Jornal acusa Google de representar Rio de Janeiro como “aglomerado de favelas”

13
1426

Em uma matéria lançada nesta segunda-feira, o jornal O Globo acusa o Google de valorizar um “aglomerado de favelas” em torno de seu serviço de mapas, o Google Maps.


“O mapa da Zona Sul serve de exemplo: o bairro do Humaitá não aparece num primeiro momento, como ocorre com Ipanema, Leblon e Jardim Botânico. Nesse ponto do mapa é indicado como ‘Favela Humaitá'”, menciona a publicação.

“O tradicional bairro do Cosme Velho, que abriga um dos principais pontos turísticos da cidade – o bondinho do Corcovado – também não está no mapa, que privilegia a desconhecida favela Vila Imaculada Conceição”.

O problema no serviço estaria no modo como o Google dá destaque as informações contidas em seus mapas. Dependendo do zoom escolhido pelo usuário, algumas localizações escondem pontos importantes para exibir informações que seriam negativas a cidade.

Em resposta as informações do jornal carioca, a assessoria de imprensa do Google informou uma correção para o problema está em andamento. “Enquanto respondemos, nossa equipe está trabalhando para melhorar o modo como as informações são exibidas”.

Em 2009, o Google foi acusado de perpetuar as divisões sociais do Japão ao publicar mapas remontam à era feudal, ao identificar distritos como “cidade suja” em seu serviço do Google Earth.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorHumor: Estágios de uma busca no Google
Próximo artigoMigre seus vídeos do Google Video para o YouTube
é pós-graduado em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais pela ESPM. Fundador da FragaNet Networks, empresa especializada em comunicação digital , cujo o portfólio estão projetos como: Google Discovery, Arquivo UFO e Muito Curioso. Foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

13 COMENTÁRIOS

  1. Eu já tinha percebido isso e não vejo problema algum. Se a visão está mais ampla, o que for maior (nesse caso é a favela) terá maior destaque. Quando aproximado os bairros menores aparecem, não existe nenhuma informação errada nesse mapa do Google, a menos que a cidade do Rio queira não dar destaque as favelas, e se for esse o caso, por que não pedir para o Google apagar elas definitivamente do mapa? O Globo mais uma vez colocando "coisas" onde não tem.

  2. Qual informação tem mais valor para quem está pesquisando: favela ou ponto turístico? Pense no número de pessoas pesquisando por favelas (recenseadores do IBGE, convidados para o churrasco do traficante Elias Maluco) e pessoas procurando pelo local onde fica o Corcovado, Pão de Açúcar e afins…

    Facilidade de visualização das informações é um dos fatores principais na confecção de um mapa. Bing e Yahoo que o digam..

    Concordo com a mudança no mapa.

  3. Acho engraçado como as pessoas gostam de "acusar". Pq não antes de fazer um escandalo o cara nao mostra as sugestões que enviou ao google pedindo a alteração dos dados, eles são bem abertos pra isso. Ah, ele nao tentou dialogar e partiu direto pro sensacionalismo.

  4. Rômulo, discordo de você. Sei deste problema a anos e já tinha até me acostumado. A questão é técnica, e não política. Faz sentido que a favela da Rocinha seja exibida neste nível de zoom, mas não a favela Vila Imaculada Conceição.

    Percebi isto a anos quando vi a favela Humaitá. Caramba, isso nem existe! Na região apontada só há prédios de luxo!

    Um amigo meu morava na época da rua Santos Titara, no Méier. No Google Maps aparecia favela Santos Titara, também inexistente.

    Para mim o Google tinha algum algoritmo que classificava o local como favela caso a imagem se assemelhasse a tal. Daí estas favelas inexistentes.

    • Esses erros dos nomes dos lugares realmente devem ser corrigidos, próximo a minha casa eles também acontecem mas, pelo menos aqui, a dimensão do local e o aparecimento do mapa estão corretos e o único problema é o nome.

  5. Eu que sou carioca, e não por não querer que pareça que o Rio só tem favelas mas por conhecer os bairros, já havia também percebido isto e visto sim como um falha. Mais parecia que todo o Rio é uma favela, como diz a letra do O Rappa. Hehehehe O zoom muitas vezes mesmo próximo, para quem queria ler o nome de alguma rua, ainda assim não mostrava o nome do bairro e sim de todas as favelas que tem por ali, mesmo aquelas que são bem pequenas. E outra… Favela não é referência em 90% dos casos. A informação da presença delas é irrelevante. Não dos bairros! Eles deviam sim acertar isso.
    Quanto ao Rômulo acima, deve ser mais um daqueles que detestam o Rio e nunca pisaram o pé aqui… Comentário infantil e lamentável o dele. Favela é maior que bairro onde?

  6. A cidade é cheia de Favelas, daqui a pouco vão fazer igual outros paises e expulsar o Google por colocar as pessoas contra o governo.

  7. Você tem problemas cara? Conhece o conceito de "Troll" na internet? Tu é igual um, repare! ;-)

  8. Só para encerrar minha participação acho razoável que, mesmo num nivel de visão alto no zoom, favelas como Rocinha, Complexo de Alemão e Vila Crzueiro (digamos, clássicas… :-) sejam exibidos.

    Mas favelas bem pequenas não faz sentido.

    Mas o pior é que o relatei no inicio: COLOCARAM FAVELAS INEXISTENTES! Não existe "favela Humaitá" nem "favela Benjamim Constant".

Comente!