Yahoo! rejeita novamente proposta da Microsoft e Carl Icahn [exclusivo]

O Yahoo! divulgou neste sábado à noite que voltou a rejeitar uma nova proposta conjunta da Microsoft e do investidor Carl Icahn para uma reestruturação da gigante de internet e a possível venda de seu sistema de buscas para a Microsoft.


A nova proposta, que foi feita silenciosamente na última sexta-feira à noite pela Microsoft e Carl Icahn, dava ao Yahoo! menos de 24 horas para aceita-la. Segundo a empresa, após analisar a proposta através de seus consultores jurídicos e financeiros, o Conselho de Administração do Yahoo! determinou que aceitar a proposta não estava entre os interesses de seus acionistas.

O Conselho de Administração rejeitou a proposta baseada em uma série de fatores:

  1. Negócios existentes do Yahoo!, o mais recente acordo comercial com o Google tem valor financeiro superior e menor complexidade e risco do que a proposta Microsoft / Icahn.
  2. A proposta Microsoft / Icahn poderia impossibilitar uma potencial venda de todos os serviços do Yahoo! por um preço justo e completo, incluindo um controle prêmio.
  3. O principal componente de valor global por ação apresentado pela Microsoft / Icahn estaria nos produtos não-busca do Yahoo!, que seria supervisionada pela equipe de Carl Icahn, que praticamente não tem conhecimento de trabalho e negócios do Yahoo!.
  4. A proposta Microsoft / Icahn solicitava a imediata substituição do atual Conselho e a remoção da equipe de administração do Yahoo!. O Conselho do Yahoo! afirmou que acredita que esses movimentos poderiam vir a desestabilizar toda e empresa.

Nada como uma boa conversa com o Google na última sexta-feira.

3 Replies to “Yahoo! rejeita novamente proposta da Microsoft e Carl Icahn [exclusivo]

  1. Exclusivo?
    OI? Isso saiu antes, e com maiores detalhes, no Techcrunch e…errr…vocês esqueceram (?) de citar a parte que informa que o Yahoo!, agora, acha interessante a oferta de U$33 por ação para vender toda a companhia…
    …nada como uma boa desvalorização nos últimos meses, não?

  2. Giovane, no momento que eu publiquei, 3 horas da manhã do domingo, não havia saido em nenhum lugar ainda. Dica de um amigo dentro do Yahoo!. :)

  3. Well, não sei quanto ao acesso de internet na sua localidade ou à qual TechCrunch você se refere, mas nos meus feeds a notícia já tinha aparecido BEM antes no TechCrunch. E o meu reader é o Google Reader…será que esse tal Google Reader não é confiável?

Comente!