Novo Hangouts faz Gmail Call desaparecer

16
193

Lá atrás, em meados de 2009, o Google lançou um serviço chamado de Google Voice. Muito parecido com uma central telefônica pessoal, o serviço permitia que os usuários tivessem um número de telefone fixo, secretária eletrônica, uma espécie de “siga-me”, dentre outras regalias. Mas, como nós, brasileiros, já estamos acostumados, o serviço nunca chegou oficialmente aqui.

No entanto, em agosto de 2010, a empresa foi caridosa com as pessoas do restante do mundo e adicionou, ao Gmail, um serviço chamado de Gmail Call. Resumindo, de uma forma bem grotesca, o Gmail Call é uma versão totalmente capada do Google Voice. Apesar de ser uma versão super-mega-ultra simples do serviço original, o GCall levou, a um número muito maior de usuários, o baixíssimo custo que as chamadas nacionais e internacionais pelo serviço de VoIP do Google tem.


Desde então, tenho mantido sempre crédito no serviço para fazer chamadas. Afinal, o valor é muito, muito baixo mesmo. Uma ligação para qualquer telefone do Brasil (exceto RJ, BH e SP) custa US$ 0,03 (algo como R$ 0,06) o minuto. Para as três capitais, o valor capota para US$ 0,02 (R$ 0,04). Ligações para qualquer telefone celular do Brasil custa só US$ 0,15 (ou R$ 0,30), preço que não é praticado por nenhuma operadora nacional em um plano pré.

Ocorre que, com o lançamento do Hangouts na semana passada, os usuários que optarem por testar o novo IM do Google integrado ao Gmail simplesmente perderá o acesso ao discador do Gmail Call. Sim, pura e simplesmente o usuário não mais poderá fazer chamadas de voz por dentro do Gmail, a menos que, é claro, volte para a versão antiga (muito mais leve, simpática e minimalista) do Gtalk. Antes que ele seja descontinuado pelo Google, é claro.

Uma outra saída, bem mais complicada, é o usuário acessar o Google+, iniciar um hangout e, em vez de convidar algum contato ou círculo, utilizar a opção de convidar alguém para participar via telefone. No final das contas, o efeito será o mesmo e o valor da chamada será descontado do saldo da conta do usuário.

hangouts_gmail_call

Confesso que o único motivo que me fez realmente gostar muito do novo Hangouts foi o fato de eu poder me comunicar com os meus amigos através de qualquer plataforma que eu esteja usando. Seja através do navegador (dentro do Gmail ou Google), tablet com iOS ou celular com Android, posso manter contato com todos eles sem problema.

Mas, no mais, o novo bate-papo não tem me agradado muito. Ele é muito mais pesado que o Gtalk, tem uns bonequinhos muito feios, simplesmente eliminou de vez o bate-papo por vídeo super leve que o serviço anterior tinha, além de ter matado o Gmail Call, assunto foco deste post.

Sinceramente, espero que o Google analise, com muita calma e atenção, todos os feedbacks enviados pelos usuários e tente, na medida do possível, aperfeiçoar o novo bate-papo. A integração entre as plataformas é incrível, mas ainda há muita coisa a ser melhorada.

Atualização: de acordo com Nikhyl Singhal, um dos funcionários do Google responsáveis pelo Hangouts, o serviço ainda não possibilita que o usuário faça ou receba chamadas telefônicas, mas que a empresa está “trabalhando duro” para resolver esse problema o mais brevemente possível. Além disso, Singhal afirma que o Hangouts foi “projetado para ser o futuro do Google Voice” e que a possibilidade de se realizar e receber chamadas telefônicas “é apenas o começo”, afirmando que futuras versões do Hangouts terão a integração com o Google Voice aperfeiçoadas.

Agora, só resta sentar e esperar…

16 COMENTÁRIOS

    • @roxanabravo eu concordo com isso. Eu gosto muito do Google Talk pois é um aplicativo para Windows e não para Google Chrome. A diferença é que o Talk fica com o ícone no ambiente do Win7 quando afixado na barra de tarefas mas o Hangouts não. Quando afixado fica com o ícone do Chrome (foleiro pah!).
      Porém ainda falta algumas melhorias no Hangouts para ele ser alternativa ao Talk.

