Windows Phone 7: um novo começo para a Microsoft

A reinicialização do projeto

“A equipe da Microsoft se refere a dezembro de 2008 como “O Reset” – o mês em que a empresa matou todos os avanços em seu projeto de telefone com Windows e começou tudo de novo. Foi medida profunda na Microsoft na qual revelou os funcionários entrevistados pela Wired mas todos foram unânimes em chamar isso como uma coisa boa”

Mudança do foco


“O psicologico da equipe era:” Aqui está um OEM dizendo que quer vender um milhão de telefones”, disse Belfiore, refletindo sobre a estratégia móvel anterior. (OEMs são “fabricantes de equipamentos originais” – Os fabricantes de computadores e telefones que têm sido a espinha dorsal da base de clientes da Microsoft por mais de três décadas)” Antigamente o principal cliente era o OEM. Agora o alvo é a pessoa [que possui o telefone].”

Sobre o Android

“Belfiore não foi tímido em criticar o Google Android OS. Apesar do Google já dominar o mercado de sistema operacional móvel, sua estratégia de licenciamento do sistema operacional Android para os fabricantes é semelhante à abordagem anterior da Microsoft com o Windows Mobile: É aberto, e há poucas restrições sobre como os fabricantes podem usar ou modificar o sistema operacional”.

“Como resultado, o Android está sofrendo de alguns dos mesmos problemas que o Windows Mobile: o Android funciona melhor em alguns telefones de que outros, fabricantes estão enviando diferentes versões do sistema operacional em telefones diferentes, alguns celulares Android são distribuídos com alterações feitas pelas transportadoras, e alguns desenvolvedores reclamam que é difícil fazer o software por causa do hardware e da fragmentação do sistema operacional.”

Tradução Livre: Google Discovery | Leia a matéria completa

2 Replies to “Windows Phone 7: um novo começo para a Microsoft

  1. Devo discordar de Belfiore (o primeiro nome dele não foi mencionado) quando discorre sobre Android. O mercado, e a indústria com ele, está amadurecendo rapidamente. Os consumidores que se dispõe a pagar mais caro por um celular com Android não estão se contentando com dispositivos "meia-boca" e estão começando a exigir mais robustez e atualizações mais rápidas (caso Motorola Milestone, por exemplo). Na minha humilde opinião, a indústria já está se dando conta disso e começa a lançar celulares Android mais compatíveis, funcionais e rápidos. Portanto, o risco do mesmo erro da Microsoft se repetir com o Google e os fabricantes de celulares Android parece que não se confirmará, acredito eu.
    P.S.: gostaria de fazer uma observação a respeito da tradução do texto: "carrier" em português se traduz como "provedor de serviço", ou seja "operadora de telefonia celular", e não como "transportadora", como foi traduzido.

Comente!