Porque ser o primeiro resultado na busca do Google

GoogleCom o passar dos tempos, o Google se transformou no grande gorila das buscas ao redor do mundo. Durante seu meteórico crescimento, houve uma mudança no padrão das pessoas que utilizam a ferramenta: antigamente, uma busca que trazia como resultado uma página inteira de opções hoje é resolvida com um clique no primeiro resultado. Um estudo recente realizado pelo blog Think Eyetracking revela que hoje em dia não basta apenas ser indexado pelo Google, você precisa estar em primeiro no ranking pela palavra chave buscada. Observe abaixo a imagem:

Porque ser o primeiro resultado na busca do Google


Nesse esquema, podemos ver a incidência de cliques nos resultados. Em 2005, era evidente a distribuição de cliques por toda a página, enquanto hoje vemos uma clara tendência a cliques divididos no máximo entre os 5 primeiros resultados, com incidência maior nos três primeiros resultados. E ainda no estudo, foi feita a questão: “O que você faz quando não encontra o que procura?” e incríveis 86% das pessoas responderam que tentam mudar as palavras usadas na busca. Sabemos, por experiência própria, que antigamente fazer uma busca no Google era algo simples e objetivo. E hoje precisamos as vezes nos empenharmos um pouco mais pra chegar num resultado aceitável.

E fica a pergunta: O que você acha que vai estar diferente daqui a 3 anos, na próxima vez que esse estudo for concluído?

15 Replies to “Porque ser o primeiro resultado na busca do Google

  1. Eu concordo com essa pesquisa pois está realmente ocorrendo uma nova tendência de cliques. As pessoas mudam a forma de uso conforme o tempo, começam a nota que realizar uma nova busca podem encontrar novos resultados de buscas. Até antigamente as pessoas ainda teimavam em fazer buscas com uma única palavra, hoje a maioria sabe na necessidade do uso de mais palavras.

  2. Exatamente isso. As pessoas querem resultados rápidos e na maioria das vezes digitam no primeiro da lista. Onde os termos procurados por ela foram encontrados.

  3. Muito boa mesma a pesquisa

    e realmente isso é visivel em nossos blogs

    pelo menos no meu vejo essa diferença sim… pois já ele ja foi indexado algumas vezes

    enfim… vamos esperar os pxms anos né

    sucesso!

  4. Achei interessante a a pesquisa, mas não é o meu caso. Normalmente leio todos os resultados da 1º página (aquela olhada por cima), mas nunca passo para a 2º.

    Várias vezes, mesmo sabendo que vou entrar no 1º resultado (pesquisando “wikipedia” por exemplo), nunca clico no botão “Estou com sorte”. Não sei porquê.

    Ahhh… sem querer ser chato, tem uns errinhos ali.
    “e incríveis 86%” – o e é maiúsculo, né?
    “tentam mudar os as palavras usadas” – o os tá sobrando ali. =P

  5. Esse heatmap não representa cliques e sim o movimento dos olhos das pessoas através da página de resultado. É uma técnica conhecida como eye-tracking. :)

    Parabéns pelo blog! Leitura diária.

    []’s

  6. Vocês já pensaram em fazer um estudo semelhante no Brasil, será que o usuário Brasileiro se comporta da mesma forma?

    O mesmo vale para os links patrocinados. Na imagem de 2005 nota-se cliques nos links patrocinados, na de 2008 não. Será que existiam links patrocinados nas páginas?

  7. Também nunca uso o “Estou com sorte” e tenho o costume de olhar os resultados para ver os que realmente me interessam.

  8. Eu denovo :)

    Minha história sobre o botão “Estou com sorte”…

    Logo quando meu pai colocou internet (discada ainda), ele me traumatizou dizendo que se eu clicasse nos anúncios (aqueles do ML etc), já estaria comprando.

    Eu tinha medo de clicar em qualquer coisa. O botão “Estou com sorte” era um tabu pra mim, já que não sabia do que se tratava.

    A 1º vez que cliquei no botão foi quando eu estava navegando pelo Dreamcast e criei coragem. Pensei que estando no vídeo-game “não teria problema”.

    Agora que olho pra traz eu penso: meo deos que n00ba.

  9. Quando meu site não está na primeira página pelas principais combinações de palavras-chaves , por alum motivo , eu penso que hora de mudar a forma que o Google enxerga meus sites.

  10. Márcio, no caso a idéia que quero sugerir aqui é que como realmente os olhos “focam” apenas aqueles primeiros resultados, os cliques são gerados exatamente ali. Conheço a técnica eye-tracking bem como seu uso geral. :)

  11. Muito interessante este estudo e acredito que os cliques estejam se concentrando no topo da página do resultado de busca em razão do aumento da inclusão digital, porém tenho grandes dúvidas quanto à inexistência de cliques nos botões para acesso da pág 2, 3, 10 e última página no longo prazo.
    De qualquer forma, a conclusão corrobora positivamente com o fato de pagar ao Google para garantir as primeiras posições do resultado de busca. É este o ponto, sim?

  12. F3L1P40, não acho que seja necessário. Existem técnicas SEO que podem te posicionar entre os primeiros resultados. Nada comprovado nem "estudado", mas garantem que funciona. :)

  13. Rafael, grato pela sua dica, acredito sim que as técnicas SEO produzem resultados, agora se considerarmos um amadurecimento geral da internet, onde todas as técnicas de otimização de procura já foram exploradas e respeitando a ética de não criar spam, destacará aqueles que pagarem para estarem no ranking dos primeiros. De qualquer forma, acredito que o comportamento do internauta irá mudar durante as buscas a longo prazo e a respectiva interpretação do ranking. A busca se passará por mais etapas (onde os critérios ou tags serão diferentes).

Comente!