A Apple decide investir no consumidor brasileiro

Apple (logo) maçã prateadaOs jornais O Estado de Minas (30/08/2007) e Correio Braziliense (03/09/2007) publicaram excelente matéria sobre a Apple do Brasil, com o título Quero Ser Popular. Nele, em resumo, os referidos periódicos afirmam que ainda neste mês de setembro a Apple trará para o Brasil os novos iMacs recentemente lançados nos EUA e reduzirá em aproximadamente R$ 1.000,00 os preços de seus computadores, de forma a conquistar definitivamente os consumidores nacionais.

Nada falou sobre os preços dos iPods ou sobre a vinda do iPhone. No que tange ao primeiro, pode ser que haja alguma redução de preços. Quanto à vinda ao iPhone, pode estar acontecendo aí algum movimento para sua introdução no território nacional. Entretanto, devemos considerar que ele exige redes de telefonia 3G, que ainda não temos. A última Revista Exame publicou que a Claro e a Telemig Celular estariam se preparando para lançar suas redes 3G até o final de dezembro deste ano. Quanto às demais companhias não tenho informações.


Esta mudança da estratégia da Apple é um claro reflexo da mudança de postura do consumidor brasileiro, que, cada vez mais, adquire computadores de marca e abandona a pirataria. Acima de tudo, por isso, é uma excelente notícia.

6 Replies to “A Apple decide investir no consumidor brasileiro

  1. O iphone não precisa de 3G ele usa EDGE, o que todas as operadoras brasileiras tem.

  2. De 10.0000,00 vai pra 9.000,00 apesar de gostar muito, nao faz diferença alguma pra mim essa alteração no preço

  3. Gente,
    Eu não respondi ontem a estes comentários, porque não conheço de tecnologia de celulares. Consultei a Wikipedia e os textos não eram conclusivos, o que me fez buscar ajuda com um amigo meu, que é engenheiro de telecomunicações e que me deu a seguinte resposta:
    “As tecnologias celulares são as seguintes:

    1) 1G – Primeira Geração
    caracteristica principal: Analógica
    faixa de frequência: 800 a 900MHz

    Europa: múltiplos padrões

    Na Europa, os inúmeros padrões Analógicos deram lugar a padrão
    digital consolidadoe e unificado, o GSM.

    USA, Brasil: AMPS – Analogic Mobile Phone System

    Nos Estados Unidos e no Brasil, o processo foi reverso. Ou seja, de
    um padrão Analógico consolidado, foram criados vários padrões
    digitais; sendo os principais o AMPS-D, TDMA e CDMA.

    2) 2G – Segunda Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: 900MHz a 1.9GHz

    Europa: GSM

    O GSM passou a ser adotado em 70% do mundo. Previa taxas de
    transmissão de dados na faixa dos 60kbps.

    USA e Brasil: TDMA e CDMA

    O TDMA caiu em desuso, e o CDMA na sua versão 1xRTT previa taxas de
    transmissão nominais de 384kbps.

    3) 2,5G – Tecnologias entre a Segunda e Terceira Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: 1.8 a 1.9GHz

    Europa e Brasil (TIM, CLARO, BrasilTelecom e VIVO que não aguentou a
    pressão e comprou licenças): GSM

    O GSM passou a ser adotado em 85% do mundo. Desenvolviso o padrão
    EDGE para transferências de dados, possibilitando comunicações
    nominais de até 256kbps.

    USA e Brasil (VIVO): CDMA

    O CDMA na sua versão EVDO prevê taxas de transmissão nominais de
    até 2,5Mbps (banda larga móvel, a que utilizamos no TJDFT).

    4) 3G – Terceira Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: 1.8 a 1.9GHz
    Ainda não está em operação no Brasil. A previsão é para o próximo ano.

    GSM: 90% do mundo e evolução garantida através do WCDMA (ou CDMA de
    Banda Larga). Esperam-se taxas de transmissão na casa das dezenas de
    Mbps.
    CDMA: ainda em uso para comunicação de dados, está sendo deixado de
    lado como comunicação de voz.

    5) 4G – Quarta Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: (indefinidas)
    Em testes na Europa, Japão e USA.

    Algumas considerações:

    1. A tecnologia CDMA (Multiplexação por Divisão de Códigos) é o
    futuro das telecomunicações, mas será implantado como consequência do
    GSM e não em substituição a ele.
    2. O WiMAX não é uma tecnologia celular, mas sim de redes locais
    (LAN) e de interligação (WAN) – seria quase um super upgrade no WiFi.
    Seus padrões o IEEE802.16 possuem versões para comunicaões móveis e
    outra para fixas (não me lembro as letras dos padrões). Prevê raio de
    100km com taxas de 70/80Mbps. No Brasil, ao contrário do mundo, estão
    fazendo forte lobby para que licenças desta tecnologia sejam
    ofertadas somente a concessionárias, que venderão o serviço aos
    clientes finais. No caso do TJDFT, por exemplo, significaria
    independência (implementação e gestão por conta própria) e custos
    mínimos (somente de manutenção). Ainda está em fase de consolidação
    das normas.”
    Por estas informações, nenhuma das operadoras brasileiras tem hoje rede 3G implantadas.
    Abraços,
    Rômulo

Comente!