Descubra as primeiras imagens do Google Health

Google Health, codenome “Weaver”(em referencia ao personagem Kerry Weaver do seriado ER(Plantão Médico), é um programa de armazenamento de informações de saúde planejado pelo Google. Segundo Adam Bosworth – Vice-Presidente de engenharia do Google no blog oficial da empresa, o “atual sistema de sáude nos EUA é um desafio quando o profissonal de saúde dá suporte entre diferentes organizações médicas”.

Adam completou dizendo que “toda informação médica necessita estar disponível e organizada para que as pessoas tenham acesso a todas elas … informação sobre saúde deveria ter fácil acesso e especialmente organizadas, tornando mais fácil e simples as informações relevantes para as necessidades dos pacientes”. Adam finalizou dizendo que tornar as informações acessíveis, é uma das missões do Google.


Abaixo, as primeiras imagens do produto Google Health. Clique nas imagens para ampliar.

Há duas tabs no Google Health: Perfil e Contatos Médicos. A tab perfil tem diversas sub-sessões incluindo “Guia de Serviços de Sáude”, “Sintomas e Condições”, “Medicações”, “Idade, Sexo, Peso…” e “Histórico Familiar”. A política de privacidade no rodapé informa que “qualquer informação permanecerá privada. Google não irá compartilhar suas informações sem a sua permissão.”


Na tela de “Condições & sintomas” incluem um recurso de auto-completação. Se você digitar “cabeça”, e o Google sugere “Cabeça e Angioedema de Pescoço”, “Ferimentos na Cabeça”, “Dor de Cabeça” entre outros.

Na aba “Serviços e Guia de Saúde” é possível ler: “Tenha mais do Google Health – Se o seu médico ou farmácia  fornece informações médicas, você poderá encontrar ou adicionar uma anotação em seu perfil. Você também pode navegar por websites que conectam ao Google Health com segurança e fornece um gerenciamento de informações para seu cuidado de saúde.


Na aba “Alergias”. Um campo “Adicione uma Alergia” sugere “exemplo. penicilina.”

Você pode adicionar um procedimento ou cirurgia nesta página. Como um exemplo, Google fornece “apêndice”.

Na sessão “Resultados de Testes”. Você pode adicionar como por exemplo “LDL colesterol”.

Na interface “Adicione uma Imunização” não permite que você adicione textos, restringindo apenas as informações pré-existentes. As entradas disponíveis incluem “Difteria, Tétano, Vacina Hepatite, etc”.

Na página “Idade, Sexo, Peso…” várias informações pessoais são coletadas como data de nascimento, sexo, etnia, tipo sanguíneo, peso, e perguntas básicas sobre cigarro e bebidas.

Na janela “Histórico Familiar” permite que você adicione informações relacionadas a suas respectivas condições. A caixa de seleção inclui entradas como “Marido”, “Esposa”, “Pai”, “Mãe”, “Filho” e o Google forece a condição exemplo “diabete”.


Nesta página, você pode “adicionar um médico”. Através do Google Doctor Directory” você poderá fazer uma busca por contatos.

Fonte: Google Blogoscoped

14 Replies to “Descubra as primeiras imagens do Google Health

  1. Não concordo com isso, acho que as pessoas vão ficar se automedicando, procurando sintomas e vendo os remédios relacionados, sendo que as vezes o mais eficiente seria tratar do paciente como um todo. Não sou médica, nem hipocondríaca, mas sou a favor de ir ao médico quando se tem algum problema, pois geralmente há muito mais coisas envolvidas na doença do paciente que só o médico poderá detectar.

  2. Jacqueline, por um lado concordo consigo. Porém, já hoje o podem fazer. Este sistema vem informatizar os registos médicos, que penso serem de bastante utilidade pessoal. Quem se tentar auto-medicar, tal como fazem hoje, só estarão a arruinar a vida deles. Não é por aí que não se irá desenvolver uma tecnologia tao útil como esta. Sem que seja apenas para registo interno dos médicos.

  3. Penso que esse produto tem um potencial muito grande. Como tudo na vida pode ser bem ou mal usado. Bem usado, preservando o sigilo necessário, e facilitando o aceso a dados e exames que até o paciente muitas vezes, não sabe onde guardou, facilitará em muito a disponibilização da informação para os profissionais de saúde que atendem o paciente. Com a população mundial, envelhecendo rapidamente e portanto com cada vez maiores necessidades de acompanhamento médico, este produto veio na hora certa. Penso que esse produto é um primeiro passo para que se venha a implantar um produto que há anos vem sendo ventilado por pequisadores : o “Diagnosticador”. Com base em sinais, sintomas, histórico familiar e alguma informação a mais o produto, através de estatísticas previamente armazenadas, aponta as probabilidades de doenças e solicita exames complementares básicos. Faz uma nova consulta estatística e aponta as doenças mais prováveis. Isso dará ao paciente uma primeira pista dos profissionais que deveá buscar e que contarão com as informações colhidas no Diagnosticador. Naturalmente sempre haverá os opositores a toda nova idéia. Oa que gostariam que a humanidade parasse no tempo. Devemos sim ver os riscos embutidos no produto e procura minimizá-los. Parabéns aos envolvidos com esse projeto e à Google que mais uma vez lança um produto que sacode periodicamente a modorra em que nos costumamos deixar estar.

