Fracasso é sempre uma opção para o Google

Após decretar a descontinuação do Google Wave, Eric Schmidt, chefe-executivo do Google, disse que “fracasso era na verdade uma coisa boa”.

Em entrevista ao TechCrunch, ele afirmou: “nós tentamos coisas. Lembre-se, nós celebramos os nossos fracassos. Esta é uma empresa onde é absolutamente okay experimentar algo que é muito difícil, mesmo que não seja bem sucedido e tentar tirar uma aprendizagem a partir daí.


Outro Googler, Peter Norvig, explicou a cultura interna da empresa em seu blog pessoal:

Se você é um político, admitindo que está errado é uma fraqueza, mas se você é um engenheiro, você quer estar errado metade do tempo. Se você faz experimentos, e você sempre está certo, então você não está tirando bastante informação a partir desses experimentos. Você quer que sua experiência para seja um lado da moeda: sem a mínima idéia se vai dar cara ou coroa. Você não quer saber quais serão os resultados”

Acho que o Google começou a aceitar cedo os erros de hardware. Outras empresas até tentaram dizer, ‘bem, se você pode comprar grandes computadores e caros serão mais confiáveis, então você vai ter menos avarias e você vai fazer melhor.’ O Google então decidiu comprar lotes de computadores baratos que quebram o tempo todo, e por serem muito mais baratos, você pode projetar o sistema com vários backups e formas de rotear os problemas. Acabamos nos tornando arquitetos de sistema que esperam falhas.

Nós tentamos sempre para deixar as coisas mais rápidas e menores. O ciclo médio para conseguir alguma coisa no Google é mais parecido com três meses do que três anos. E o tamanho da equipe média é pequena, por isso, sempre que temos uma idéia nova, não temos que passar pelo lobby político de dizer: ‘Podemos ter 50 pessoas trabalhando com este assunto?’ Em vez disso, tudo é feito de baixo para cima: Dois ou três pessoas se reúnem e dizem: ‘Ei, eu quero trabalhar sobre isso.’ Eles não precisam da permissão do nível superior para começar pois envolvem apenas um par de pessoas, é algo que está fora dos livros.

Fonte: Google Operation System – Tradução Livre: Google Discovery

6 Replies to “Fracasso é sempre uma opção para o Google

  1. Foi bom enquanto durou, teve uma época que usava mais ele do que e-mail para fazer os trabalhos do meu website e tudo mais. É uma pena que não acabou dando certo.

  2. Ficou com uma péssima imagem por ter sido muito lento e instável no começo, mas era uma ferramenta muito boa! Espero que as novidades dele realmente se espalhem pelos outros serviços :)

  3. Eu simplesmente amo Google mas o WAVE não foi nada do que imaginem. Acho que seria bem melhor investirem numa rede social género Facebook que tem aquelas mensagens concatenadas e podem, nas mensagem colocar vídeos, imagens, links etc.
    Isso sim algo que serve para fazer bons trabalhos. Se estendermos essa ideia das mensagens concatenadas a um grupo privado podemos criar grupos de trabalho ou escolares onde vamos debatendo determinado assunto.
    As ferramentas estão lá e o único defeito do Facebook é dizerem que o Facebook não é para fazer amigos mas sim para interagir com amigos já existentes.
    Tenho pena que isso aconteça pois é um site muito evoluído e que tem muito poucas debilidades no que toca às suas funcionalidades.

Comente!