a dizer que discordo do Rômulo de Araújo Mendes, autor do post, quando ele afirma que a Tesla seria um mau negócio para a Google.
     
    Penso que seria excelente excelente a Google comprar a Tesla visto esta empresa ter um preço baixo comparado com outras empresas do setor. Ela poderia investir nesta marca, tendo em conta a força e conhecimento que esta tem, e permitir que essa empresa continuasse, quase independentemente, a trilhar o seu caminho. A única alteração seria no facto de a Google poder obrigar a Tesla a dotar os seus veículos de tecnologia Google e não a de seus concorrentes. Engenheiros Google passariam a trabalhar com engenheiros da Tesla e a investigar novas soluções de mobilidade, bem como na aposta por fontes de energia limpas e, acima de tudo renováveis.
     
    A Google poderia passar a ganhar não só no momento da venda dos veículos mas no momento posterior com a venda de serviços ligados à disponibilidade de comunicações integradas nas viaturas Tesla vendidas.
     
    Depois… se os concorrentes da Tesla quisessem consumir tecnologia Google teriam que pagar Royalties à Tesla, logo indiretamente à Google.

    • @ajisma apimentando ainda mais essa discussão, o Sergey Brin é fã da Tesla http://googlediscovery.com/2013/04/05/googlers-transformam-carro-de-sergey-brin-em-batmovel-rosa-no-dia-da-mentira/

Comente!