Google Secure Search e o Seu Impacto em SEO

Olá comunidade do Google Discovery,

Para os que não me conhecem, meu nome é Fábio Ricotta e sou o Co-Fundador da MestreSEO. Na semana passada, o Ricardo Fraga postou aqui no GD sobre a nova forma de search que o Google disponibilizou para os seus usuários. Baseado neste artigo, o Ricardo me convidou para escrever para vocês sobre qual o impacto que esta nova feature pode produzir para a comunidade de SEO.


A Conexão Segura

O primeiro ponto a se entender é que ao disponibilizar uma conexão segura entre o browser do usuário e o Google, não é possível identificar qual a página de referência, no caso a página específica de consulta do Google.

Para entender melhor, façamos os passos:

  1. O usuário acessa a versão HTTPs do Google;
  2. Realiza uma consulta;
  3. Clica em um resultado;
  4. A página de um website é carregada.

No processo normal (sem HTTPs), no passo 4 conseguimos identificar qual a página de consulta (3) através de referência. Já no HTTPs não é possível identificar essa página.

Veja os exemplos de análises de pacotes produzidos pelo blog Google System:

Google Safe Search

O Impacto em SEO

Na verdade o impacto em SEO é indireto pois afeta principalmente as ferramentas de análise de tráfego de um website, onde não é possível identificar a página de referência e por fim a palavra-chave que conduziu ao clique.

Ainda sim, este processo de uso da versão HTTPs será muito pequeno e não chega a afetar em grande escala todos os websites da Internet. Digo isto pois poucos usuários sabem desta opção de busca e a maior parte dos usuários de Internet sequer deva saber / utilizar / habilitar esta novidade.

Espero que tenham gostado do artigo e um abraço!

15 Replies to “Google Secure Search e o Seu Impacto em SEO

  1. Muito bom o artigo! Mas qual o interesse do google (e do usuário) nisso? Maior privacidade/anonimato?

  2. Ótimo artigo, Fábio.

    Apesar de, como exposto por você, a nova feature ser pouco utilizada, ela afeta diretamente o Google Analytics, ferramenta de análise de tráfego da própria empresa.

    Quão disposto estaria o Google, em nome da segurança e privacidade dos usuários, a comprometer os resultados de sua ferramenta?!

    Situação interessante…

  3. Realmente Daniel, um paradoxo diria eu. E se um dia todos os proprietários de websites resolverem aderir ao https? Como ficaria o SEO?

    Interessante…

  4. Gostei muito do artigo, também queria saber qual o interesse do google e do usuário com isso. Que vantagens???

  5. Fabio,

    Muito bom seu artigo, mas voce “enfraqueceu” o Ricardo. “Ricardo Fraca (Fraga)”

  6. Usar criptografia aumenta o tamanho final da página transferida, aumentando o tempo de carga ?

    percebi uma certa lerdeza a mais na hora de carregar os resultados da busca, ou é só impressão ?

    Usando o FireFox, com Firebug e PageAnalize não consegui identificar a diferença, talvez todo o processo de criptografia seja feita internamente não visivel por ferramentas.

    Alguem tem ideia ?

  7. Concordo com o Fábio, afetar em SEO afeta , mas deve ser muito pouco, como as ferramentas de análise, monitoramento, e outras métricas de SEO capturam dados facilmente pelo protocolo “http” (envio não criptografado) elas terão mais dificuldades para chupar alguns dados com o “https”(criptografado), e outros elas nem consiguirão capturar, ao meu ver. Valeu Ricardo pelo convite ao Fábio e pelo artigo!

  8. Realmente é uma boa alternativa. Sempre achei estranho ter na URL o endereço para onde vamos (isso em nível busca google).
    Seria mais legal ainda se a cada acesso o código da URL alterasse, ou seja, um novo link de redirecionamento fosse criado.

  9. Fábio,

    Usar criptografia pode aumentar o tamanho final da página sim, mas pra este cenário o aumento pode ser considerado desprezível.

    A lerdeza que você percebeu está mais associada no funcionamento do protocolo https, que utiliza um número de passos maior do que o simples http. Além disso, temos que levar em consideração o tempo de encriptar e desencriptar cada solicitação/resposta.

    E todo este processo é feito a nível de rede, então para ferramentas como o Firebug ou PageAnalize, que trabalham a nível de aplicação, o efeito passa a ser transparente. Mas por sua vez, imagine um cenário onde você esteja realizando uma pesquisa em alguma rede privada, uma universidade seria um bom exemplo. Com a utilização de HTTPS, o administrador dessa rede não teria como visualizar nem o que você esteja pesquisando, muito menos os resultados obtidos.

    Não tenho certeza no momento, mas como o google analytics trabalha basicamente como um código client-side (código javascript), acredito que ele não venha a sofrer nenhum dano colateral. Pense no caso do exemplo do Firebug, ele nada mais é do que um simples código “JavaScript”.

    Por favor, me corrigam se eu estiver errado.

  10. Esta mudança acabou nao impactando tanto assim no SEO. Lembro que na epoca teve searchcast comentando alguns artigos que sairam sobre que essa mudança acabaria com o analytics, o que se provou nao ser verdade.
    De qualquer forma, sempre vai existir pessoas pregando o fim do SEO, mas na verdade cada mudança demanda mais conhecimento de SEO, reforçando o mercado para bons profissionais.

    Eduardo Gasparetto
    @ocarti

Comente!