Buscapé entra com representação contra o Google Shopping

De acordo com o caderno ‘Economia & Negócios’, do Estadão, o Buscapé anunciou, nesta última terça-feira (20), que entrou como uma representação no Ministério da Justiça contra o Google.

O site de comparação de preços alega estar envolvido em prática discriminatória ao afirmar que o serviço do Google Shopping, lançado há poucos meses, estaria sendo privilegiado pelo buscador.


Entre os questionamentos do Buscapé estão a integração de “destaques atraentes” nos resultados de pesquisas e uma “posição privilegiada” do Google Shopping nas buscas orgânicas.

Em resposta ao contato do Estadão, a assessoria de imprensa do Google disse não ter sido notificada e que não tem conhecimento de qualquer processo nessa área.

Dica do leitor Renato Souza.

14 Replies to “Buscapé entra com representação contra o Google Shopping

    1. Exatamente. O serviço Google é particular. Portanto, eles podem privilegiar quem eles quiserem nas pesquisas. É cada uma que a gente vê, viu?
      Quando não se tem competência para lutar, se apela pra essas coisas absurdas…
      Como se o Buscapé também não privilegiasse resultados de algumas empresas em detrimento de outras…

      1. Hmmm, não é bem assim não. A Microsoft pagou uma multa bilionária na Europa por privilegiar o Internet Explorer e o Google também foi investigado para descobrir se ele privilegiava seus serviços na busca orgânica ou não. Competição desleal ou algo assim o nome disso. =P

    2. Michel,
      A nenhum fornecedor é dado privilegiar suas próprias buscas, em detrimento das buscas de seus concorrentes, sob pena de violar, não apenas os direitos dos concorrentes, como também os dos próprios consumidores. A geração de monopólios é pernicioso a todos, inclusive ao próprio fornecedor monopolista, que deixa de inovar, por não encontrar competidores à sua altura. Várias grandes empresas e produtos se perderam no tempo, em função de sua condição de monopólio.
      Não estou a dizer que o Google está fazendo isso, porque depende de prova. No entanto, esta prática deve sempre ser combatida, seja qual for a empresa que, eventualmente, esteja praticando.
      Feliz Natal a todos.
      Rômulo

    3. Não é bem assim cara….o google está abusando da sua posição privilegiada de monopólio (ou quase), e isso é ilegal.

  1. Eu acho essa ação do Buscapé muito sem logica, se a empresa tem serviços que podem se complementar, porque ela não daria privilégios ao próprio serviço dela?

  2. Processo mais sem fundamento da história hahah.
    É só fazer uma busca aí no google por "comparação de preços".
    O primeiro resultado(e primeira propaganda também) são do Buscapé.
    O Google Shopping não tá nem na primeira página dessa busca.

    BIZARRO.

  3. Uma coisa eu sei, o Buscapé parece não ser mais o mesmo líder de antes.

Comente!