GoogleCop flagra venda de drogas nos EUA

GoogleCop
Imagem: G1

Nos últimos meses a funcionalidade Street View do Google Maps tem causado polêmica por disponibilizar online rostos de pessoas e imagens das ruas de cidades americanas. Alega-se que este serviço infringe a privacidade alheia.


Desta vez, a “vítima” foi uma possível venda de drogas na cidade de Chicago, nos Estados Unidos. As imagens (acima) foram retiradas do site nesta quinta-feira, após o Google ter sido notificado do conteúdo “ilícito” delas.

A primeira vista podemos até duvidar que seja uma ação de um traficante, mas estatísticas de um sistema de ocorrências policiais demonstram que o quarteirão registrado na foto possui mais de 180 registros de ocorrência em menos de 2 meses.

GoogleCop pegou o cara com a mão na massa!

E você? Acha que o Google Street View ameaça a privacidade das pessoas?

13 Replies to “GoogleCop flagra venda de drogas nos EUA

  1. Respondendo a pergunta: ameaça, sem dúvidas. Se eu posso processar um fotógrafo de imprensa pelo uso indevido e não-autorizado de imagem, o Google pode sofrer do mesmo mal.
    É bom eles repensarem esse serviço.

  2. Meu amigo, tudo que foi capturado estava na rua e podia ser visto por quem estivesse lá na hora, não configura nenhuma invasão de privacidade. Foi essa a jurisprudência no caso Cicarelli e na minha opinião também vale para o caso da Google.

  3. Renê,

    Sei que sai um pouco do tema do Blog

    Mas é dever de todos nós Blogueiros…

    Faz um Post ai com Dicas de Prevenção contra a Dengue e tal…

    Por Causa daquilo que ta acontecendo la no Rio….

    Vlws ;)

  4. Bruno, meu amigo, uso de imagem por uma corporação, e não por uma pessoa física, qualquer que seja a circunstância, é passível de processo çpor invasão de privacidade sim senhor – Cicarelli foi clicada por um transeunte e não por uma mega empresa de internet.

  5. Projeto de lei autoriza imprensa a gravar imagens e sons
    de quem estiver em local público, pago ou gratuito

    “Art. 12. Não constitui ato de violação à intimidade, à vida privada e à imagem das pessoas a divulgação de foto, de imagens e sons, quando fixados ou gravados diretamente em local público gratuito ou pago.”

    Uma interpretação rigorosa deste artigo leva à suposição de que o cidadão perde a privacidade quando põe o pé na rua. Uma hipótese verossímil: dois cidadãos arredios à publicidade sentam-se num restaurante para uma “conversa particular”. São fotografados, filmados e têm sua conversa gravada e divulgada. Não poderiam reclamar porque estavam em local público. Outras hipóteses: uma pessoa é fotografada ao entrar numa sauna; outra é filmada numa boate.

  6. Mootley, vale lembrar que a lei não é a mesma em todo o mundo. Este é o principal motivo de muitos processos internacionais do Google, Yahoo! e Microsoft.

  7. Já diz o nome: PROJETO de lei -se isso vai ser validado ou não é que são elas.

    E como disse o Willian, lei é como bunda: cada um tem a sua. E como americano tem tradição de tascar processo por conta das coisas mais inimagináveis – lembram do garotinho que deu um ingênuo beijinho em uma menininha e os pais dela queriam processá-lo por assédio sexual? -, imagine então o que pode fazer uma celebridade americana retratada em uma imagem dessas contra sua vontade.
    Mas, a bem da verdade, nem precisa ser celebridade para tanto.

  8. se liga ae o google só vai ajudar a força tatica
    como fika os tr…..em?
    o baui é doido e amilhão esse google é uma merda!!!!!!!
    fui

Comente!