Chegou o SkyDrive Brasil. E o GDrive? Chegará?

Microsolft Live SkyDrive - Disco virtual - logoGDrive - logoAcabo de experimentar o SkyDrive o drive virtual da Microsoft. É um dos produtos mais 2.0, que já encontrei na companhia. Mostra o esforço que a MS está fazendo para se inserir no contexto da Internet e resolve um dos grandes problemas existentes nos discos virtuais: você nem mesmo entra lá, mas apenas envia arquivos para serem guardados por tempo indefinido. Assim, o fornecedor dos serviços não tem oportunidade de exibir publicidade e de vê-la exibida e, com isso, remunerar o serviço. Sem dúvida, a MS encontrou a fórmula apta a remunerar discos virtuais, apesar de ainda não estar exibindo nenhuma publicidade no serviço.

O SkyDrive tem como pontos altos:
1) 5 Gb gratuitos;
2) interface matadora;
3) interface em Português e serviço aberto aos usuários brasileiros;
4) possibilidade de divisão em pastas e sub-pastas;
5) separação de pastas públicas e privadas;
6) compartilhamento de arquivos e pastas;
7) exibição de arquivos e pastas em sites e blogs.


O ponto fraco é a forma de upload, que somente pode ser feita por meio de escolha de arquivo por arquivo. Em outras palavras, o sistema não permite o upload de uma grande quantidade de arquivos de uma única vez e também não admite o upload de pastas completas, mas de arquivo por arquivo de cada pasta. Também não permite drag and drop.
Assim, o ponto forte do SkyDrive é justamente aquilo em que a Microsoft tem mais lutado por adquirir a cultura, mas nem sempre com muito sucesso: os recursos 2.0. Seus pontos fracos estão justamente onde ela é a grande vencedora: o PC.
Não podemos, entretanto, nos esquecer que o grande mérito do SkyDrive foi cobrir uma lacuna de mercado deixado pela Google, que reluta em lançar o tão reclamado GDrive.

Às vezes eu fico me perguntando: será que a estratégia da Google será mesmo ter um disco virtual como o SkyDrive, da MS, ou ela pretenderia manter a cópia dos arquivos dos usuários de outra forma?

A revista Info de fevereiro publicou que o custo do armazenamento está por menos de R$ 1,00 por Gb, ou seja, aproximadamente USD$ 0.40. Isto torna viável o fornecimento de serviços de discos virtuais mantidos por publicidade. Isto poderia nos fazer crer que a Google, finalmente, lançaria o tão esperado GDrive.

Entretanto, recentemente, ela lançou um pequeno programa, que pouca repercussão teve, mas que me fez pensar muito sobre a possível estratégia da empresa. Trata-se do DocList Apload. Com ele, podemos transferir, via drag and drop, grandes quantidades de documentos, planilhas e apresentações para o Google Docs. Não permite baixar fotos e vídeos, mas isto poderia ser questão de tempo. Será que a Google desistiu de lançar o GDrive para dar ao usuário a opção de ter cópias de todos os seus arquivos na Internet, mas em serviços separados da empresa (Docs, Youtube (serviço privado?), Picasa Web etc? Esta hipótese não pode ser descartada. Em um post anterior tratei do tema.

De qualquer forma, o lançamento do SkyDrive em vários países deverá exigir da Google uma definição mais rápida da sua estratégia para o enfrentamento do problema. É esperar para ver.

14 Replies to “Chegou o SkyDrive Brasil. E o GDrive? Chegará?

  1. ei Rômulo, dá pra upar várias fotos de uma vez sim!
    Mas é só pelo Iexplorer! Você instala um controle ActiveX e arrasta a pastas ou arquivos para uma área reservada!

  2. EI RÔMULO!
    Dá pra upar vários arquivos de uma vez sim! Mas só pelo IE mesmo…
    Você instala um controle ActiveX e ai aparece uma área onde vc arrasta os arquivos ou pastas inteiras direto Windows explorer !

  3. Costumo usar o Box.Net para compartilhar arquivos até 10 megas. Mas o SkyDrive de alguma forma até me conquistou nesse momento… mas ainda não sei se vou trocar pela Microsoft mesmo.

  4. Acho que se o Google tivesse realmente interesse no GDrive, já o teria colocado no mercado. E, mesmo como fã do oráculo, se ele colocasse agora o GDrive para concorrer com o skydrive, ia ma parecer que o Google está ficando pra trás, adotando a mesma fórmula que é, de costume, da própria Microsoft: A de copiar o produto que fez sucesso do concorrente.
    Eu já havia comentado sobre isso em um dos comments dos posts anteriores. O Google parece estar mais burocrático… Os lançamentos já não parecem ter a mesma frequência que tinham. Um exemplo básico: O Gmail, que já é a versão 2.0 no inglês, continua básico no português. Sim, tudo bem. É uma questão de tradução que pode levar tempo… Mas o usuário deseja é o serviço. E se ele não oferece, sempre um concorrente aparece para suprir a necessidade.

  5. “2) interface matadora;”

    Cá estava eu brincando com o joguinho da bola enquanto enviava o arquivo e tchimbum, acabei clicando em um outro link sem querer quando fui jogar a bola bem forte para o alto. U_U’

  6. Eu quero fazer o meu…
    Só temos a ganhar… ainda mais eu que tõ com uma semana que meu pendrive de 4 gb queimou me deixando sem nada…

  7. Faz um tempinho que uso o skydrive e concerteza a microsoft acertou nesse serviço. Pena que pouca gente conhece.
    Uma dica:
    Para você armazenar uma pasta completa, você compacta ela usando o winrar(pox exemplo) e manda ela completa.

  8. GOSTEI MUITO DO NOVO SKYDRIVE INTERFACE BONITA
    25GB DE ESPAÇO E TENHO A POSSIBILIDADE DE GERENCIAR MEUS ARQUIVOS E CRIAR PASTAS E SUBPASTAS E AINDA COMPARTILHAR COM QUEM EU QUISER PARABÉNS .E É POSSIVEL SIM ENVIAR VARIOS ARQUIVOS AO MESMO TEMPO DE MÚSICAS PRICIPALMENTE,E SE VOCÊ ZIPAR DA PARA MENDAR A PASTA INTEIRA COM VÁRIOS ARQUIVOS DENTRO

  9. Mantenho um blog sobre o jogo Quake 1 e estou utilizando bastante o skydrive. Simples, bonito e bastante prático e útil.
    Estabilidade garantida também.

Comente!