Google libera API que faz profecias

6
251

O Google liberou uma nova API, chamada Google Prediction API, que permite acesso aos algoritmos de aprendizagem do Google e são capazes de analisar o histórico de informações para fornecer previsões do futuro.


“Envie seus dados para a plataforma de armazenamento do Google para desenvolvedores, e em seguida utilize a API de previsão para tomar decisões em tempo real em seus aplicativos.

A API Prediction utiliza algoritmos de aprendizado supervisionados como um serviço RESTful web para manter seus dados padronizados, fornecendo assim informações relevantes para seus usuários.”

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGoogle negocia aluguel de filmes pelo YouTube
Próximo artigoGoogle e Arcade Fire lançam videoclipe em HTML5
é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks - empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

6 COMENTÁRIOS

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tá com o nome "Profecia" só porque o nome da API é "Prediction" né? Piada!
    Até parece que usou o google translate…

    • Profecia, segundo o Dicionário Aulete:

      1. Previsão do que acontecerá no futuro, feita por um profeta; VATICÍNIO: As profecias das Escrituras Sagradas
      2. Previsão feita por pessoa que diz antever ou conhecer previamente acontecimentos futuros
      3. Previsão baseada em presunções, probabilidades, conjecturas etc.

      De acordo com a definição do dicionário, a nova API é, de fato, profética. Afinal, em cima do histórico de informações do usuário, ela é capaz de fornecer previsões do futuro. :)

  2. Li toda a documentação, vi os vídeos e só não testei porque eles não estão liberando o acesso. É preciso pedir para liberarem uma conta mas pelo que vi por ai não estão liberando para ninguém.

    O Prediction, junto com o BigQuery, prometem uma boa ferramenta. Talvez para daqui uns 2 ou 3 anos. Por enquanto é mais fácil fazer isso via um SGDB (como o MySQL) e alguns clientes desenvolvidos por conta própria do que usando o que eles disponibilizam. Ainda é tudo muito, mas muito, beta mesmo.

    Por exemplo: ele não permite updates nem transações entre tabelas, e nem mesmo joins. Ou seja, o que eles disponibilizam ainda não tem utilidade nenhuma.

    Se não virar um outro Wave da vida pode ter sucesso. Principalmente se eles disponibilizarem isso como um storage de banco de dados completo (transacional), como forma de concorrer com o MySQL. Ou seja, quem sabe, daqui uns 3 anos, não será possível configurar um webapp para rodar usando um banco do Google ao invés de um banco no hosting. Ai sim o negócio fica interessante. Mas isso vai demorar muito tempo ainda.

    abs

Comente!