E Se a Google Pudesse Distribuir o Mac OS X?

16
21

Muito se tem falado em uma eventual união entre a Apple e a Google. Não pretendo discorrer sobre isso agora, porque tomaria muito tempo. Quem sabe, no futuro, possamos conversar sobre isso.


O que gostaria de imaginar agora seria a possibilidade de a Apple e a Google se juntarem numa estratégia comercial de distribuição onerosa ou gratuita do Mac OS X.

Absurdo? Nãooo!!! Após a Apple se unir à Intel, e o Mac OS X ter sido portado para a plataforma Cisc, esta possibilidade se tornou real. Pensemos juntos: a Apple não é uma empresa de software, mas de hardware. Ela apenas produz os softwares quando necessita. Neste caso, produziu um dos melhores, senão, o melhor sistema operacional existente e não se sabe se ela realmente ganha dinheiro com ele. Sua fonte real de vendas é o hardware. No caso, os revolucionários computadores iMac, para o sucesso dos quais ela teve que permitir o duplo boot, permitindo a instalação conjunta do Windows, de sua rival Microsoft. Mais que isso, depende também do MS Office.

Pois a Google está desenvolvendo o seu próprio Office Online e já há quem diga que em breve ele será também portado offline, além de estar portando vários outros programas para a plataforma. Assim, a Apple não dependeria mais da Microsoft em termos de aplicativos de escritório.

Já a Google, sempre foi cobrada a desenvolver um sistema operacional. Entretanto, construir um não é fácil e competir com a Microsoft neste campo, mais ainda. A não ser que esteja aliada a um mega-produtor de hardware, que também produza um sistema operacional apto a competir de igual para igual com o excelente Windows Vista. Este produtor é a Apple e este sistema é o Mac OS X.

Você poderia me perguntar: quem ganharia e quem perderia com um acordo destes?

Eu lhe responderia, sem pestanejar, que, os consumidores seriam os primeiros ganhadores, porque:

  • acirraria a concorrência;
  • geraria a melhora mais rápida de ambos os sistemas operacionais;
  • provocaria a criação de mais aplicativos para Mac;
  • daria ao consumidor a opção de usar ora uma plataforma, ora outra, segundo o melhor produto ou melhor ou mais barato aplicativo, aproveitando-se do melhor dos dois mundos;
  • a cultura de software gratuito da Google e a própria concorrência tenderiam à distribuição gratuita ou quase gratuita do Mac OS X;
  • o Windows tenderia a baixar de preço etc.

A Google e a Apple se beneficiariam de um acordo destes, por motivos óbvios.

Diria também, que, para espanto de muitos, a Microsoft seria uma grande ganhadora neste jogo, pelos seguintes motivos:

  • atrairia concorrência e a falta de concorrência não é saudável para nenhuma empresa;
  • evitaria acusações de concorrência desleal ou monopólio, que têm sido tão prejudiciais à sua imagem etc.

Mas, quem perderia? (Acho que posso apanhar por dizer isso).

Obviamente, quem pode perder muito com isso é o mundo Linux. Isto porque:

  • este sistema operacional ainda não se consolidou entre os usuários domésticos;
  • ficaria à descoberto de um apoio num produtor importe de computadores; e
  • o que é mais importante, o usuário doméstico tem resistência em usar o Linux, seja pela falta de aplicativos compatíveis, seja pela falta de fornecedor, que se responsabilize por consertar o equipamento, quando ele dá problema, o que ele não encontra na plataforma Microsoft e passaria a ter menos dificuldade de encontrar numa eventual plataforma Apple/Google.

A equação é simples e a Microsoft já aprendeu a lição: o consumidor prefere pagar um pouco mais, mas ter quem lhe socorra nas horas de aperto.

16 COMENTÁRIOS

  1. eu quero que a google domine omundo, eu mesmo sou o primeiro que usa os serviços dela, parabens pelo site, lei sempre nos meus feed, to comentando agora pq é um otimo artigo, parabnes a você e a nova dona do mundo:p

  2. Ótimo texto. Quanto a questão de que o linux sairia perdendo. bom, muito provavelmente. porem, ainda existiria o “mercado alvo”. o Linux é forte para servidores é algo como a “plataforma ideal” pra isso… o mac, pode ate ser usado para esta finalidade, porem não é sua especialidade. a especialidade do mac é o design, ou seja, a interface grafica linda e completamente auto-explicativa, o que atrairia o consumidor domestico. pelo mesmo motivo, por ter um design super poderoso é que o mac teria uma limitação quanto ao uso, ja que apenas pessoas com um hardware poderoso seriam capaz de usa-lo (assim como ocorre com o vista), deixando como alternativa para aqueles que não o possuem a usarem o linux. Lembrando que o mac tambem é uma “interface” para um sistema unix.

