Google: está na hora de comprar grandes empresas

Depois da a Google surpreender o mercado com o aumento muito grande de seus lucros, como já nos contou o meu amigo Renê Fraga, passamos a estudar melhor os números. Vimos, por exemplo, que no fechamento da NASDAQ, ontem, 15/10/2010, cada ação da empresa subiu USD$ 60,52, elevando o valor de mercado da empresa para USD$ 191,69 bilhões.

Chamou muita atenção dos analistas o fato de que o SO Android já estar gerando receitas da ordem de USD$ 1 bilhão e de o YouTube, que até a pouco tempo era deficitário, está gerando muitas receitas. Ambos os serviços tenderão a gerar mais serviços ainda neste resto de 2010 e, principalmente, nos anos subsequentes.


Não podemos nos esquecer também que, em novembro a Google deverá lançar o Chrome OS. A partir de seu lançamento, já deverão ser lançados tablets de alguns fabricantes no mercado norte-americano, ainda para o Natal. Ele ainda demorará a dar lucro, mas, a partir do lançamento de produtos, passará a gerar receitas, com a venda de aplicativos, com o aumento de pesquisas etc.

Ainda neste ano também a Google deverá lançar o seu serviço de músicas on-line, ao lançar o Google Music. Ao entrar neste mercado bilionário, começará a obter receitas, porque vai competir com a Apple.

No mercado de edição de livros, deverá lançar também até o Natal a sua própria loja, obtendo mais dinheiro.

Vem aí também o Google Me, camada social, que deverá colocar jogos à disposição do usuário, de forma a captar suas pegadas sociais, principalmente, nas redes nas quais a Google normalmente não tem acesso, e também vender outros serviços e tomar tráfego destas redes. Tudo isso para obter mais receitas.

Tudo isso mostra que a Google deverá continuar a obter mais e mais receitas.

Tomei o cuidado de verificar os resultados financeiros da Google, desde o primeiro semestre de 2007, até o terceiro trimestre de 2010. Desde o primeiro  até o último período analisado a empresa apresentou grande quantidade de dinheiro em caixa e, o que é mais importante, exceto nos dois primeiros trimestres de 2008, esta quantidade sempre foi maior que totas as outras anteriores. A partir de 2009 e, principalmente, em 2010, o bolo criado está ficando cada vez maior e tendendo a crescer à média de USD$ 3 a USD$ 4 bilhões a cada 3 meses.

Em 30/09/2010 estava em USD$ 33,4 bilhões. No final de dezembro de 2010, poderá estar próximo de USD$ 37 bilhões.

Este dinheiro precisa ser investido.

Ouso sugerir que seja investido na compra de empresas de maior porte:

Algumas que poderiam agregar muito valor à Google:

a) Facebook (os motivos são obvios, mas estaria à venda ou poderia ser adquirido quando lançada na bolsa?);

b) Twitter – talvez valesse à pena pagar algo em torno de USD 4 bilhões ou USD 5 bilhões pela rede social, para se contrapor ao Facebook;

c) Zynga – avaliado em aproximadamente USD$ 2 bi, adquirir integralmente o site de jogos, no qual a Google já investe seria muito importante na briga pelo tráfego e pelas informações sociais do Facebook e esquentar o Google Me;

d) Yahoo! Japan – o site estaria à venda e poderia ser um bom negócio para a Google se firmar na Ásia. Por outro lado, se o site for mesmo vendido para o Softbank, a Google poderá continuar a servir buscas ao site, sem ter que adquiri-lo;

e) WebMD – o Google Health precisa de um empurrão forte, que o site poderia ajudar muito, mesmo a um custo de USD$ 3 bilhões;

f) Trulia ou Zillow – a Google precisa entrar forte neste mercado de imóveis, mesmo a um preço de USD$ 200 milhões ou mais;

g) Monster Worlwide– organizar informações sobre emprego e trabalho também é função da empresa, o problema é que a empresa está cotada em USD$ 1,69 bilhão;

h) Yelpa oferta de USD$ 550 milhões feita no ano passado não serviu para fechar o negócio, mas acho que a Google ainda precisa do site e a transferência da Marissa Mayer para a área de buscas locais pode indicar que a empresa estaria disposta a aumentar o valor da proposta;

i) Milo – é uma empresa pequena (não deve valer mais de USD$ 100 milhões), mas que complementaria a tecnologia de comércio on-line da Google.

Pelos meus cálculos, daria para comprar, de uma só tacada,  o Twitter, o Zynga, o WebMD, o Trulia, o Monster e o Yelp por algo em torno de USD$ 13 bilhões. Temos que considerar o fato de que devem ser guardados USD$ 700 milhões para o pagamento da ITA Software, cuja compra ainda não foi aprovada.

Tudo considerado, a Google poderia adquirir 7 empresas, sendo 6 delas de grande porte e líderes em seu segmento no mercado por USD$ 13 bilhões, pagaria a ITA Software e ainda lhe sobrariam quase USD$ 20 bilhões em dinheiro (e aumentando) para comprar mais uma startups de vez em quando, só para não perder o costume.

11 Replies to “Google: está na hora de comprar grandes empresas

  1. Não que eu tenha algo contra, claro que não. Acho até que algumas pessoas precisam de novos ícones bilionários, pra desejarem ser parecidos, como no caso de Bil Gates, mas é que surge uma questão; a terra vai ter que fastar um pouco para a esquerda, ou Marte vai vir pra direita e construirão o 'G', e o 'gle' no espaço? O fato é que o mundo tem por sobre-nome "Google", mas nós, participamos dele?