  1. Eu gostaria imenso que o Hangouts passasse a possuir lista de contactos por status (online, invisível, ausente e ocupado), tal como acontece com um verdadeiro mensageiro. Acredito que o Hangouts possa vir a ser algo muito bom se o Google assim quiser. A ideia de concentrar as diversas aplicações de papo que possuem a isso permite.

  2. Dois recursos que não gostei tanto no Hangouts:
     
    – Mostrar até onde a pessoa leu: Esse recurso é bom, porém, dependendo do momento e do uso do aplicativo, isso pode fazer com que comece a existir em algumas conversas uma “pressão” para responder imediatamente as mensagens, pois quem as enviou perceberá que elas já foram lidas.
     
    – Não exibir quem está online: A ideia foi boa, porém poderia ser personalizável. Por exemplo, poderia existir um grupo de contatos que sempre conseguiria ver o seu status. Faço exatamente isso no Facebook; tenho uma lista de contatos que é a única que teu autorização para ver se estou online no chat.

    • @Edton Martins com certeza que seria uma ideia boa esse ponto 2 mas isso já existia no anterior mensageiro do Google+. Agora acontece que podes fazer algo parecido que não entendi bem a sua função porém acredito que tem que ver com poder iniciar um diálogo contigo automaticamente ou não. Quem pode iniciar está num círculo e quem não poder está noutro. Mas preferia a opção anterior.
       
      O ponto 1 já é outro assunto. Eu não creio que haja uma pressão para responder por sabermos que a pessoa já leu a última fala. O computador pode estar ligado e a pessoa nem estar perto. Se tiver a aplicação do Chrome ele automaticamente irá mostrar a mensagem e depois ela surge como lida. Neste quesito acredito que a existência de status poderia ser uma coisa boa.
       
      Já agora, no que diz respeito aos status, deveria ser possível aparecer sempre para um ou mais círculos ausente, para outros círculo offline, para outros ocupado e, ainda, para outros online.

      • @ajisma  Realmente o ponto 1 pode ser um problema que eu esteja criando sem necessidade. Talvez isso seja por causa da minha aversão aos e-mails excessivos com pedido de confirmação de leitura.
         
        Sobre o ponto 2, o mais próximo que cheguei a encontrar foi uma informação sobre os Grupos de Hangouts, mas não me ajudou na questão do status [https://support.google.com/plus/answer/1215273?hl=pt-BR&ref_topic=3008151].
         
        Depois que li seu comentário sobre o status, fiquei pensando qual será o impacto dessa mudança no ambiente corporativo. Não sei se no Google Apps foi também realizada essa alteração.

  3. E o tamanho do aplicativo para Android? 21 MB! Infelizmente isso é muito para apenas um bate-papo nos celulares com Android mais baratos como o Galaxy Y que minha namorada tem, que mal cabe o Facebook com seus 35 MB (metade do aplicativo, metade de dados, que é onde acho que mora o problema do Facebook, que ainda por cima não aceita ir pro cartão de memória), mas que pelo menos tem muitas outras funções. Um detalhe interessante é o app do Google+, que antes era enorme, agora só tem 6 MB e roda muito bem, a prova de que é possível aplicativos não tão gastadores de espaço. O desempenho é outra coisa que caminha junto, tanto o Facebook quanto o Hangouts não rodam muito bem em celulares mais baratos.

    • @Ibraim só para falar que a APP do Google+ para Android versão 2.3.3 tem 9,4 MB e não os referidos 6 MB. É claro que mesmo assim é uma versão com um tamanho pequeno porém ao transferir o conteúdo, deveria ter a opção de transferir numa versão em que as imagens perdessem um pouco a qualidade de forma a serem mais pequenas, ocupando menos memória. O defeito dos smartphones Android é não utilizarem a memória do cartão, também, como memória virtual permitindo que o armazenamento dos conteúdos gerados online para as aplicações fosse transferido automaticamente ou por escolha do utilizador, para a memória do cartão SD quando presente no dispositivo.

      • @ajisma E só pra concordar e também me corrigir, após instalado e utilizado o app do Google+ ficou com 17,62 MB (16,27 da aplicação e 1,35 dos dados), enquanto que no Play a promessa seria dos 9,40 MB. Fico pensando e tentando descobrir de onde mesmo que tirei os 6 MB, rere.

Comente!