  3. Agradeço as manifestações.
    Concordo plenamente com Dark Flame S, quando diz que haveria ainda um mercado alvo em servidores para o Linux, por ser leve e estável. É realmente perfeito.
    Acho também que, em face da cultura do pessoal da Google, eles não deixariam de investir em aplicativos para Linux.

  4. Isso me lembra um texto que li há tempos atrás:
    “Se o Firefox não existisse… O Opera não seria gratuito e incluiria banners internos”

  5. Isso nunca vai acontecer por um simples motivo: A Apple perderia, e MUITO deixando os PCs rodarem o OSX.
    Porque alguém ia continuar comprando um Mac se um similar PC pela metade do preço roda o mesmo sistema? A emrpesa já teve sérios problemas quando decidiu deixar empresas criarem hardware compatível certa vez e teve de desistir pois estava perdendo mercado.
    E como você mencionou no artigo, a Apple é uma empresa de hardware e não software.

    É muito mais provável o Google vir a distribuir Linux, até porque este é usado internamente pela empresa do que o OSX, o que também traria os benefícios já citados e este poderia ser distribuído de graça e roda em quase qualquer máquina.

  6. Iuri,
    Gostaria que você pensasse nas possibilidades para a Apple de uma expansão da base de usuários com o Mac OS X e, conjuntamente, dos aplicativos. Isto faria aumentar em muito a procura pelas máquinas Apple.
    Lembremos que as máquinas da Apple não são simples computadores. Em verdade, são assim uma Ferrari. Uma obra de arte. E o que realmente costuma afastar o consumidor é realmente o reduzido número de aplicativos compatíveis.

  7. Sinto dizer, mas acho que você não leu meu comentário ou não conhece a história da Apple, vamos à um reality check:

    Já houve casos em que o macOS estava disponível para outros computadores (não eram pcs, mas clones de mac).
    O que aconteceu? As vendas da Apple DESABARAM A QUASE ZERO.
    Por isso o Jobs já declarou que NUNCA mais fará algo assim.

    A estratégia da Apple para vender mais PCs é criar devices como o iPhone e o iPod com aplicativos no Windows que lembram o OSX como o Safari e iTunes para mostrar como é o ambiente, mas não tem surtido muito efeito, exeto entre os próprios usuários da plataforma que também tem um PC ou usam no trabalho.
    (Vai por mim, conheço vários nessa situação).

    Não leve a mal, mas esse comentário google+apple me pareceu muito de fã da Apple na onda do lançamento do iPhone :)

  8. Iuri,
    Se pareceu que não li com atenção seu comentário, por favor, desculpe-me. Eu li sim. É que naquela época em que o Steve Jobs permitiu fazer clones do Macintosh, este não era mesmo um PC, mas um RISC. Hoje é um PC. com MC OS X. No final, eu acabei misturando as coisas.

    Concordo contigo que a estratégia da Apple é fazer devices como o iPhone, o iPod etc.

    Entretanto, devemos considerar que o mundo dos negócios é muito dinâmico e, por isso mesmo, mutável. É por este motivo que vislumbro o cenário apresentado. Reconheço que é provocativo. E foi este o propósito: provocar o debate. Mas ele, se não é fácil de acontecer, também não é impossível.

    Ah! Não sou Mac maníaco. Uso PC com Windows como todo mundo e estou satisfeito.

  9. Claro, impossível não é.
    E se é para sonhar, porque então o Google não compra a Apple e abre o código fonte do MacOSX?
    Assim o Linux poderia incorporar a UI do OSX e teríamos sem dúvida concorrência de verdade no mundo dos Sistemas Operacionais. :)
    Outro sistema legal que infelizmente se acabou e rodava também em PCs era o BeOS, que eu cheguei a experimentar e era muuuuito leve e rápido.

    Mas podemos ver a coisa por outro ângulo ainda: se o que importa é a interface, imagine um Linux ou BSD rodando com uma interface slim e bonita como a do google talk desenvolvida pelo google e grátis?
    Além disso poderia vir com um firefox customizado para os aplicativos web como google docs e gmail.
    Isso eu adoraria ver! :)

    Abraços, e sim, adorei a discussão, hehehehe.
    Parabéns delo site por sinal, sou leitor assíduo.

  10. Iuri,

    Você é mesmo rápido no gatilho!

    E eu ainda deixo perder o texto na hora de enviar!

    Quanto à compra da Apple pela Google, já prometi tratar em um “post” em separado, o que fiz no primeiro parágrafo deste. Não o farei agora, porque precisarei de tempo para analisar com vagar todas as situações.

