A Apple decide investir no consumidor brasileiro

Apple (logo) maçã prateadaOs jornais O Estado de Minas (30/08/2007) e Correio Braziliense (03/09/2007) publicaram excelente matéria sobre a Apple do Brasil, com o título Quero Ser Popular. Nele, em resumo, os referidos periódicos afirmam que ainda neste mês de setembro a Apple trará para o Brasil os novos iMacs recentemente lançados nos EUA e reduzirá em aproximadamente R$ 1.000,00 os preços de seus computadores, de forma a conquistar definitivamente os consumidores nacionais.

Nada falou sobre os preços dos iPods ou sobre a vinda do iPhone. No que tange ao primeiro, pode ser que haja alguma redução de preços. Quanto à vinda ao iPhone, pode estar acontecendo aí algum movimento para sua introdução no território nacional. Entretanto, devemos considerar que ele exige redes de telefonia 3G, que ainda não temos. A última Revista Exame publicou que a Claro e a Telemig Celular estariam se preparando para lançar suas redes 3G até o final de dezembro deste ano. Quanto às demais companhias não tenho informações.


Esta mudança da estratégia da Apple é um claro reflexo da mudança de postura do consumidor brasileiro, que, cada vez mais, adquire computadores de marca e abandona a pirataria. Acima de tudo, por isso, é uma excelente notícia.

6 Replies to “A Apple decide investir no consumidor brasileiro

  1. O iphone não precisa de 3G ele usa EDGE, o que todas as operadoras brasileiras tem.

  2. Diego, a Oi não possui EDGE e a Telemig Celular (agora da Vivo) prometeu lançar sua rede 3G até o fim do ano.

    Tomara!

  3. De 10.0000,00 vai pra 9.000,00 apesar de gostar muito, nao faz diferença alguma pra mim essa alteração no preço

  4. Gente,
    Eu não respondi ontem a estes comentários, porque não conheço de tecnologia de celulares. Consultei a Wikipedia e os textos não eram conclusivos, o que me fez buscar ajuda com um amigo meu, que é engenheiro de telecomunicações e que me deu a seguinte resposta:
    “As tecnologias celulares são as seguintes:

    1) 1G – Primeira Geração
    caracteristica principal: Analógica
    faixa de frequência: 800 a 900MHz

    Europa: múltiplos padrões

    Na Europa, os inúmeros padrões Analógicos deram lugar a padrão
    digital consolidadoe e unificado, o GSM.

    USA, Brasil: AMPS – Analogic Mobile Phone System

    Nos Estados Unidos e no Brasil, o processo foi reverso. Ou seja, de
    um padrão Analógico consolidado, foram criados vários padrões
    digitais; sendo os principais o AMPS-D, TDMA e CDMA.

    2) 2G – Segunda Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: 900MHz a 1.9GHz

    Europa: GSM

    O GSM passou a ser adotado em 70% do mundo. Previa taxas de
    transmissão de dados na faixa dos 60kbps.

    USA e Brasil: TDMA e CDMA

    O TDMA caiu em desuso, e o CDMA na sua versão 1xRTT previa taxas de
    transmissão nominais de 384kbps.

    3) 2,5G – Tecnologias entre a Segunda e Terceira Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: 1.8 a 1.9GHz

    Europa e Brasil (TIM, CLARO, BrasilTelecom e VIVO que não aguentou a
    pressão e comprou licenças): GSM

    O GSM passou a ser adotado em 85% do mundo. Desenvolviso o padrão
    EDGE para transferências de dados, possibilitando comunicações
    nominais de até 256kbps.

    USA e Brasil (VIVO): CDMA

    O CDMA na sua versão EVDO prevê taxas de transmissão nominais de
    até 2,5Mbps (banda larga móvel, a que utilizamos no TJDFT).

    4) 3G – Terceira Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: 1.8 a 1.9GHz
    Ainda não está em operação no Brasil. A previsão é para o próximo ano.

    GSM: 90% do mundo e evolução garantida através do WCDMA (ou CDMA de
    Banda Larga). Esperam-se taxas de transmissão na casa das dezenas de
    Mbps.
    CDMA: ainda em uso para comunicação de dados, está sendo deixado de
    lado como comunicação de voz.

    5) 4G – Quarta Geração
    caracteristica principal: Digital
    faixa de frequência: (indefinidas)
    Em testes na Europa, Japão e USA.

    Algumas considerações:

    1. A tecnologia CDMA (Multiplexação por Divisão de Códigos) é o
    futuro das telecomunicações, mas será implantado como consequência do
    GSM e não em substituição a ele.
    2. O WiMAX não é uma tecnologia celular, mas sim de redes locais
    (LAN) e de interligação (WAN) – seria quase um super upgrade no WiFi.
    Seus padrões o IEEE802.16 possuem versões para comunicaões móveis e
    outra para fixas (não me lembro as letras dos padrões). Prevê raio de
    100km com taxas de 70/80Mbps. No Brasil, ao contrário do mundo, estão
    fazendo forte lobby para que licenças desta tecnologia sejam
    ofertadas somente a concessionárias, que venderão o serviço aos
    clientes finais. No caso do TJDFT, por exemplo, significaria
    independência (implementação e gestão por conta própria) e custos
    mínimos (somente de manutenção). Ainda está em fase de consolidação
    das normas.”
    Por estas informações, nenhuma das operadoras brasileiras tem hoje rede 3G implantadas.
    Abraços,
    Rômulo

Comente!