Google refuta dados da ComScore sobre Google+

De acordo com um relatório recente da ComScore, os usuários do Facebook seriam aqueles que mais tempo passam dentro da rede social, chegando a 405 minutos gastos por usuário. O Twitter, por outro lado, teria uma média de 21 minutos, e o Google+, a pior colocação: apenas 3 minutos.

Em entrevista ao The Wall Street Journal, Bradley Horowitz, diretor de gestão de produtos da Google, disse que o Google+ foi projetado para ser mais do que um destino da web e, como resultado, é “extremamente difícil para qualquer [outra empresa] avaliá-lo”.


“O Google+ atua como um auxiliar para os serviços Google — como o Gmail e o site de vídeos YouTube — ao adicionar uma camada de rede social ‘pessoal’ sobre eles”, explicou o executivo.

Horowitz, porém, se recusou a dar dados sobre quanto tempo as pessoas gastam no Google+, mas disse que “estamos crescendo com base em todas as métricas que importam para a empresa”. Uma porta-voz da Google disse que os dados da comScore são “drasticamente inferiores” aos dados internos da Google.

20 Replies to “Google refuta dados da ComScore sobre Google+

  1. Refutar os dados da ComScore é fácil – difícil mesmo é revelar os dados reais, de acordo com o Horowitz. A discussão no Google+ gerou frutos. 
     
    Gosto muito do Google+, e entendo, bem como poucas pessoas, que ele não deva se comportar como qualquer outra rede social por ser uma extensão pública dos serviços da Google. Mas as pessoas não entendem isso. Talvez deva ser esse o foco do pessoal de marketing da gigante.

    1.  @WilliamBastos não há uma razão para o Google se preocupar em divulgar números oficiais. O Google+ não vive de publicidade e não existe qualquer necessidade de dar feedback aos anunciantes.

      1.  @renefraga Como vieram a público dizer que este fiasco chamado Google+ (sim, fiasco, que só serviu para estragar ótimos serviços como Reader), deveriam ter mostrado os supostos reais números.O Google apostou alto no Google+, centralizando nele todos os seus serviços, porém está perdendo a aposta. O pessoal que conheço está preferindo abandonar recursos que utilizada do que continuar utilizando-os no Google+.

        1.  @marciosilveira atualmente o Google+ (com 9 meses) é o site social com o crescimento mais rápido já monitorado na internet. Lembro quando o Facebook e Twitter estavam caminhando em seus poucos meses e as pessoas comentavam que ambas as redes iriam não vingar já que o MySpace era o líder das redes sociais e o Twitter era tão nerd que somente ficaria nas mãos dos entusiastas da internet. A internet muda mais rápido do que você pode imaginar.

        2.  @renefraga  @marciosilveira 
           
          Google+ não tem conteúdo. Sou desenvolvedor, que possui quase apenas nerds nos círculos e ninguém posta nada lá, a não ser via +1 do Reader. Pode até ser que seja a rede que cresceu mais rápido, mas e as estatísticas sobre os usuários ativos? Quantos por cento ainda o são? E mesmo assim, o Google está mascarando isso, integrando o Google+ com Reader, Picasa, etc. Eu mesmo seria considerado um usuário ativo porque compartilhei fotos lá, quando na verdade só queria hospedá-las em algum lugar, que sempre foi o Picasa. O mesmo vale para os amigos que compartilham artigos do Reader. Contando aqui, se eu tirar esses dois tipos de compartilhamento, o Google+, com aproximadamente 100 pessoas nos meus círculos, gerou incríveis 6 posts até hoje. E olha que me cadastrei quando era necessário convite.
          Estou para ver que mudança é essa que vai acontecer na internet para que o Google+ seja tão bem sucedido.

        3.  @marciosilveira É meu caro, você definitivamente precisa dar uma reciclada nos seus círculos. Tenho muita atividade na stream e vejo no mínimo uns 10 posts incríveis por dia.
          Sou desenvolvedor tambem e ganho muita ajuda do meu círculo de Gurus e ter a compania desse pessoal só melhora meus resultados de busca trazendo recomendações de profissionais na minha busca.
           
          A Internet é o que você faz dela, ou o que os otimistas fazem dela enquanto você reclama.