    Quanto à possível abertura do código do OS X, eu não apostaria todas as minhas fichas nesta possibilidade, porque a cultura da Apple é baseada em patentes. Entretanto, como o mundo dos negócios é totalmente dinâmico…. Não fosse assim, o Jobs não teria tirado a Apple da bancarrota na década passada, justamente na época em que eles permitiram fazer clones do Mac.

    Por estas razões não acredito na possibilidade de uma união Linux + OS X.

    Da mesma forma que você, eu gostaria muito de ver um Linux ou BSD com a interface limpa do Google e gratis, mas, principalmente, com muitos aplicativos compatíveis e com a possibilidade de encontrar alí na esquina alguém para me dar assistência técnica, quando meu computador der problema.

    Este é, aliás, o diferencial da Microsoft, que a torna a potência que é: assistência técnica fácil e, principalmente, garantida. O usuário final quer facilidade. A maioria dos usuários não são geeks, que possuem interesses comuns e, portanto, não querem problemas.

    É por este motivo que eu acho que a verdadeira concorrência à Microsoft poderia vir com o OS X, necessariamente partindo de uma união estratégica entre Apple e Google (nunca separados – situação em que seriam esmagados pela competente concorrência e pela posição estabelecida no mercado pela Microsoft. Esta é uma realidade).

    Não se trata de uma preferência pessoal, mas de uma análise de mercado, baseada em fatos e não em paixões.

    Afinal, se eu fosse pensar em preferências pessoais, não estaria defendendo esta tese, porque nunca tive coragem de me arriscar a usar outro sistema operacional, que não o Windows. Na verdade, sou conservador.

    Estou pensando aqui na importância para a saúde da concorrência. Afinal, ninguém pode ficar só no mercado, sem uma concorrência forte, sob pena de correr o risco de deixar de servir bem ao consumidor e, com isso, se tornar monolítico, com prejuízos, não apenas para os consumidores, mas também para si próprios.

    Eu acho que o Linux tem um largo espaço, mas, principalmente, em servidores, onde, em breve, será imbatível. Mas, entre usuários finais, se não encontrar um meio de dar assistência técnica, dificilmente se firmará.

    Abraços

  11. Quanto a questão de assistencia tecnica em linux, bom, isso é um mercado que tende a crescer. ate mesmo pela ampliação de usuarios do sistema operacional. Poucas pessoas o usavam antigamente, porem, o numero de usuarios tem crescido. Hoje em dia, os “jovens” usuarios tem testado e mantido contato com esse so, bem mais do que, os antigos geeks, pois antigamente não era uma opção tão viavel quanto hj. Como exemplo disso, tenho o meu irmão mais novo, ele tem 9 anos, e utiliza tanto windows como linux. Lógico que não é nenhum especialista ainda, mas em breve terá conhecimento o suficiente para solucionar problemas em ambos os sistemas, não so ele, como todos la em casa que fazem o mesmo (somos 3). Com certeza, com o aumento do uso do sistema, crescerá o aumento de serviços relacionados a ele. Não é a toa que a propria google viu que necessita desenvolver versões de seus aplicativos para este SO

  12. Dark FalmeS

    Concordo plenamente que o mercado de assistência técnica para Linux somente tende a crescer, porque há uma nova geração tomando conhecimento da ferramenta. O que eu não vejo são lojas especializadas neste tipo de serviço.

    Eu quero deixar bem claro que não sou contra o Linux. Muito pelo contrário. Participo, na prática, do processo de distribuição de software gratuito. Não nas bases da licença GPL, porque o projeto do qual participo, por ser público, não pode usar esta licença, podendo, portanto, distribuir apenas para o poder público, mas tenho trabalhado para que seja de forma compartilhada e gratuita. Mais que isso, tenho trabalhado para que estes sistemas rodem em Linux, como, de fato, rodam.

    Eu estou aqui, na verdade, procurando ver os sistemas operacionais apenas e tão somente pela lógica dos consumidores. Não pela lógica de um grupo ou de outro grupo de consumidores. Mas pela lógica do conjunto dos consumidores. Em sendo assim, sou obrigado a acreditar que um sistema operacional somente terá uma concorrência efetiva, se os consumidores, em seu conjunto (num nichos), puderem encontrar facilmente assistência técnica. Caso contrário, não se sentirão com coragem suficiente para migrar, mesmo sabendo que terão que pagar, às vezes muito caro.

    Isto é muito claro. A realidade dos fatos está aí para provar.

    Um grande abraço.

