Google anuncia Projeto Loon: balões com acesso à internet

13
626

Com as tecnologias de direção autônoma e dos óculos inteligente (Google Glass) em fases mais avançadas de desenvolvimento, o Google X anunciou a chegada de um novo projeto que parece sair de contos de ficção científica: expandir o acesso à internet com o uso de balões.

De acordo com a gigante de Mountain View, o Projeto Loon tem sido desenvolvido para levar uma internet de alta velocidade a locais pouco acessíveis, principalmente em países do hemisfério sul que hoje apresentam uma infraestrutura cara e limitada.


Para que isso seja possível, o Google estuda construir um “anel de balões” que voarão ao redor do mundo utilizando somente as correntes de ventos estratosféricos. Uma comunicação com os balões, feita a partir de um centro de controle, irá mantê-los alinhados e próximos para oferecer uma cobertura ideal.

Já os usuários no solo, estes usarão uma antena especial para se conectar diretamente com os balões. De acordo com o Google, a internet será oferecida por provedores locais que também estariam conectados a rede computacional através de uma antena.

“Estamos nos primeiros dias, mas nós construímos um sistema que usa balões que são transportados pelo vento a altitudes duas vezes mais elevadas que os aviões comerciais que fornecem acesso a internet em velocidades semelhantes a redes 3G ou mais rápida”, publicou Mike Cassidy, Líder de Projeto.

O Google afirma que parte dos grandes desafios já tiveram suas soluções encontradas pela equipe responsável pelo Loon, incluindo o controle dos balões usando energia eólica e solar; e o gerenciamento da frota que será controlada por “algoritmos complexos e muito poder de computação”.

Os primeiros testes do Projeto Loon irão acontecer em Canterbury, na Nova Zelândia, e o buscador está convidando 50 moradores para experimentar a conectividade com os balões. A empresa divulgou ainda que 30 balões já foram soltos para os primeiros testes.

Abaixo, algumas fotos do lançamento dos balões:

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFacebook planeja serviço alternativo ao Google Reader
Próximo artigoAdSense completa dez anos de existência
é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks - empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

13 COMENTÁRIOS

  1. Vale lembrar que quando ele diz 3G, quer dizer tipo o 3G dos EUA. Que é bem mais rápido que o 3G do Brasil.

  2. Se depender do google, o mundo todo teria internet super rápida até 2020, mas, não é lucrativo pra muita gente, então…

  3. Hmmm, que ótimo, vou voar de balão pra acessar a internet ? ou vou voar para pdoer ver uma linda paisagem ….. google vai caçar patos, ou a samsung…

  4. Mais provável conseguir acessar a internet “via balão” do que conseguir o sinal 3G brasileiro. rsrsrs

  5. Leia a matéria e entenda o objetivo do projeto…
    Não são balões de “passeio” são pontos de acesso, para prover cobertura de internet aos locais que sobrevoam…

  6. Título da matéria mal escrito, da a entender que tem acesso a internet no balão, ao inves do balão ser o ponto de acesso]

Comente!