Google Chrome abandona suporte ao codec H.264

O Google, por meio do blog oficial do projeto Chromium, anunciou que as próximas versões de seu navegador Chrome deixarão de trazer o suporte ao codec H.264 para avançar em plataformas abertas como WebM (VP8) e Theora.

“Esperamos uma inovação ainda mais rápida na plataforma de mídia no próximo ano e por isso estamos concentrando nossos investimentos em tecnologias que são desenvolvidas e licenciadas com base nos princípios da web aberta” diz o Google.


“Estamos mudando o HTML5 do Chrome para torná-lo compatível com os codecs já apoiados pelo projeto Chromium. Especificamente, estamos apoiando o WebM (VP8) e codecs de vídeo Theora, e irá considerar a adição de suporte para outros codecs de alta qualidade aberto no futuro”.

Para utilizar o codec H.264 no Chrome, a gigante de Mountain View era obrigada licenciar o codec para poder embarcar em seu browser. Entre suas funções estava diretamente a capacidade de oferecer uma boa qualidade de vídeo, inclusive no YouTube.

“H.264 teve um papel importante mas nosso objetivo é permitir a inovação aberta, por isso o suporte ao codec serão removidos e os recursos dirigidos para tecnologias completamente abertas”.

Navegadores e tecnologias suportadas:

WebM/Ogg: 35%
(Firefox: 22.81%; Chrome: 9.98%; Opera: 2.23%)

H.264: 6%
(Safari: 5.89; IE9: 0.46%)

Com o fim da adoção do codec H.264, no qual a Mozilla também corrobora com a mesma visão no Firefox, os desenvolvedores terão que repensar com qual tecnologia seguir. A opção mais fácil, porém, muito debatida nos dias de hoje, está o velho e conhecido Flash.

7 Replies to “Google Chrome abandona suporte ao codec H.264

  1. Pra mim, a Google acertou em tomar essa decisão. Por ela ser sempre a favor de padrões abertos, não fazia sentido ela continuar com suporte a um padrão fechado. Resta saber qual será o futuro do Flash agora que também é fechado. Se bem que Google e Adobe são parceiras, mas nunca se sabe…

  2. "nos princípios da web aberta" sempre o mesmo papo. É claro que tem algo por trás disso. O Google sempre foi pró H.264 agora vem com esse papo? Essa papo de que tudo tem que ser "open" para o Google a maioria das vezes é usado para dar como desculpa. E o Chrome poque funciona no Windows já que é um sistema operacional fechado? Porque não desenvolveu só para LInux e Ubuntu?

    1. H.264 era o único codec, e é um codec fechado, mantido por várias empresas que esperam que ele se torne padrão pra que elas possam colher royalties no futuro. Entre as empresas detentoras de patentes no H.264 está a Apple e a Microsoft, por isso as duas possuem H.264 no seu navegador, e apoiam massivamente.

      Google apoiava H.264 como única saída, já que ogg é muito mais pesado, e tornaria o youtube inviável.

      Entretanto, como anunciado aqui no Google Discovery, a google Comprou a On2, detentora do codec VP8 (pagando uma nota altíssima) e tornou o codec open source. E agora espera que ele se torne padrão, pra nem ela, nem ninguem, nunca, precisar pagar por geração ou transferência de vídeo pela internet.

  3. Flash é plugin, o suporte a plugins é obrigatório segundo a especificação do HTML4 e HTML5.

    Entre suportar o plugin (que é usado em muitos sites) mal, ou suportar bem, eu prefiro que o google suporte bem. E só paga pra fazer flash quem quiser fazer flash, tem outras opções gratuitas.

    No caso do H.264 é pior, porque caso virasse padrão, qualquer um que quisesse colocar video na web usando HTML5 teria que "pagar". A Apple bem que gostaria, já que ela é uma das donas do H.264,e por isso empurra tanto esse codec maldito.

Comente!