A Google, finalmente, comprou a ITA Software! E olha que foi até barato!

Em 24/04/2010, anunciamos que a Google estaria em negociações com vistas a comprar a provedora de tecnologias para reservas de passagens e comparação de tarifas aéreas entre companhias aéreas concorrentes Ita Software, sediada em Cambrige, Massachusetts, Estados Unidos.

Falava-se, àquela época, que o preço da empresa estaria girando em torno de USD$ 1 bilhão. Imediatamente, o que passou a ser comentado à época é que as concorrentes, que usam os produtos Ita Software, começaram uma verdadeira guerra comercial destinada a inviabilizar a venda da empresa. Inicialmente, falou-se que o negócio poderia não se realizar. Depois, que, se realizasse, seria no valor de USD$ 1,3 bilhão. Por final, as especulações estavam no campo da possibilidade da expiração do prazo contratual para a negociação, que, geralmente, é de três meses.


No dia 01/07/2010, no entanto, a Google e a própria ITA anunciaram um acordo no sentido de permitir a compra da empresa pelo valor de USD$ 700 milhões em espécie.

De qualquer forma, este negócio ainda deverá depender de uma grande batalha nos órgãos reguladores da concorrência dos Estados Unidos, que, provavelmente, serão acionados pela concorrência, ou poderão agir de ofício. Somente se aprovado é que será concluído.

Se confirmada a compra, será a sexta maior aquisição da história da Google. No entanto, convenhamos, pelos preços anteriormente citados, acabou por sair barato. Além do mais, virá acompanhada por mais 500 profissionais, que se tornariam googles.

A ITA Software produz, entre outros, o QPX, um buscador de passagens aéreas, que atende tanto a empresas do setor, quanto a agências de viagem, tais como American Airlines, Microsoft-Bing, Kayak, TripAdvisor-Expedia, Orbitz etc. A Google prometeu não vender passagens aéreas, mas apenas fornecer aos internautas informações sobre passagens aéreas. No entanto, você veria gigantes como Bing ou TripAdvisor usando um produto proprietário da Google? E a ITA Software está no centro do negócio de passagens aéreas de todas estas empresas citadas, além de outras.

Esta compra representa um tiro no coração da maior parte das empresas que vendem passagens ou fornecem informações de viagens na Internet (Bing Travel incluído), justamente as que usam as informações do QPX. Estas, agora, provavelmente, terão que desenvolver um produto concorrente.

Mais que isso, o QPX tem funções inovadoras, que não são exploradas por todas as empresas e que, acredito, serão amplamente usadas na busca da Google. Os mais importantes e dignos de nota são a própria busca por vôos e tarifas e a sua comparação com barras coloridas, que demonstram companhias aéreas, preços, horários de vôos, partidas, chegadas, conexões, tempo de espera em aeroportos, tempo de duração dos vôos etc.

Esta ferramenta ainda não capta todos os vôos de todas as empresas aéreas, mas vale conferir nos endereços  de busca de passagens e de simulações de múltiplas variáveis com barras coloridas (muito interessante – neste caso, uma simulação, com vários passageiros viajando Brasília-Paris-Nova Iorque-Tokio-Shangai-Dubai-Brasília – 9 passageiros – você deve clicar nos diversos links e barras, para entender o poder da ferramenta).

No caso dos vôos no Brasil, por exemplo, o QPX somente tem informado dados da TAM e da Gol. Obviamente, com a força da Google, este panorama deverá mudar nos próximos meses.

Você deve estar se perguntando: se a Google não vai vender passagens, como ela ganhará dinheiro com a ITA Software? Simples: ela venderá publicidade para as companhias aéreas na forma de inclusão dos dados de vôos, preços e disponibilidades de passagens. Estas companhias terão o maior interesse em aparecer nas buscas da gigante, quando ela estiver fornecendo informações sobre passagens mais completas que as concorrentes. Assim, todas as empresas aéreas tenderão a colocar seus dados de passagem no QPX da ITA.

Com relação às informações de viagens, no entanto, a Google ainda não ficará completa. Parece que agora ela terá que fornecer informações estruturadas sobre hotéis, cruzeiros marítimos, pacotes de viagens, aluguéis de automóveis e outras informações correlatas. Para obter isso, acredito que a próxima empresa a entrar no radar de aquisições da Google será a Kayak. Poderá também optar por adquirir uma ou mais ferramentas de indexação de informações sobre estes itens, tal como a ITA Software, ou mesmo uma das concorrentes da Kayak, como a Orbitz, a Priceline, ou até adquirir a lider do mercado, a Expedia TripAdvisor, o que eu não acredito, porque ela  é muito cara (vale mais de USD$ 5 bilhões). No entanto, não poderá evitar uma destas duas opções. Afinal, sem isso, não será possível competir de verdade com a ExpediaTripAdvisor e nem com o Bing Travel, que também tem estes serviços.

De qualquer forma, este novo movimento deverá esperar a decisão dos órgãos reguladores da concorrência nos Estados Unidos sobre a compra da ITA Software.

11 Replies to “A Google, finalmente, comprou a ITA Software! E olha que foi até barato!

  1. Caio Everton,
    Para um leigo, vai, em breve fornecer informações sobre passagens aéreas, porque ela quer saber para onde você quer viajar, quanto quer pagar, quais empresas aéreas você prefere, em quais os horários você prefere viajar etc. No entanto, não quer saber somente isso. Quer saber também quais são os hotéis onde você pretende hospedar, os carros que você prefere alugar, os pacotes de viagem que lhe agradam, os cruzeiros marítimos que lhe interessam etc.
    A Google não fará isto gratuitamente. Antes, venderá estas informações às empresas aéreas, hotéis, empresas de turismo etc, em forma de propaganda.
    Para tanto, não poderá ficar na compra da ITA Software. Terá que comprar mais empresas na áreas de turismo virtual.
    Abraços,

  2. E mais uma vez o Google copia o Bing. Agora um serviço. Qual será a próxima coisa?

Comente!