Campus Party 2009: A Desconexão?

Encerrou-se neste domingo a segunda edição do Campus Party Brasil, evento que reuniu cerca de 6 mil pessoas em torno de um único assunto: mostrar a cara da internet brasileira.

Durante 6 dias os campuseiros, como são conhecidos os participantes pagantes, puderam conferir apresentações dos mais variados assuntos e conhecer algumas das novidades tecnólogicas que estão sendo desenvolvidas pela Telefônica e seus parceiros.


Além de desfrutarem a experiência de conexão com a internet de 10GB de velocidade, os participantes foram recebidos no Centro de Exposições Imigrantes. O novo local para o evento foi escolhido pela organização devido a sua melhor infraestrutura e custos quando comparado com a primeira edição ocorrida na Bienal.

A localização e o fim do mundo

Para reduzir os custos de operações em quase 2,4 milhões de Reais, a organização do evento julgou por escolher uma nova localização. Acabou deixando para trás a acessibilidade do Parque do Ibirapuera em troca de uma área deslocada, desconhecida e “próxima” da estação Jabaquara do Metrô.

A nova localização que é próxima da rodovia Imigrantes, não apresenta qualquer zona comercial em sua proximidade. O bairro conta apenas com um hospital que, passado alguns dias após o início do evento, acabou por ameaçar com processo o fechamento do Centro de Exposições Imigrantes.

Ônibus gratuito? Procura.

Os participantes que chegavam até a estação Jabaquara do metrô precisavam fazer uma verdadeira investigação para encontrar a localização exata do ônibus gratuito para o evento. Nenhuma sinalização foi feita pelo Campus Party para ajudar as pessoas interessadas, um dos fortes motivos da fraca visitação pelo público não-pagante.

Poluição sonora

Com o foco de fornecer aos participantes um local maior, o Centro de Exposições Imigrantes não ofereceu qualquer qualidade acústica aos participantes, ocasionando em uma demasiada poluição sonora. Muitos sentiam tonturas e problemas de concentração para trabalhar no local.

As apresentações, que deviam ser independentes das outras atividades que estavam ocorrendo simultaneamente, eram frequentemente atrapalhadas por pessoas que queriam divulgar informações no palco principal, descontinuando discussões e assuntos interessantes.

Achei que estava na área Campus Blog, mas não estava.

Embora as limitações entre as áreas dos participantes tenham sido minimizadas, influenciando diretamente em um maior agrupamento e interação entre as pessoas, acabou por distanciar negativamente outras.

As sinalizações organizacionais, perfeitamente implementadas na primeira edição, desta vez estavam completamente ausentes. Já os banners publicitários, que chegavam a causar uma poluição visual, preenchiam de forma completa todos os cantos do evento.

Astronomia

Além da retirada do rapper De Leve do palco, a briga de campuseiros na área das barracas e a segurança de mentirinha, um outro assunto foi ainda mais vergonhoso: o Campus Party desistiu de celebrar o Ano Internacional da Astronomia e nem mesmo retirou a informação do site durante toda semana.

Diferente do que estava sendo programado, a organização resolveu reduzir em 70% os custos referentes à área de Astronomia, deixando aos participantes apenas a exibição de um mini-balão de ar que mostra em seu interior alguns detalhes do universo. Um ônibus, planejado para levar pessoas interessadas ao Planetário do Ibirapuera, também foi prontamente cancelado.

O que esperar em 2010?

Como divulgou hoje a Folha Online, a organização do Campus Party Brasil planeja criar mini-versões do evento em cidades como o Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Salvador e Belo Horizonte, embora a informação ainda não tenha sido confirmada oficialmente.

Outra medida que também já foi tomada diz respeito à redução do número de participantes e melhorias efetivas na infraestrutura. Estes foram dois grandes problemas que arranharam a imagem desta nova edição, além de terem sido alvo de muitas reclamações por grande parte dos participantes.