  13. Sim rômulo, tambem não encontro assistencia e nem lojas especializadas nisso.. o que disse é que é um mercado que irá crescer, não que isso já ocorre… com certeza, para o usuario final pe muito mais vantajoso usar o windows. O linux não tem compatibilidade alta com softwares muito utilizados, e os usuarios não gostam muito da ideia de usar um software similar. há muitas questões a serem resolvidas para que este SO se popularize… Uma delas é de as empresas de software desenvolverem aplicativos multiplataforma, isso seria um grande avanço, e a google, ja deu o primeiro passo, quem sabe outras empresas não seguem o exemplo.

    abraços

  14. Isso seria demais! Apesar de tudo acho que o mundo linux também saria ganhando em um ponto, com a concorrência Apple & Google / Microsoft, os usuários começam a pensar em deixar o windows, e não necessariamente iriam parar no Mac OS, apesar de ser um excelente SO, no fim das contas eu acho que ocorria o que eu mais quero, o mundo dos SOs iriam se agitar bastante… Quem sabe com o aperto, a Microsoft passaria a produzir um Windows descente, que não seje apenas efeitos bonitinhos copiados do Mac OS!

  15. Amigos…

    Eu, como usuário Apple, Windows e Linux, tive uma experiência de uso completamente diferente. Mas É uma questão de preguiça (ou será, falta de cultura, da cultura do tudo fácil, fácil? Ou será ainda por não saber como e por onde começar a procurar suporte da excelente comunidade Linux) aqueles usuários que compraram computadores Positivo, baseados nos ultrapassados Celeron Socket 458, pesquisar problemas pras distribuições Linux. Tá, não pretendo me extender na questão do Linux.

    Em Windows nem vou tocar… Mas, que o autor desta matéria me perdoe, mas dizer "o excelente Windows Vista", é um sacrilégio. Quem usou sabe que ele é horrivel, destrói a máquina , a tal ponto de a M$ ter de adiantar o desenvolvimento da nova versão do Windows, codename Seven, para meados de 2009.

    Windows aliás, não falo mais…

    Vamos ao alvo, o Mac!

    Quando se vê o Mac e se pensa, por que não posso executar no meu PC?!

    Existem vários motivos para eu ter certeza de a Apple não deixar o Mac ser executado num PC.

    1- Quem quer perder o ícone de segurança?

    Resposta: A Apple não libera o MAC OS para a plataforma PC para não comprometer a segurança do sistema. Imaginem quantos fabricantes de componentes existem? Isso traría sérios problemas, com o decorrer do tempo, além de deixar mais portas para malwares…

    2 – E o que a Apple ganha com o Mac OS exclusivo para hardware Apple?

    Resposta: A certeza de ter um sistema operacional ovacionado, para não dizer "Amado, idolatrado, Salve, Salve!" Rodando num hardware projetado exclusivamente para aquele sistema!

    3 – Mas e quanto a idéia do post sobre o Google?

    Resposta: Vide pergunta 2. Aliás, É público e notório que o hardware Apple é caro. Mas se dever a, no Brasil, a carga de impostor ser tão alta, mas tão alta, que se torna realmente proibitivo adquirir um desktop Apple. OK! me desviei da pergunta!

    Retomando, a Apple não vai deixar o seu sistema operacional cair num computador, com placa-mãe xingiling, com vídeo Via onboard de 64MB compartilhado com os 256 MB de RAM, e de procedência pra lá de duvidosa… Se é que vc me entende. Então, é melhor a Apple amarrar a usabilidade do Mac OS no hardware Apple, com Placas-mãe certificadas, Vídeo ATI ou Nvidia (diga-se top de linha), memórias Kingston com garantia eterna (!). Do que perder o controle do sistema.

    Se você foi preguisoço e não quis ler este post confuso, admito, eu resumo a idéia de o Google não distribuir o Mac OS para PCs, é a Apple se precaver e não terminar com um produto mal- acabado, inseguro e só não digo feio, porque foi tudo plageado da Apple, mas um plágio tão mal feito que é digno de vergonha…

    E mais importante, o Sistema é Importante, mas depende do usuário, do que ele espera e da base de suporte que ele disporá.

    Pelos motivos acima e por outros que acabei enveredei e deixei um texto meio confuso, eu tenho certeza… Mas como não fiz a redação do vertibular…

    Então,

    Se vc quer se apaixonar pelo Sistema Operacional, Use Mac OS e seja feliz.

    Se quiser ter total liberdade de uso e nunca se preocupar com pirataria, além de já ser intalado com o sistema use GNU/Linux e seja felix.

    Mas se não tem a cultura do Software Livre e se virar sem suporte, somente (como se fosse pouco) ou preguisoço demais. Ou (ufa!) Ter paciência para fomatar o Windows a cada três meses, Use o Windows e seja infeliz.

    Um abraço.

    JONJ

    Relações Públicas e usuário apaixona… diog, incondicional Apple.

Comente!