Google esclarece oposição a parceria entre Acer e Alibaba

Embora a história entre Acer e Alibaba já tenha alimentado dezenas de artigos pela web, o jornal Wall Street Journal recebeu somente hoje um esclarecimento do Google sobre o assunto.

Um porta-voz afirmou que o buscador contestou o dispositivo da Acer porque o Aliyun é uma versão “não-compatível” do Android, o que significa que o Alibaba supostamente teria criado o software a partir do Android e feito alterações não permitidas.


Em seu comunicado, o Google disse que Acer – assim como outros fabricantes de hardware que utilizam o Android para dispositivos móveis – estão “empenhados em construir uma plataforma Android e não para produzir dispositivos não-compatíveis.”

Em resposta as declarações da gigante de Mountain View, John Spelich, vice-presidente do Alibaba para assuntos corporativos internacionais, disse que o “Aliyun OS não é parte do ecossistema Android então não tem que ser compatível”.

Spelich ainda acrescentou: “É irônico uma empresa que fala livremente sobre abertura e está defendendo um ecossistema fechado.”

Consultado novamente pelo WSJ, um executivo do Google, que não foi identificado pela reportagem, fez um segundo comentário sobre a questão:

“Compatibilidade está no coração do ecossistema Android e garante uma experiência consistente para desenvolvedores, fabricantes e consumidores”, disse o porta-voz. “Versões não compatíveis do Android, como Aliyun, enfraquecem o ecossistema.”

Atualização: Andy Rubin, executivo responsável pelo Android, emitiu uma nota através de seu perfil no Google+:

“Ficamos surpresos ao ler uma declaração de Zeng Ming, Chefe de Estratégia da Alibaba, que diz: “queremos ser o Android da China”, quando na verdade o sistema operacional Aliyun incorpora o runtime do Android e aparentemente foi derivado do Android.

Com base em nossa análise dos aplicativos disponíveis em http://apps.aliyun.com, a plataforma tenta, mas não consegue ser compatível.

É fácil ser um Android compatível, a OHA fornece todas as ferramentas e detalhes sobre como fazê-lo. Confira neste blog como pensamos sobre compatibilidade e como se relaciona com o ecossistema que trabalhamos duro para construir”.

Atualização 2: Andy Rubin fez um novo comentário no Google+:

“Hey John Spelich, nós concordamos que o Aliyun OS não é parte do ecossistema Android e você está sob nenhuma obrigação de ser compatível.

No entanto, o fato é que o runtime do Aliyun usa a estrutura e ferramentas do Android. E a sua loja de aplicativos contém apps do Android (incluindo aplicativos piratas do Google). Então não há realmente nenhuma dúvida de que Aliyun é baseado na plataforma Android e tira proveito de todo o trabalho duro que fizemos na plataforma pela OHA.

Então, se você quiser se beneficiar do ecossistema Android, pode fazer a escolha de ser compatível. É fácil, grátis, e nós vamos ajudá-lo. Mas se você não quiser ser compatível, então não espere ajuda de membros da OHA que estão todos trabalhando para apoiar e construir um ecossistema Android unificado”.

46 Replies to “Google esclarece oposição a parceria entre Acer e Alibaba

    1.  @Luandersonn simples, a Acer faz parte da Open Handset Alliance e não pode produzir um aparelho Android incompatível.

        1.  @Luandersonn  O Android é livre e continuará sendo. O Alibaba também está livre para usar o Android a vontade desde que não envolva membros da Open Handset Alliance.  O Google, neste caso, apenas cobrou da Acer um respeito ao acordo. 

        2.  @Luandersonn É uma pergunta sem resposta. Em nenhum momento o Google foi contraditório no motivo da oposição entre as duas empresas.

    2.  @Luandersonn até aqui Luanderson? KKKKKKK
      e_e
      A Google apenas defendeu seus interesses, e o acordo entre as empresas em relação ao Android.
      Não é nenhuma conspiração mundial contra os usuários.

      1.  @RoodriggoDell
         Não só aqui, em qualquer lugar :P
         
        Contra os usuários não, contra a concorrencia, que afeta os usuários. Mas sinceramente não fico mais surpreso, depois daquele caso que comentamos no Google+.

    3.  @Luandersonn Olha, não vou repetir o que já comentaram aqui, mas para mim, demorar tanto tempo para informar a posição, significa que a google esta pensando o que falar. 
      Tizen não agrega nada ao Android por exemplo. A ideia desse SO tem a ver com informações nas nuvens, o que sempre dá alguma “briga”(vide Microsoft e OnLive) e prejudica algo muito importante para a Google, que são os dados. Além disso, ele seria vendido no mesmo modelo do resto do mundo, só que com Android, se a Samsung lança um GS3 com WP8 e ele vende muito bem, é muito prejudicial para o Android por exemplo.
      Não estou falando que é por isso, apenas que é mais crível do que as alegações delas.