Para quem esteve na primeira edição, a redução na qualidade do evento foi notória. Não havia surpresas, apenas estacionamento caro de R$ 20,00 por dia e falta de patrocinadores como Microsoft, Google, CCE, Intel e muitos outros.

Pontos Positivos

Depois de tudo isso você nem deve acreditar que existem pontos positivos! Calma, pois existem. :)

Ignorando toda a interferência sonora, a Campus Party 2009 contou com apresentações bem proveitosas e interessantes, mostrando a maturidade da internet brasileira em diversos aspectos.

A comunidade online também demonstrou união e rebelia quando o assunto discutido foi a Lei Azeredo, que tenta criar uma lei específica para crimes na internet, mas que em alguns pontos afetam os usuários padrões.

Outro ponto, que não pode ser deixado de fora, está na possibilidade de fazer, rever e conhecer novos amigos, tornando a internet mais próxima, humana e menos máquina. Um dos grandes fatores positivos para participar do Campus Party.

Coelhinhas da Playboy

Existe ponto mais positivo que ver de perto as coelhinhas da Playboy? Sim, existe. E ainda mais estar equipado com um Nokia N95 8GB! Além da possibilidade de registrar imagens mais nítidas com a câmera integrada de 5 megapixels, também permitiu que a equipe do Google Discovery pudesse guardar ótimos momentos em vídeo.

Para quem está acostumado a trabalhar com dispositivos touchscreen, o N95 parece um retorno à era clássica dos botões multifuncionais. Mas após utilizá-lo, suas principais funcionalidades demonstram que o aparelho é mais avançado do que você poderia imaginar.

Se você gosta de registrar momentos, tirar uma boa foto e ter um celular moderno, o N95 8GB é um ótimo produto para se ter em mãos. Agradecemos a empresa Nokia por oferecer este período de teste na prática durante toda essa semana.

Agradecimentos

Gostaria de finalizar agradecendo todo o pessoal do Brasigo pela oportunidade de participar novamente da Campus Party Brasil. E agradecer todos os leitores que continuaram compartilhando informações via Twitter, Gtalk e e-mails durante esta semana!

Até a próxima!

9 Replies to “Campus Party 2009: A Desconexão?

  1. Pela cobertura dada pelos grandes portais, pensei que o evento tinha sido BEM melhor do que o relatado por você.

    Só uma observação, não seria “Lei AzeRedo”?

    1. @Ricardo Obrigado pela correção. A diferença deste post para os grandes portais está na minha visão de campuseiro. É diferente de chegar lá, fazer uma matéria e depois ir embora. :)

  2. Então, sem contar que na área Expo, a internet caiu muitas vezes e quando funcionava estava lenta, isso no primeiro dia, tirando filas enormes para credenciamento e na área de Inclusão Digital, praticamente, não existia conexão á rede mundial. Estava bem a cobertura, e não falei nada de ruim no blog lucaslab.blogspot.com por um simples motivo, achava que era passageiro a má organização, mais como visto, isso não foi bem assim.

    No único dia na Areá Arena(Quinta), foi uma sensação de segurança, já que eu fui revistado inteiro para entrar e sair, já nas próximas vezes, os seguranças apalpavam a mochila.

    Achei legal, mais quanto ao ano passado, quanta diferença.

  3. Concordo com tudo do post…. Principalmente quanto ao onibus gratuito, dei umas 50 voltas no quarteirão procurando o coitado!

    1. @Toad A Nokia apenas emprestou um aparelho para testes. Caso o tópico não tenha sido interessante, você tem total liberdade de ir para o próximo. :)

  4. @Renê

    Eu entendi sua colocação. Na verdade, acredito que o seu ponto de vista (e o da maioria dos que participaram do encontro) seja infinitamente mais realista que a dos grandes portais exatamente pela vivência, dia-após-dia, do encontro.

  5. Hei!
    Esse Nokia N95 8GB parece ser muito bom, hein. Fiquei com vontade de ter um.

  6. Uau! Depois de todo esse jabá eu realmente quero agora comprar um aparelho desse!

Comente!