  4. Não conheço o google health em profundidade para tecer comentários mais específicos , mas ele pode ser melhor.
    No Brasil a digitalização das cidades ainda é incipiente, mas pode ser estimulada por este instrumento.
    O prontuário medico é um documento do paciente.
    Seria interessante que todos os pacientes tivessem o seu. Hoje é possível, por exemplo, digitalizar quase todos os exames complementares (desde testes laboratoriais a exames de imagens, como ultra-sonografias, tomografias computadorizadas, ressonâncias magnéticas; até laminas de patologia…), por que não disponibilizá-los em rede, via prontuário digital.
    Hoje é possível, através de videoconferência, um cirurgião experiente de SP orientar outro cirurgião em cidades menores, durante uma cirurgia.
    Porem, não espere,que num curto espaço de tempo, seja possível realizar uma consulta a distância.
    Uma avaliação medica bem acurada depende de outros fatores como uma boa relação medico paciente, uma história clinica bem colhida e um bom exame físico.
    Há dados que os médicos somente conseguem colher do paciente quando estão descontraídos e há confiança mutua e a distancia impede que isto ocorra. Alem do que, ainda não dispomos de mecanismo para a realização de um exame físico a distancia e a vizão da câmera é diferente dos olhos do médico .
    Mas então qual a vantagem de disponibilizarmos um prontuário eletrônico?
    Muitas.
    Por exemplo:
    – Um médico menos experiente poderia ser tutoriado a distância, ou mesmo, trocar informações a respeito de um caso clinico em centros mais especializados.
    – Embora não possa realizar uma consulta inicial, consultas de acompanhamentos poderiam ser realizados a distancia.
    – Um paciente poderia pedir uma segunda opinião a um médico à distância. (Observe que uma segunda opinião é diferente de uma consulta clinica clássica. Nesta segunda opinião o medico somente poderá argumentar sobre os procedimentos adotados. Se é razoável ou não, e se há outras alternativas de tratamento. Uma consulta mais acurada necessita da presença do paciente. Isto funciona como um jogo de futebol, em que você assiste pela televisão ou no estádio. Quando você esta assistindo na TV, esta limitado a ver o que as câmeras mostram e o que os narradores e comentaristas falam, não é possível ver a disposição dos demais atletas em campo, não é possível por exemplo ver o trabalho tático de alguns atletas, que embora pouco apareçam nas câmeras, fazem a cobertura da zaga, se apresentam lá na frente, abrem espaços na defesa adversária e as vezes pegam pouco na bola. Neste mundo focado no homem da bola perdemos informações importantes do jogo e somos obrigado a acreditar em narradores medíocres. Ao vivo você é capaz de dar valor a esta atividade, você é capaz de analisar o conjunto. Ou seja seu olho é melhor do que a câmera).
    Ou seja, independente da forma com que se use esta ferramenta, a figura do seu medico será de suma importância no gerenciamento destas informações. È importante que as faculdades de medicina estimulem o intercambio entre médicos, a referencia e contra referencia.
    Há muito lixo na Internet, procure informações em hospitais de referencia, universidades renomadas, ou peça informações a seu medico sobre fontes seguras de informação.
    Em breve, proliferarão empresas de consultoria medica para fornecer estas segunda opinião, fique atento, pois no meio de empresas serias haverá muita porcaria.
    Não vejo com bons olhos estímulos a auto medicação. Um paciente ou um doente não se restrige a um ou dois sinais. E o leigo na maioria das vezes não é capaz de valorizar sinais pertinentes.
    No mais, que venha o mundo digital. Há muito o que vir por ai.

  5. FANTÁSTICO
    ESSA DEVERIA SER UMA INICIATIVA DOS PLANOS DE SAÚDE DE UMA FORMA EM GERAL, ECONOMIZARIA TEMPO DOS MÉDICOS, DO PACIENTE, O HISÓRICO DE DOENÇAS ESTARIAM TODOS ALI, ECONOMIZARIA NA HORA DE PEDIR EXAMES E EM CASOS DE EMERGÊNCIA INFORMAÇÕES CONSIDERADAS CRÍTICAS ESTARIAM A DISPOSIÇÃO EM TEMPO REAL.
    COMO ISSO PODE SER RUIM?
    ATÉ QUE ENFIM UM SITE REALMENTE FEZ ALGO SOCIAL, RESTA SABER POR QUANTO TEMPO SERÁ GRATUITO E ESPERO QUE OS PLANOS DE SAÚDE COPIEM, JÁ QUE NÃO TIVERAM CRIATIVIDADE PARA CRIÁ-LO.
    E VIVA O MUNDO DIGITAL.

  6. Só existe uma questão aí que deve ser lembrada… A maioria das pessoas não sabem o que realmente tem de doenças, o que provocaria em uma confusão de informações…. Segundo lugar, a maioria dos laboratórios, consultórios e clínicas no Brasil, ainda possuem sérios problemas com informatização. Em terceiro lugar, os convênios poderiam agir de má fé para se beneficiarem disso, bem como as empresas. E em quarto lugar, se hoje já não é obrigado a dizer o CID do paciente, por ter que zelar pela integridade do mesmo…

  7. Parabéms pelo serviço estou muito feliz com essa iniciativa do google.Vcs do google são o máximo nota mil pra vcs.

Comente!