Yahoo! Posts: uma versão “piorada” do Yahoo! Buzz?

Gilberto Knuttz, blogueiro do CyberVida, publicou recentemente algumas informações sobre o Yahoo! Posts, um projeto do Yahoo! Brasil que irá trazer o conteúdo dos blogs ao portal de internet.

Segundo Knuttz, “um grupo de 100 blogs em português” poderão ganhar eventuais chamadas na capa do portal, o que pode tornar a novidade limitada e interessante apenas para um pequeno grupo de blogueiros.


Outra questão que chama a atenção está na escolha dos posts: “blogs foram divididos em lotes, cada um destes lotes está sob a responsabilidade de um consultor, que irá fazer uma seleção dos posts mais interessantes e enviar para o editor do Yahoo! Posts”, deixando o lado social da Web fora do jogo.

Yahoo! Posts, uma versão “piorada” do Yahoo! Buzz?

Nos Estados Unidos, o Yahoo! possui um serviço semelhante chamado “Buzz”, esse serviço oferece a diversos blogs, jornais e revistas a possibilidade de veicular matérias e artigos numa página especial , além de permitir que os próprios usuários do produto possam avaliar o conteúdo.

Esse conteúdo, segundo o Yahoo! americano, são analisados e separados com base em termos populares que estão sendo buscados no serviço de pesquisa da empresa. E, utilizando os princípios da Web 2.0, os leitores são convidados a separar o “joio do trigo”, permitindo uma avaliação transparente se o artigo deve ou não ganhar destaque, evitando desta forma que exista um operador humano.

Diferente do Yahoo! americano, o Yahoo! Brasil parece ainda estar mais preocupado em gerar conteúdo que permitir a evolução natural da internet. Enquanto o projeto Yahoo! Buzz, demonstra a força dos serviços de bookmarking social, o Yahoo! Posts será mais um entre tantos portais.

Agora é sua vez: você concorda com o modelo de serviço que será implantado?

27 Replies to “Yahoo! Posts: uma versão “piorada” do Yahoo! Buzz?

  1. Tenho visto essa discussão no Twitter mas ainda não havia parado para pesquisar o que era realmente o YahooPosts, mas pelo que pude ler no blog cybervida para ser bem legal.

    No entanto, defendo a idéia do Buzz em dar poder as pessoas, isso com certeza é uma falta nessa versão que vai chegar ao Brasil.

    O formato de um consultor não me agrada, ainda mais para quem passou e enfrentou a censura.

    []’s

  2. Realmente acho interessante o modelo do Buzz. Sem dúvida é um canal social muito legal.
    Mas quem sabe não seja por isso que esse novo serviço se chame Posts. Se fosse pra ser a mesma coisa, teria o mesmo nome.
    Outra coisa é que serão centenas de posts diários, o que abre espaço pra muita coisa interessante, e de qualidade, não apenas popularidade. Nem sempre o mais popular é o de melhor conteúdo. Basta ver os vídeos mais assistidos do youtube.
    Quanto aos “manjados da blogsfera”… Você me conhece? Sou manjado? Não né? Então você já começou errado.. Espere ao menos acontecer, pra depois criticar.
    Abraço a todos, e sucesso em seus projetos tbm.

  3. Acho que nem todo site precisa necessariamente ter integração entre seus usuários. Se um site tem conteúdo interessante, já vale apena. Claro que se houver interação, é um ponto a mais.

  4. Não sei.
    Se for só ´bloguinhos descoladinhos de nerds revoltadinhos´… nem vou visitar.
    Se o portal apresentar diferentes nichos, talvez tenha cahnce de sucesso.

  5. E importante deixar claro que esse post é uma crítica ao projeto e não as pessoas que estão o idealizando. Como o Google Discovery é um dos poucos blogs que discutem os projetos do Yahoo!, nos vimos a obrigação de debater esse assunto.

    Com uma plataforma aberta e transparente como o Yahoo! Buzz, é estranho observar que o Yahoo! Brasil continua seguindo uma linha de projeto com formatos antigos, sem a participação social e sem critérios.

    Infelizmente, este é um dos erros graves do pessoal roxo(como a empresa se reconhece), que continua errando nos princípios básicos da nova internet ao negar a participação transparente de leitores e blogueiros.

    Para uma empresa que possui uma das plataformas sociais mais desenvolvidas(Yahoo! Repostas) é estranho notar a criação de um novo produto morto em interatividade e participação.

    Vamos Yahoo!, vamos compartilhar, indicar, avaliar, decidir da forma mais natural da vida. Ou voltamos ao passado negro da escolha de conteúdo como citado pelo leitor Ricardo. E isso é grave. :(

  6. Acho que vc está ansioso demais. Tudo é um processo de adaptação. Primeiro mostrar ao público para depois integrar ele. Caso contrário, acontece o que aconteceu com o Link, do estadão. Abriram uma rede social e só teve duas comunidades, uma de pornografia e outra de crentes, que viviam brigando.

    Não tenho dúvida que, com o tempo, o Yahoo vai deixar a ferramenta mais sociável.

  7. acho que o fato de ficar fora dos 100, simplesmente, já vai levar muita gente a “criticar” o projeto. no mais, concordo com o Geraldo; se o sujeito quiser ver os posts mais populares basta entrar nos milhões de sites que já existem listando diariamente trilhões de posts “célebres” com centenas de comentários com uma linha.

  8. Impressionante o teor do anti-hype exagerado no artigo e nos comentários também.
    Está parecendo um dos mais fortes casos de “uvas verdes” (coletivo) que vi em muitos anos num site brasileiro…
    Não é surpreendente por estarmos num site dedicado ao grande rival dos caras, mas… fala sério! XD

  9. Mario, se fazer uma comparação de serviços do próprio Yahoo! apresenta um teor “anti-hype exagerado”, estamos perdidos. É melhor fechar o blog e seguirmos com as nossas vidas, você não acha?

