TV Digital, Android e YouTube: que relação isto tem?

Desde quando a Google perdeu o leilão para a banda de telefonia de 700 mhz nos EUA, muitos acreditaram que suas pretensões na área de telecom estariam focadas no GPhone, ou Android, como queiram chamar o sistema operacional para celulares da empresa. Mas tudo indica que elas são muito maiores. Em maio, logo depois do leilão, a Google se uniu à Sprint e a outras empresa, para fazer uma rede Wimax. Antes disso, já vinha fazendo investimentos na tecnologia sem fio Femtocell.

Durante todo este período, eles, juntamente com ninguem menos que Microsoft (pasmem!), estiveram trabalhando junto à agência reguladora norte-americana, chamada FCC (a ANATEL deles), para que uma faixa de espectro hoje usada pelas empresas de TV e que será abandonada em fevereiro de 2009, seja liberada para uso de Internet de banda larga, sem o pagamento de licenças. Trata-se do chamado “espaço em branco” existente entre os canais. Tudo indica que a decisão do FCC deverá sair nos próximos dois a cinco meses.   

A Google está dizendo que pretende levar a Intertet à zona rural e às reservas indígenas. No entanto, poucos acreditam nisso. Parece que o que ela deseja (e também a Microsoft) é se livrar do imenso poder que as empresas de telecom possuem de ditar preços de banda larga, tanto para os provedores de busca (Google, Yahoo!, Microsoft etc), quanto para os consumidores finais. Vale dizer que algumas até reduzem a velocidade dos usuários domésticos usuários de programas que consomem grande quantidade de banda.

Mas o caminho da Google não se resumiria a isto. Acho que, se ela conseguir fazer uma rede sem fio nacional nos EUA, com o lançamento do Android (ou GPhone), poderia criar uma Google Telecom ou se associar a uma empresa da área, para fornecer serviços de telefonia, usando o novo aparelho, talvez até sobsidiando o próprio telefone e ou o serviço por meio de publicidade.

Uma rede nacional sem fio poderia também alavancar a Google TV, via YouTube, o que viabilizaria financeiramente o serviço, que já é um retumbante sucesso de mídia.

Estamos tratando aqui de possibilidades. No atual cenário econômico norte-americano, parecem ser absurdas. Mas são cenários possíveis, no médio prazo e não devem ser desprezados.

Fonte: InformationWeek


3 Replies to “TV Digital, Android e YouTube: que relação isto tem?

  1. Isso é algo maravilhoso! Esplêndido!
    Só a Google e a Microsoft juntas para capitanear um projeto que vai bater de frente com interesses milionários de políticos, empresários, mídia e governos.
    Mas essa é a maravilha do capitalismo. Viva a livre-iniciativa!

  2. Isso mostra, que mesmo sendo rivais em certas áreas, as empresas estão unidas para dar algo melhor para seus consumidores.

    Agora é esperar pra ver.

  3. essa ideia no brasil vai ser bloquada pela anatel, porque a missao dela eh proteger as telecom…..
    ja pensaram no que vai ser feito no brasil com a banda que vai ser liberada qdo a TV analogica for extinta?

Comente!