  1. Perae! Como assim “alterações não permitidas” ?? O Android não é Open? Que palhaçada é esta?

    1.  @vortecbr a Acer faz parte Open Handset Alliance e precisa trabalhar com o Android sempre compatível com o ecossistema.

      1.  @renefraga Isso não cola! O fato de haver o compromisso por parte da Acer não pode excluí-la da liberdade de modificar o sistema como quiser, senão não é uma aliança, é um clube de capachos do Google que existe apenas para fazer sua vontade. Uma coisa não exclui a outra, esta desculpa é balela!

        1.  @vortecbr Acabamos de atualizar o post com o Andy Rubin comentando que o Aliyun incorpora o runtime do Android mas não tem suporte a nenhum aplicativo da plataforma. A Acer, como integrante da Open Handset Alliance, sabe que não pode fazer parte desse tipo de projeto. Quanto a Alibaba, se ela arrumar um outro parceiro que fabrique o aparelho, o Google não terá como intervir.

        2.  @renefraga  Me desculpa, mas ainda assim este argumento é fraco. Esta aliança deve ser um grupo de empresas próximas que o Google deve exercer influência extrema, pra não dizer outra coisa. Este ato vai contra a essência do open source, do free software, da liberdade que o Google tanto prega. Se é livre, é LIVRE e ponto final!! 

        3.  @vortecbr  Essa aliança é formada por empresas que mostraram interesse em contribuir com o desenvolvimento Android. A plataforma é livre, assim como a Amazon trabalha em seu tablet. E assim como a Alibaba também pode fazer sem qualquer problema.

        4.  @vortecbr  Acho justo o argumento do Google mas errado nas ações, o Google é uma empresa capitalista e não uma instituição de caridade, e não tem nenhuma obrigação com o software livre, apesar de usufruir de projetos do mesmo.

        5.  @Luandersonn Não acho justo não, o Google utiliza software livre em praticamente todo o Android, depois cria uma “aliança”, coloca os principais players nela e os proíbe de fazer qualquer mudança em seu código que não esteja em sua cartilha! Isso é constrangimento ilegal! Aí você pode dizer: Mas ninguém é obrigado a entrar na aliança! Mas advinha quem são os maiores beneficiados pelo Google? Quem tem acesso antecipado ao código e aos produtos? (como já foi vazado no caso da Motorola). O Google usa software criado por milhares de desenvolvedores de todo mundo e “os vende” para os membros da aliança. O custo? Não poder fazer nada que o Google não permita!! Empresa cretina do cacete! Se traveste de bonzinha mas é pior que a M$!!!

        6.  @vortecbr
           Bom, eu resumo que não há empresa boazinha, todas são capitalistas logo vão “fazer tudo” para ganhar dinheiro, o Google não é diferente.
           
          Obviamente NÃO GOSTEI nenhum pouco de saber dessa noticia, pois é um ataque contra a concorrência.

        7.  @vortecbr  @Luandersonn Você está criando uma história que não é verídica. A Open Handset Alliance foi criada em 2007, exatamente no momento que o Android começou a ser entregue as fabricantes, todas elas se comprometeram a desenvolver o ecossistema.  
           
          O Android tem código-livre mas não foi criado por “milhares de desenvolvedores de todo mundo”. Amigo, recomendo que leia um pouco mais sobre a história do Android, incluindo suas licenças de uso.
           
          Ah, já vou lhe adiantar, o Firefox segue a mesma “abertura” do Android. Não se assuste. :)

        8.  @renefraga 
          Empresa X quer lançar um smartphone na China
          Google não quer, caso contrário irá perder as parcerias.
          Empresa X desiste de lançar o smartphone.
           
          Ou seja, Google está garantindo nenhum concorrente em potencial do Android.

        9.  @renefraga  @vortecbr  @Luandersonn Rene Fraga, você não me conhece, portanto, não me mande estudar o assunto. Tenho mais conhecimento nesta área do que você provavelmente terá em todo sua vida. Tenho pelo menos o dobro de sua experiência nesta indústria e sei o que estou dizendo, estou aqui como independente, não como secretária do Google que você se tornou na internet brasileira. Esta sua posição parcial (mesmo sendo um blog sobre o Google) é ridícula e você não conseguirá um emprego no Google por causa disto (isto eu posso lhe garantir) . Você já se tornou uma piada na internet brasileira por defender o Google como se fosse o maior acionista desta empresa. Cresça criança, seja independente,  tenha opinião, seu blog será mais acessado e bem mais respeitado. Hoje, ele é apenas uma central de propaganda do Google. 