    Apesar do nome, o blog Google Discovery não é focado apenas no Google. Por favor, visite a categoria do Yahoo!(apenas 250 artigos). :)

  10. Não é a isso que me refiro, Renê, mas a uma má vontade tão exagerada que não voui elaborar aqui para o tópico não virar um flamewar. Cada um sabe a parte do corpo que lhe dói.

    Disclaimer: meu blog está entre os 100. Vou preparar um post bonitinho pra falarem mal lá mesmo. :-)

  11. Mario, em nenhum momento falamos mal do produto ou de sua idéia. Apenas reforçamos através de um produto já existente[e do próprio Yahoo!] a valorização da democracia e dos princípios sociais da web.

    O mais intrigante é que não estamos comparando Google com Yahoo… e sim Yahoo! com Yahoo!. :/

  12. Renê

    Uma pergunta: Qual a diferença entre a idéia do Yahoo Posts e do Blogamos?

    Para mim os 2 selecionam blogueiros, escolhem as postagens interessantes e linkam em sua home principal.

    Eu não vejo nenhum mal nisso. Nem como blogueiro, nem como leitor.

  13. Olá Jonny, sua dúvida é ótima!

    O Blogamos, ou mesmo o Interney Blogs, ou Blogue Isso, são redes de blogs que procuram auxiliar seus blogueiros membros na criação de um ambiente mais profissional, e garantir ao mesmo tempo aos anunciantes uma maior segurança para ações de publicidade.

    Diferente do Y! Posts, estas redes trabalham com o relacionamento junto a aunciantes, o que trás verdadeiros benefícios aos blogueiros. :)

    Eu também não vejo nenhum mal no processo. O que eu defendi nesse post foi uma comparação com o Yahoo! americano e os princípios da web social.

    Coisas que o Yahoo! sabe fazer e muito bem. :)

  14. O que aconteceu neste assunto é o que está acontecendo por toda a web.

    As pessoas querem discutir idéias, opiniões, compartilhar, fazer parte do processo, avaliar, destacar(“estrelar”), gritar, escrever, replicar… a web é belíssima nesse ponto. :)

  15. Renê!

    Eu concordo com a sua visão do Interney Blogs, do Blogue Isso ou até o Hitech live. Eles são “blogfarms” (odeio esse termo) que ajudam tanto na hospedagem quanto na manutenção.

    Mas não é o caso do Blogamos… Ao meu ver, a idéia do Blogamos é a mesma do Yahoo Posts! Pegar o conteúdo dos blogs participantes, selecionar o melhor conteúdo e divulgar através de links.

    Como eu disse, não vejo mal nisso! E também não vejo porque de não experimentar esse tipo de divulgação.

    Se os internautas brasileiros fossem idênticos aos internautas americanos, algum dos milhares de clones do Digg aqui do brasil já teria vingado. Conteúdo participativo dependente de votação de usuário ao meu ver não funciona muito bem no Brasil. Tanto é que nem é prioridade do Agregador de podcasts que eu estou fazendo (merchan) http://www.podpods.com.br (/merchan) rs rs rs

  16. Olá Jonny,

    Algumas pequenas correções…

    “(…)Eles são “blogfarms” (odeio esse termo) que ajudam tanto na hospedagem quanto na manutenção(…)”

    O Blogamos também oferece hospedagem gratuita e espaço para novos blogueiros. Além de prestar suporte e SEO aos blogueiros.

    “(…)Pegar o conteúdo dos blogs participantes, selecionar o melhor conteúdo e divulgar através de links(…)”

    Concordo, a nova interface do Blogamos permite a centralização e organização do conteúdo gerado pela rede. O que possibilita aos leitores uma rotatividade muito interessante entre os blogs.

    Mas o maior diferencial está no relacionamento que as redes de blogs geram. Diferente da busca por acessos, essas redes procuram motivar a criação de conteúdo e o desenvolvimento da Blogosfera.

    Infelizmente não temos no Brasil um Digg. Se tivéssemos um site com alto tráfego, que pudesse oferecer esse diferencial, com certeza os sistemas Digg-Likes teriam funcionado por aqui.

    Gostei do agregador de podcasts! :)

  17. Oh, agregador de podcasts! Me foi realmente muito útil.
    (pode ter parecido mas não foi ironia…)

  18. Willian Max
    Com o número de podcasts cadastrados hoje ele ainda é irrelevante.

    Estou terminando de resolver um probleminha de programação e com isso poderei listar todos os podcasts de cada feed (e não somente os que o RSS disponibiliza).

    Acredito que daqui a uns 3 ou 4 meses a ferramenta se tornará útil! Por enquanto é um mero agregador!

    Espero que você torne um usuário do sistema! :)

    Abraços

  19. Disclaimer: estou no Yahoo! Posts e já trabalhei na agência que criou o projeto.

    Só não entendi uma coisa nesse texto e nessa discussão: qual é exatamente o problema em haver um portal cujo conteúdo é selecionado por editores, ainda mais quando já existem um Digg e, para quem não sabe inglês, o Rec6? Agora tudo tem de ser decidido pelo público?

    E por que exatamente o fato de não ser aberto impede “a criação de conteúdo e o desenvolvimento da Blogosfera”?

    No mais, creio que a maioria dos cientistas sociais discordaria da afirmação de que selecionar 100 blogs em toda blogosfera nacional “deixa o lado social da Web fora do jogo”. O que fica de lado é o maoísmo digital:

    http://www.edge.org/3rd_culture/lanier06/lanier06_index.html

Comente!