Google Chrome não quer direitos dos usuários

6
44

Essa história começou num blog americano e se espalhou como fumaça para todos os lados: o Google, através dos termos de uso do Chrome, poderia vir a “assumir os direitos de tudo o que fosse realizado utilizando o browser da empresa”.

Claro, isso borbulhou na mente de diversos usuários que a empresa Google poderia requisitar seus blogs, perfis, contas, senhas e tudo mais. Para desmentir o fato, o “porta-voz” do Google, Matt Cutts explicou em seu blog que esse termo de uso está quase sempre presente em todos os produtos do Google, mesmo em alguns específicos onde não se aplica.


Em resposta, Rebecca Ward, do Conselho Senior de Produto para o Google Chrome, disse que está trabalhando para remover o mais breve possível a citação do termo de serviço. Segundo a Googler, as mudanças serão retroativas para todos os usuários que já baixaram o produto.

6 COMENTÁRIOS

  1. Bem… Até segunda ordem estou voltando ao bom e, não tão velho, FF. Motivo: Eu trabalho com gerenciadores de conteúdos como Joomla, Drupal, Xoops… E, o que eu mais me utilizo é do Joomla. E, no Firefox, ele se comporta maravilhosamente bem. No Chrome, nem tanto. Para começar, a listagem das matérias existentes, ficam um pouco desconfiguradas. Um outro problema e que ao clicar na opção de exibir o código HTML, fica abre um Popup estreito, fora dos padrões normais. Mas o pior é em relação as fotos: No Firefox, após colocar o código html para buscar a foto, tanto em um como em outro a foto aparece… O problema é que no Firefox eu consigo clicar na foto, recortar, colar… Eu não consigo isso no Chrome. Parece pouco… Mas faz uma enorme diferença para se trabalhar! Não sei se é só comigo!

  2. Apesar do navegador ser bastante rápido, também encontrei muitas incompatibilidades assim como o Jorge Rodrigues relatou. Não abandono o FF por nada! Pode ser um pouco mais lento, mas nele eu tenho PRODUTIVIDADE!

  3. Eu achei essa história bem estranha. Não sei onde li isso ontem, mas concordo: o Google passou 2 anos desenvolvendo intensamente o Chrome e o TOS é um copy paste para “facilitar as coisas para os usuários”? Eu acho improvável que esta justificativa corresponda à realidade e que os advogados do Google deixem passar um TOS sem revisão ou adequação ao produto oferecido. De qualquer forma, não importa mais, já que será modificado e a alteração se aplicará retroativamente a quem aceitou o TOS original.

  4. Concordo plenamente… Esse papo de que “… esse termo de uso está quase sempre presente em todos os produtos do Google, mesmo em alguns específicos onde não se aplica…” significa o quê? Onde ele se aplica?

  5. Se o Chrome realmente decolar, e for indenpendente de SO, aí é que o Google terá dominado a internet completamente. Daí, é um passo para que as aplicações web-based dele sejam melhor no Chrome que nos outros navegadores. Aí é o fim.
    Lembra vagamente a briga do OS/2 e Windows nos anos 90.

Comente!