        10.  @Luandersonn Se a Alibaba arrumar o software para ficar compatível, o lançamento poderá ser feito sem problemas.  A Acer iria perder a parceria devido ao compromisso que ela tem com o Android.
           
          “Google está garantindo nenhum concorrente em potencial do Android” Sério que você escreveu isso? Na China estão todos os grandes fabricantes, Samsung, HTC, Nokia, LG, Asus e a maior parte com suas linhas com Windows Phone.

        11.  @vortecbr  @Luandersonn  Obrigado por seu comentário! Felizmente tudo que eu falei está registrado nos 6 anos de existência desse blog e pode ser pesquisado até mesmo na internet em geral. Se você acha que eu falei algo errado, cite fontes! Uma discussão legal é formada por ideias, desde que essas sejam realmente verídicas e não suposições. Abs!

        12.  @renefraga  @vortecbr  @Luandersonn Ok, desafio aceito. Como você explica a extorsão imposta pelo Google sob a Motorola (antes da aquisição, é claro) sobre o uso dos mapas da Skyhook? A Motorola já havia fechado um belo acordo financeiro com a Skyhoo para substituir os mapas do Google pelos da Skyhook, e o Google “pediu” para Motorola não fazê-lo, sob pena de puní-la por mudar algo que em tese seria livre? WTF??? Será que este processo ajudou o Google a tomar a decisão para adquirir a Motorola?
          http://www.gizmodo.com.br/caso-skyhook-escancara-a-mao-pesada-do-google-em-relacao-ao-android/http://www.engadget.com/2010/09/17/skyhook-google-forced-motorola-to-drop-our-location-service-de/Obs: Tem centenas de mensagens trocadas via e-mail entre o Google e a Motorola que corrobora as acusações, devem ir a julgamento ano que vem.

        13.  @vortecbr essa é uma questão delicada pois a Skyhook já teve o Google e Apple como clientes e ambas cancelaram o contrato. Também não é possível saber desde quando o Google já tinha planos para adquirir a Motorola e se isso pode ter influenciado numa “interferência corporativa”. Se o caso vai a julgamento, sabemos a razão em breve. Qualquer coisa neste momento é especulativa. 

        14.  @renefraga Questão delicada? Você está mais para PR do Google! Temos centenas de mensagens de e-mail do Google para Motorola ameaçando, sim, ameaçando a Motorola para não usar o software de geolocalização da Skyhook, estas mensagens estão disponíveis na internet!  O fato é que este é o mundo “open” do Android? Este é o mundo “open” do Google? Onde só é aberto quando convém ao Google? O Google é uma empresa que visa lucro e tem todo direito de fazer o que quiser com seus produtos, mas por favor, não venha com hipocrisia! Não diga que é open! Não diga que é livre! Não diga que pode ser customizado ao sabor do freguês! Por que isso é uma mentira.!

        15.  @vortecbr Se o caso está na justiça, é algo delicado pois não temos acesso a provas e defesas. Como disse no post anterior, é puramente especulativo. Quanto ao Android, não vejo qualquer ligação já que aparenta ser um caso de intervenção corporativa já que o Google comprou a Motorola em seguida e tinha cancelado o contrato com a Skyhook há pouco tempo.

  2. Vou por mais lenha na fugueira rsrsrs.
    E quanto a parceria da ZTE com a Mozilla na criação do Firefox OS nele tem componentes do Android porem ele não vai ter compatibilidade com o mesmo.
    Por que a Google não meteu o pau na ZTE ela também e membro da OHA.

    1.  @gontijobh a Mozilla disse recentemente que ela praticamente zerou o número de componentes que ela usava do Android. 

      1.  @renefraga Ela não eliminou totalmente a base, ainda é do Android, ela roda o Gecko em cima dessa base, a Mozzila não esta nem ai ela não faz parte da OHA, eu falo por que a Google não fez a mesma pressão em cima da ZTE e da Telefonica que fazem parte da “Aliança” e estão apoiando um projeto com base Android porem incompatível.
        Vou responder por que rsrsrs, eles tem uma “Aliança” com a Mozilla de anos que o motor de busca  padrão do Firefox é o deles, e o objetivo do Firefox OS não é competir com o Android, e sim dar uma opção low-end de smartphone.
        Mais mesmo assim não gosto de empresas que tem respostas diferentes para os mesmos assuntos. 

        1.  @gontijobh Acho que vale complementar que ambos os sistemas são completamente diferentes. O Firefox OS, por sua natureza voltada para a web, tem um foco bem diferente do Aliyun. Outra coisa é ver até onde vai o acordo fechado pelas empresas no Open Handset Alliance.