        4.  @marciosilveira Não acho que seja um fiasco, com centenas de milhares de inscrições por dia, prévia de quase 400 milhões de usuários até o final do ano… A não ser que eu tenha perdido o sentido de fiasco…

        5.  @marciosilveira Tenho apenas 77 pesoas nos meus círculos, todo dia vejo pelo menos umas 20 postagens, já substituí inclusive o twitter como rede de notícias…

        6.  @marciosilveira o engraçado desta história é que vocês mesmos diziam isso do livro das caras. O Orkutchi é que é e tal… e agora vê-se. Quem conhece a Internet sabe bem que as mudanças acontecem, muitas vezes de forma rápida e brusca, sem explicação aparente.
           
          Agora pensa nisso.

        7.  @mrmauricioleite Nossa, pareceu post do Jesus Dias no Gizmodo. Passa teu endereço no Google+ para vermos o nível de “incrividibilidade” dos teus contatos.

        8.  @mrmauricioleite Por favor, coloque cinco dos dez posts incríveis de hoje(ou de ontem). Vamos ver que mundo incrível é esse que o Google+ lhe proporciona. 
           
          Sobre a questão do otimismo: enquanto você está sendo otimista em achar coisas interessantes de Gurus no Google+, eu prefiro gastar meu tempo procurando conhecimento nos locais onde ele estão. Com tantos locais para aprender desenvolvimento, utilizar o Google+ nada mais é que mostrar falta de preparo para lidar com a questão tempo disponível x quantidade nova de aprendizado.
           
          Ou não né, afinal você vai mostrar os posts incríveis que saem todo dia e fazer eu me calar.

      2.  @renefraga Ué, o Google divulgava números do + constantemente, se parou é porque estagnou.

        1. Eu imagino que não, @renefraga , mas não sei se as coisas seriam as mesmas se o Google+ fosse um estrondoso sucesso. @marciosilveira eu discordo quando você diz que o Google+ não tem conteúdo… Porque o meu stream nunca para. 
           
          Uma dúvida sincera, o Google+ ainda é a rede social (porque inegavelmente é uma rede social) com crescimento mais rápido da Internet, mesmo com essa arrancada do Pinterest? Ok, eles possuem propostas diferentes, mas são do mesmo tipo: compartilhamento de conteúdo, com todas as diferenças entre eles. Como anda essa comparação, esquecendo completamente os dados da ComScore?

  2. Bem… Quem sou eu para discutir sobre números. Mas por mais que a Google negue, ele foi criado para combater o Facebook. Algo que, a meu ver, ainda não surtiu efeito. Pode ser que no futuro as pessoas comecem a utilizar mais o Google+. Vejam os exemplos acima: “…10 posts incríveis por dia…”, “…pelo menos umas 20 postagens…”. Seriam esses números exemplos de sucesso? Acho o Google+ muito melhor do que o Facebook… Mas daí a ser um estrondoso sucesso vai uma distância enorme.

    1.  @JorgeLuisRodrigues vale lembrar que você está comparando um produto de 9 meses contra uma rede social de 7 anos. Aliás, se pudéssemos voltar no tempo, o Facebook seria menor do que o Google+ é hoje.

      1.  @renefraga Concordo com isso… O problema, a meu ver, é que as pessoas entram no Google+ e não voltam.. Ou ficam pouco tempo. Exemplo o tempo médio que as pessoas ficam no Google+ , 3 minutos, de acordo com o Relatório. Lembro-me que o Facebook demorou para estourar aqui no Brasil… Depois, a história todos conhecem… Sempre que estou no Facebook, peço para as pessoas irem para o Google+… Sem resultado.. Ainda.

      2.  @renefraga  @JorgeLuisRodrigues “Aliás, se pudéssemos voltar no tempo, o Facebook seria menor do que o Google+ é hoje.”
         
        Se pudéssemos voltar no tempo, o Google+ não existiria, pois o Google só criou essa rede para conter o crescimento do Facebook.

  3. O Google adora falar nos números de sua rede social que nos enfiaram goela abaixo mas não falam nada sobre o tempo gasto nestas redes sociais. O Google chegou tarde na guerra das redes sociais e as pessoas simplesmente não tem mais saco para aprender um novo sistema que faz pouco mais que o Facebook faz.

  4. Para mim está muito claro que o Google + é muito superior ao Facebook, porém, a maioria das pessoas ainda não conhece, ou sequer ouviu falar. Falta colocar esses comerciais criados para a internet na Globo, na hora do Jornal Nacional, da Novela e patrocinar o Domingão do Faustão… entre outras formas de promoção fora da internet. Enquanto a Google espera “sentada” os internautas “descobrirem” o serviço, o Facebook multiplica seus usuários.

Deixe uma resposta para marciosilveira Cancelar resposta