Biblioteca Nacional negocia com Google Pesquisa de Livros

Google BookSearch - LogoFundação Biblioteca Nacional - Logo
A Google está presente na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Nela a empresa apresenta seu produto BookSearch aos editores e ao público em geral.

Em entrevista à Gazeta Mercantil, o Gerente do Google Pesquisa de Livros Brasil, Rodrigo Veloso, disse que está firmando parcerias com as editoras SENAC e EDIOURO, para publicação digital limitada de livros protegidos por direitos autorais.


Entretanto, o que de mais importante ele disse foi que a Google está em tratativas com a Biblioteca Nacional, com vistas a digitalizar o seu acervo de 8.500.000 peças (números encontrados por nós no próprio site da instituição pública). Se este acordo se concretizar, nós, que somos amantes dos livros e da educação e da cultura universalizados daremos vivas ao Governo Federal. Ficamos torcendo também para que outras instituições sigam o mesmo caminho.

Quanto a este tema, gostaríamos de indicar o nosso post O Brasil e a Pesquisa de Livros, publicada no dia último dia 6 de setembro.

Fonte: Gazeta Mercantil

Atualização: O Blog Oficial do Google Brasil anunciou hoje que “apresentará uma palestra sobre o programa especial da Google para editoras São dois horários diferentes para que você possa adequar sua agenda: às 11h da manhã e às 16h.”

7 Replies to “Biblioteca Nacional negocia com Google Pesquisa de Livros

  1. Encaminhamos à biblioteca nacional a relação dos livros do cientista, geógrafo, professor Milton Santos. Solicitamos providencia de publicação e de distribuição da obra em questão, para todas as escolas e bibliotecas do país

    ANEXO DAS PRINCIPAIS OBRAS DO PROFESSOR MILTON SANTOS:

    Povoamento da Bahia: suas causas econômicas (Salvador, 1948).
    Os estudos regionais e o futuro da geografia (Salvador, 1953).
    Zona do cacau, introdução ao estudo geográfico (Salvador, 1955).
    Estudos da geografia da Bahia (Salvador, 1958).
    Localização industrial (Salvador, 1958).
    A cidade como centro de região (Salvador, 1959).
    Marienne em preto e branco- Viagens ( Salvador, 1960).
    A rede urbana do recôncavo (Salvador, 1959)
    O centro da cidade de Salvador (Salvador, 1959).
    A Cidade nos países subdesenvolvidos (Rio, 1965).
    Croissance démographique consommation alimentaire dans les pays sous-développés (Paris, 1967).
    Aspects de la géographiede l’économie urbaine des pays sous-développés (Paris, 1967).
    Dix essais sur les villes des pays-sous-developpés (Paris, 1967).
    Le métier du géographe en pays sous-développés (Paris, 1971).
    Les villes du Tiers Monde (Paris, 1971).
    Geografía y economía urbanas en los países subdesarrolados (Barcelona, 1973).
    Underdevelopement and Poverty: a Geographer’s View (Toronto, 1975)
    L’Espace partagé (Paris, 1975).
    Por uma Geografia Nova( São Paulo, 1978).
    O trabalho do geógrafo no terceiro mundo (São Paulo, 1978).
    Pobreza Urbana (São Paulo, 1978).
    O espaço dividido (Rio, 1978).
    Economia espacial: críticas e alternativas (São Paulo, 1978).
    The Shared Space: the two circuits of the urban economy and Its Spatial Repercussions (Londres, 1979).
    Espaço e Sociedade (Petrópolis, 1980).
    A urbanização desigual (Petrópolis, 1980).
    Manual da geografia urbana (São Paulo, 1981).
    Pensando o espaço do homem (São Paulo, 1982).
    Ensaios sobre a urbanização latino-americana (São Paulo, 1982).
    Por une géographie nouvelle (Paris, 1985).
    Espaço e método(São Paulo, 1985).
    Espacio y Método (Barcelona, 1986).
    O espaço do cidadão (São Paulo, 1987).
    Metamorfoses do espaço habitado (São Paulo, 1988).
    Novos rumos da geografia brasileira (São Paulo, 1988).
    Por una geografia nueva (Madrid, 1990).
    Metrópole corporativa fragmentada: o caso de São Paulo (São Paulo, 1990).
    Espace e Méthode (Paris, 1990).
    A urbanização brasileira (São Paulo, 1993).
    Por uma economia política da cidade (São Paulo, 1994).
    Técnica, Espaço, Tempo: globalização e meio técnico científico informacional (São Paulo, 1994).
    De la totalidad al lugar (Barcelona, 1996).
    Metamorfoses do espaço habitado (São Paulo, 1996).
    Fim de século e globalização (São Paulo, 1997).
    Pensando o espaço do homem (São Paulo, 1997).
    Por uma outra globalização (Rio, 2000).
    Território e sociedade (São Paulo, 2000).
    Brasil: território e sociedade no início do século 21 (Rio, 2000).

  2. As homenagens feitas pelo congresso brasileiro após o falecimento do cientista, professor, investigador, pesquisador, dos mais premiados mundialmente, Milton Santos, foi aprovado pela Câmera, pelo Senado e foi a sanção presidencial. Cabe ao Ministério de Educação e Ministério da Cultura, como também as bibliotecas oficiais a divulgar nosso patrono, Dr. MInton Santos, pro lei.

  3. Em uma dessas raras visitas do Professor Milton Santos a Universidadade de Brasília, eis que no meio do discurso o Milton desde aquela época em meados de 1999/2000 já atacava o que ele definiu como "Epistemologia de Papel Carbono"

    Não me lembro exatamente de suas palavras, como já fazem 10 anos do fato, mas foi mais ou menos assim:

    "Os Jovens, e alguns pesquisadores hoje em dia vivem muito da "epistemologia de papel carbono" copia-se a cola-se indiscriminadamente sem qualquer tipo de receio ou mesmo consideração, obras e obras de autores nacionais e internacionais, a internet tem um grande papel nesta situação"

    Aproveito a oportunidade para solicitar a publicação de todas as obras de Milton Santos, através da Biblioteca Nacional, Google e Ministério da Educação juntos, A Editora USP que detêm os direitos autorais do Professor pode auxiliar deveras neste sentido.

    Obrigado!

    Abraços!

    Geógrafo Alex Marco Machado Ferreira
    Presidente da Associacao dos Geógrafos no Distrito Federal – APROGEO DF
    CREA DF 12677/D

  4. Parabenizo a biblioteca nacional pela oportunidade de divulgar o trabalho do professor milton santos, gênio que o Brasil ainda está por descobrir. sou jornalista na Câmara dos Deputados e aprecio pessoas admiradoras de Santos, como Waldimiro de souza, cuja vida reflete os pensamentos e o entusiasmo do gigante negro que o país pariu. Solicito apublicação das obras do professor milton santos, para possibilitar às futuras gerações um pouco mais de luz.

Comente!