  2. hahaha.. o valor estimado do facebook é acima de 33 bilhões.. ou seja.. impossível o google comprar
    o twitter seria uma boa, deveria ter sido comprado antes ao invés deles terem comprado e destruido o jaiku..

    1. Se não me engano, tanto o Facebook quanto o Google já tentaram arrematar o Twitter, sem sucesso. Evan Williams não vai vendê-lo.

  3. "Ao entrar neste mercado bilionário, começará a obter receitas, porque vai competir com a Apple.

    No mercado de edição de livros, deverá lançar também até o Natal a sua própria loja, obtendo mais dinheiro."

    Hahaha juro que ri com essas duas frases. A primeira mesmo, muito sem sentido.

  4. Não acredito nisso. O Google já demonstrou que não pretende usar recursos do caixa para compra de empresas. Quase todas as aquisições do Google, seja de empresas de pequeno ou grande porte, foram feitas usando majoritariamente troca de ações e nenhum centavo do caixa da empresa.
    E o que confirma essa estratégia de não mexer no caixa é a decisão de gerenciar internamente o departamento financeiro com formação de uma equipe própria de gestores e analistas para cuidar e do caixa e investimentos de curto prazo.

    A questão que fica, é até quando o Google vai continuar aumentando o caixa sem distribuir dividendos e se não há nos planos deles uma mega recompra de ações, assim como fez a Microsoft quando adotou uma política de dividendos. Na época a Microsoft tinha cerca de US$ 60bi em caixa.

  5. E, outra coisa, esse compra compra, sem mais o que fazer com o dinheiro, e compra coisas que já estão aí só, passa de uma mão para outra e nada muda! Caramba! Acho que o certo mesmo é investir em inovação ou nichos de mercado ainda deficitários mas surpreendentes, que não vingam por falta de alta tecnologia e verbas e, parar com essa coisa "eu sou o maior" isso a Microsoft fez toda vida, e precisou vir um Google empurrando o código aberto incompreensível e difícil de ser aceito (mas com inovação), desde seu simples buscador provando o contrário, lavando as idéias passadas (pagando pra ver, e viu e, nos vimos!), e inovando para sobrepujar e competir! Será que o mundo novamente perdeu a criatividade e estagnou na competitividade apenas de orgulho boçal? Faltando o despertar para os potenciais? Nós, simples miseráveis, querendo ousadamente mostrar onde o Google deveria botar o dinheiro, é piada! Se ele soube desde seu inicio, não deve estar perdido agora, em ser mais bonito e milionário que seus competidores, mas, com certeza, com isso, uma chuva de idéias novas e surpreendentes que nos convença da sua originalidade, não as coisas que, já daqui a pouco se tornarão ranço. Tudo, por maior que seja, e por muito tempo, enjooa! Minha simples opinião!

  6. Bem, acho que uma boa tacada do Google seria a Last.fm . Seria um ótimo empurrãozinho pro Google.
    Juntos, o serviço poderia oferecer downloads gratuítos (no caso, remixes e bandas independentes), uma rádio online paga, scrobbler gratuíto de músicas do computador do usuário, ranking de execuções diárias/semanais/mensais/anuais além de uma loja virtual de música.

    =D

  7. A estratégia do Google de comprar empresas pequenas é bastante interessante. Vários exemplos já mostraram de como a estratégia é boa.
    Acho MUITO difícil o Google comprar o Facebook e o Twitter.

  8. Vou tentar responder a algumas das colocações feitas:
    também acho que o Facebook é caro demais (USD$ 33 bilhões) para ser adquirido e não há qualquer garantia de retorno do investimento;
    certamente, a briga entre o Facebook e o Google Me está para começar, será grande e se dará no interior da rede social, tomando tráfego, dinheiro e informações sociais daquela rede, tal como faz a Zynga, razão pela qual defendo a compra desta empresa;
    acho também que a Google deve continuar a comprar startups, principalmente em função das tecnologias novas, que elas incorporam;
    concordo que a Google precisa de empresas que agreguem free cash flow e todas estas cuja compra sugeri, exceto o Twitter, trariam bom fluxo de caixa;
    vocês podem ver que eu não sugeri a compra do Facebook;
    eu não abordei isto em meu post, mas também acho que a Google vai chegar um momento em que fará recompra de ações, ou, talvez, pagar dividendos. Talvez, o momento da recompra já tenha passado, porque agora as ações estão muito caras. Provavelmente, eles estejam se preparando para pagar dividendos;
    também acho que não deveriam ter comprado o Jaiku. Tenho para mim que somente o fizeram porque não conseguiram, à época (e também até agora), comprar o Twitter, mas fizeram uma má compra;
    Pedro, no momento certo, você vai entender as duas frases e aí você vai acabar me dando razão. E veja que eu também sou applemaníaco. Só não sou fundamentalista. Antes, sou racional.
    Bruno, eu também gostaria de ver a Google comprando a Last.fm, mas não acredito nesta possibilidade, porque ela não atenderia à meta da empresa de competir com a Apple. Para tanto, ela comprou a SimplyfiMedia.

    Agradeço a todos pelos comentários.

Comente!