Gerente do Google Maps Brasil responde a críticas sobre rotas no Google Transit

A Folha Online publicou hoje uma resposta de Marcelo Quintella, Gerente do Google Maps Brasil, sobre possíveis problemas relacionados as rotas de transporte público no recém-lançado Google Transit. Abaixo, republicamos na íntegra:

“O sistema contempla sim o Metrô. Ocorre que os tempos estimados para os ônibus estão mais curtos, o que resulta na preferência do sistema para resultados de informações de ônibus. É algo que está sendo verificado para ter o máximo de precisão possível. Estamos trabalhando para resolver isso em duas frentes: a primeira é com a própria SPTrans, que é quem nos fornece as viagens e tempos estimados. A segunda é realizar uma pequena mudança na interface na qual sempre retornaremos ao usuário uma opção de viagem no “outro” meio de transporte. Isso significa que mostraremos todas as opções para o usuário — em outras palavras, mesmo que seja verdade que o tempo estimado de ônibus seja melhor que o de metrô, ainda assim mostraremos a viagem de metrô. A estimativa de tempo de viagem da SPTrans precisa ser aprimorada. Eles estão trabalhando para aperfeiçoar as estimativas. Devemos ter novidades já no início de janeiro.


Vale ressaltar também que o serviço não foi lançado com falhas, mas com um nível razoável de precisão. Além disso, esses problemas, apesar de muito relevantes, não afetam 100% dos usuários. De qualquer forma, como acontece com todos os produtos do Google já lançados até hoje, nós trabalhamos com o conceito de “beta perpétuo”. Ele funciona para praticamente todos os nossos produtos, inclusive os mais amadurecidos, como Orkut, Gmail e YouTube. Isso significa que o produto nunca está pronto: ele está constantemente e ininterruptamente sendo aprimorado. É política conhecida do Google lançar produtos e receber comentários de usuários. Poderíamos ficar em testes internos por muito tempo sem nunca chegar a 100% de perfeição. A maneira de descobrir os problemas que mais afetam os usuários é simples: ouvindo deles próprios. O usuário é quem mais entende dos dados, mais do que a SPTrans ou o Google. Por isso aprimoramos nossos produtos por meio dos comentários dos usuários. Os bons e os ruins, como acontece sempre.”

4 Replies to “Gerente do Google Maps Brasil responde a críticas sobre rotas no Google Transit

  1. Bacana,

    Eu já testei essa nova função e possi dizer que não me agradou muito por 2 motivos.

    1- É exatamente em São Paulo que funciona, toda a região metropolitana ( grande sp ) ele não reconhece. Eu moro em Osasco e por exemplo se quero ir daqui a Av. Paulista ele não me da a rota de transporte público.

    2- O sistema te dá as piores rotas possíveis, mas tudo bem, isso acontecia comigo nos EUA tbm, eu pedia uma rota por via pública e usava umas 2 vezes, depois descobrir jeitos muito mais práticos de fazer a mesma rota.

    Mas a tendência é que isso vá melhorando.

  2. Seria uma boa se meus chefes aceitassem essa idéia de “beta perpétuo”. :)

Comente!