Por erro de banco, americano tem Gmail cancelado

cadeado-gmailNo mês de agosto um americano usuário do Gmail recebeu uma mensagem com dados confidenciais de 1.325 clientes de uma instituição bancária, a Rocky Mountain Bank. O e-mail foi enviado por engano por um funcionário do banco, que ao perceber o erro enviou de imediato uma mensagem explicando o ocorrido e pedindo ao usuário – que nada tinha a ver com a história – para que o conteúdo do e-mail sigiloso e seus anexos fossem deletados.

Sem resposta do usuário, o banco decidiu pedir ajuda ao Google, e solicitou informações sobre a conta de e-mail para qual a mensagem secreta havia sido enviada. O Google, porém, negou o acesso aos dados do usuário.


Com isso, a entidade financeira abriu um processo contra o Google, exigindo informações detalhadas sobre o dito usuário do e-mail.

Dado o processo, o juiz James Ware, da Califórnia, ordenou que o Google desativasse a conta do Gmail indicada e ainda identificasse o titular daquela conta.

Após entregues as informações sobre o usuário, o juiz permitiu que ele tivesse seu Gmail reativado.

O Google tem sido frequentemente acionado na justiça de vários países, para a obtenção de informações particulares de e-mails, blogs e perfis de redes sociais.

Também no IndexBlog.

11 Replies to “Por erro de banco, americano tem Gmail cancelado

  1. agora explica de que adianta cancelar a conta do cidadao. Se ele quisesse fazer alguma coisa ja teria feito :)

  2. Eu acho isso um grande absurdo, tanto por parte do juiz quanto por parte do Google.
    Afinal, o culpado por isso tudo foi o banco, não o cliente do google. Não foi infringido nenhum termo de uso, não foi feito nada que ferisse os principios do Gmail. Acho que este americano deveria processar o Google de forma severa, pois afinal de contas, dessa vez, eles erraram feio. O que deveria ter sido feito (no máximo) seria um bloqueio temporário da conta, ou algo assim.
    Bola foríssima, Google :(

  3. @ Renato Siqueira, você realmente leu o texto?

    O Google foi obrigado pela Justiça a cancelar a conta e entregar os dados.

    Como o americano irá processar a empresa se o que ela fez foi determinada pela própria Justiça?

  4. Do G1:

    Embora não tenha sido revelada a razão pela qual o usuário do Gmail não ter respondido à mensagem enviada pelo banco informando sobre o erro do e-mail inicial, é um precedente preocupante que um usuário possa perder sua conta, simplesmente porque recebeu um e-mail errado de terceiros, avaliou o “Mail Online”.

    “É escandaloso que o banco tenha pedido isso, e é escandaloso que o juiz tenha concedido”, disse o diretor jurídico do Centro para Democracia e Tecnologia, John Morris, ao “Daily Mail”.

  5. É isso ai… Quer acabar com o email de alguém? Mande um documento sigiloso para alguém, depois perceba o erro, envie um email exigindo que a pessoa cancele o email e dê provas de que ele foi apagado em definitivo (ouvi isso no Buzz Out Loud sobre essa estória). Basicamente, o Google foi processado por um erro do imbecil do banco… Fala sério mesmo…E, detalhe, ainda perdeu, o que é mais sério ainda!

  6. acho um absurdo eles terem invadido a conta, o funcionario devia ser demitido e indenizado, eu processaria a empresa por desativar minha conta.o erro foi deles.a justica americana tambem falha!

  7. entaum, a justica americana foi horrorosa neste caso, claro que o banco passo dinheiro na mao do juiz.o caso e EXpLICITAMENTE idiota.o erro foi do banco.ninguem tem obrigacao de responder email.com certeza ninguem teria a conta invadida no Brasil pela justica por um ato desses.so em caso de crimes.ou claro se fosse um grande banco.

  8. O fato é que o Google fez o que o Juiz determinou, assim como qualquer empresa no Brasil seria obrigada a fazer. Lembrem-se do caso de impedirem o acesso ao Youtube devido a acao ligada a Cicarelli? Internet não é terra sem lei, sem dono… cumpra-se a lei (podemos concordar ou nao).

    A determinacao do Juiz, tenho certeza, foi para proteger a conta bancaria de todos que estavam ali e concordo completamente com o banco, juiz e Google.

Comente!