Google nega conhecimento sobre PRISM em comunicado do CEO Larry Page

google-garagem

O Google acaba de emitir um comunicado que afirma não ter conhecimento ou participação no programa de vigilância PRISM, que seria controlado pela Agência de Segurança Nacional (NSA) e pelo Escritório Federal de Investigação (FBI).


Leia o comunicado na íntegra (tradução do Google Discovery):

Caros usuários do Google

Você deve estar ciente de notícias que alegam que empresas de Internet têm se juntado a um programa secreto do governo dos EUA chamado PRISM para dar a Agência de Segurança Nacional acesso direto aos nossos servidores.

Como CEO do Google e diretor jurídico, eu queria que você tenha os fatos. Primeiro, nós não aderiramos a qualquer programa que daria ao governo dos EUA ou qualquer outro acesso governo direto de nossos servidores. Na verdade, o governo dos EUA não tem acesso direto ou “porta dos fundos” para as informações armazenadas em nossos centros de dados. Não tinhamos ouvido falar de um programa chamado PRISM até ontem.

Segundo, nós fornecemos os dados do usuário para os governos apenas de acordo com a lei. Nossa equipe de advogados analisa cada pedido e, frequentemente, nega quando as solicitações são excessivamente ampla ou não seguem o processo correto. Relatos da imprensa que sugerem que o Google está fornecendo acesso aberto aos dados dos nossos usuários são falsas. Até os fatos desta semana, nunca tinhamos ouvido falar de um tipo de ordem que a Verizon recebeu que parece ter exigido deles a entrega de milhões de registros de chamadas dos usuários. Ficamos muito surpresos ao saber que tais ordens amplas possam existir. Qualquer sugestão de que o Google está a divulgando informações sobre a atividade de Internet dos nossos usuários em tal escala é completamente falsa.

Finalmente, este episódio confirma o que temos acreditado há muito tempo – é preciso haver uma abordagem mais transparente. Google tem trabalhado duro, dentro dos limites das leis para ser aberto sobre as solicitações de dados que recebemos. Nós publicamos esta informação em nosso Relatório de Transparência sempre que possível. Fomos a primeira empresa a fazer isso. E, claro, entendemos que os governos dos EUA e outros precisam tomar medidas para proteger a segurança, incluindo, por vezes, usando a vigilância de seus cidadãos. Mas o nível de sigilo em torno dos procedimentos legais em vigor mina as liberdades que todos nós prezamos.

Postado por Larry Page, CEO e David Drummond, diretor jurídico

2 Replies to “Google nega conhecimento sobre PRISM em comunicado do CEO Larry Page

  1. E eu sou mico de circo. Pelo acordo que fizeram, o google é OBRIGADO a negar a existência do PRISM, afinal, senão não seria secreto.
    Patético.

Comente!