    2.  @gontijobh O Google quer usar software livre quando lhe convém, sair falando pra todo mundo que o Android é livre coisa e tal, mas quando alguém quer realmente “testar” a liberdade do android, recebe a paulada…ele é livre..só que não.

      1.  @vortecbr  @gontijobh o maior exemplo é a Amazon. O Android é totalmente sem conexão com o Google. Você mesmo pode baixar e usar, talvez num robô, não sei.

        1.  @renefraga  @gontijobh Só não pode ser membro da “aliança” , de fato, só sobrou a Amazon. Ou seja, a empresa deve escolher, ser membro da aliança e participar do “círculo de confiança” e fazer apenas o que o Google determina, ou ficar de fora para pode usar o código como queira. Ou você está na aliança, ou está contra o Google! Que beleza não? Pura demonstração do open source!

  3.  @renefraga gostaria que olhasses para o português deste parágrafo «Um porta-voz afirmou que o buscador contestou o dispositivo da Acer porque o Aliyun é uma versão “não-compatível” do Android, o que significa que o Alibaba supostamente criado criado o software a partir do Android e feito alterações não permitidas.» e visses se te faz sentido. Acho que em vez do «criado criado» deveria surgir «teria criado».

      1.  @renefraga de nada. Gosto de ver as coisas bem escritas, principalmente quando o conteúdo é bom e a pessoa tem a preocupação de escrever português de forma correta, então eu dou um alô para a pessoa poder corrigir. Abraço!

  4. Eu sou fã, mas não fanboy do Android, ou seja, não fico defendendo a plataforma a qualquer custo, e estou decepcionado. Se o desenvolvedor da Google se ativesse à questão das Google Apps sendo utilizadas indevidamente, e da Acer por fazer parte da tal aliança, nenhum problema, mas ele claramente está fazendo pressão contra a Alibaba, e não só contra a Acer, por “fazer uso do Android runtime, framework e ferramentas”, runtime, framework e ferramentas estas que eu pensei que eram open-source. São, mas pelo jeito só da boca pra fora mesmo. Continuo preferindo Android por ser melhor, rodar em mais diferentes dispositivos, e contar com distribuições “independentes” como CyanogenMod, mas são vários pontos a menos, e uma vontade crescente de ver o que o Firefox OS vai ter pra oferecer.   

    1.  @mugnatto acho que não entendeste o problema. Passo a explicar: o problema aqui não é legal. Aqui o problema é de lógica. O Android não está contra o Aliyun mas sim contra a não compatibilidade a 100%, ou seja, num equipamento que tem Android instalado seria possível instalar Aliyun e vice-versa. É isso que o Android pretende com o “se você quiser se beneficiar do ecossistema Android, pode fazer a escolha de ser compatível.”. Será que deu para entender?

      1.  @ajisma Entendi sim, pura ameaça. Eu quero mais é que existam Kindle Fires e Aliyuns. Concordo em defender o NOME Android, e o Alyiun não se diz um Android, então esta pressão da Google não está certa. O consumidor que quiser comprar um não-Android que compre, sabendo que não será 100% compatível. Essa desculpa esfarrapada da Google não cola. Ela está é pressionando mesmo, para deter o controle sobre algo que se dizia “aberto”. Ficou igual aos concorrentes, Windows Phone e Apple, só que, como todos sabem, com a adição de muito mais bugs e fragmentação. Agora sim eu penso em comprar um Windows Phone, não vejo mais motivo para não fazê-lo, afinal não sigo a religião do Android, admirava-o porque pensava que fosse open source.    

        1.  @mugnatto não sabes o que quer dizer Open Source. Isto apenas quer dizer que todo o mundo pode ver e usar o código. Isso não quer dizer que, por ser Open Source, queremos que produto seja desfragmentado em outros subprodutos perdendo a força. O que se pretende é que as empresas que criem equipamentos móveis continuem a utilizar o Android como software base para seus equipamentos. Por exemplo, a Samsung é muito diferente da Sony Ericsson, no que diz respeito à sua apresentação gráfica, porém a base é toda igual e é isso que o Android pretende que se mantenha.
           
          Com o Aliyun apenas se deve inovar na medida mais gráfica da coisa, podendo fornecer de forma nativa mais funcionalidades, como por exemplo, a melhoria nos perfis de toques e também a possibilidade nativa de escolher onde quer que as aplicações sejam instaladas (memória interna ou SDcard) que são exclusivamente o pouco que me irrita no meu Samsung Galaxy Gio. De resto penso ser um equipamento perfeito ou quase.

Comente!