ÚLTIMOS ARTIGOS

Google Tradutor agora é “made in Google”

Por em 22 de outubro de 2007 – 22:46

Google Tradutor - LogoNo dia 12/10/2007 eu publiquei que uma nova funcionalidade havia sido discretamente agregada ao Google Tradutor. Trata-se de um assistente de tradução em português. Hoje, o blog Google Operating System desvendou todo o mistério, que ainda não foi publicado oficialmente. Na verdade, a Google abandonou de vez o sistema Babel Fish, fabricado pela Systran e fornecido à Microsoft e à Yahoo! e adotou o seu próprio sistema de tradução de máquina, sendo que a versão fornecida à Microsoft é a mais avançada de todas.

Agora está completamente explicada a razão pela qual o serviço de tradução da Microsoft foi lançado em 09/09/2007 com uma versão mais avançada do Babel Fish e a Google nada fez para obtê-la. Em verdade, como naquele momento ela já tinha este produto lançado em árabe, chinês e russo, já estava prevendo lança-lo para os demais idiomas.

Quem leu o post de 12/10, sobre o assistente de tradução, vai se lembrar de que eu falei que esta funcionalidade estava presente na versão chinesa. Agora está explicado. Não estava apenas na chinesa, mas também na russa e na árabe, porque é comum ao tradutor construído pela Google.

Segundo o pessoal da Google o sistema Babel Fish usa uma infinidade de regras de linguística, para definir vocabulários e gramáticas. O da Google, por outro lado, usa a estratégia de alimentar o computador de milhões de textos traduzidos, para, usando algoritmos, alinhar os textos e tentar fazer as traduções mecanicamente.

Todas as formas de tradução tem as suas vantagens e as suas desvantagens. Assim é que optamos por fazer a tradução de um mesmo texto curto (um verbete sobre Ernest Hemingway, publicado pela Enciclopédia Britanica Online) na Microsoft, na Yahoo! e na Google, para que você possa comparar e optar pelo tradutor de sua preferência.

Fonte: Google Operating System

Google insere Adsense no Facebook

Por em 22 de outubro de 2007 – 9:50

Facebook - com Anúncios Google Adsense

Circula entre os especialistas de mídia eletrônica dos Estados Unidos que, depois que o Facebook abriu sua plataforma para que terceiros criassem aplicações, que rodassem em sua plataforma, a Google contratou serviços de muitas empresas especializadas em desenvolver tais produtos e está, discretamente, inserindo anúncios Adsense na base do Facebook. Com isso, de uma só vez, faz três coisas:

  • compete com a Microsoft em publicidade;
  • se aproveita da enorme base do Facebook para vender propaganda; e
  • numa eventual negociação para a compra da rede social, terá um grande trunfo, apto a reduzir o preço pedido por seus proprietários.

A mesma fonte consultada afirma que no dia 05 de novembro de 2007, a Google abrirá o Orkut para que terceiros desenvolvam aplicativos, da mesma forma como já faz o Facebook. Da mesma forma, estaria a Google contratando muitas empresas terceirizadas especializadas em construir aplicativos para o Facebook, para construir também para o Orkut.

Será que não teríamos aplicativos que funcionariam em ambas as plataformas, em uma prévia do SocialStream?

Fonte: Venturebeat

PS: se você observar a ilustração acima, verá uma página do Facebook, com anúncios Google inseridos.

Google negocia acordo com o Facebook?

Por em 21 de outubro de 2007 – 17:24


Sergey Brin é flagrado com investidor do Facebook

Sergey Brin foi visto jantando com um associado da Greylock – empresa responsável pelo investimento no Facebook. O encontro parecia ser importante e aconteceu horas antes de um importante evento do Google ontem.

Rumores de um possível acordo foi rapidamente dissolvido pelas pessoas que estavam junto ao fundador do Google, mas ainda sim é interessante ver que supostas negociações podem estar ocorrendo – mesmo não sendo totalmente verdadeiras.

Faz sentido a aquisição do Facebook pelo Google?

Um investimento de US$15 bilhões(mesmo para o Google) é uma enorme quantidade de dinheiro, mas se eles quiserem continuar encurralados no mercado de redes sociais na américa do norte e com o Orkut no Brasil, eles precisam gastar dinheiro. A questão é, as redes sociais são valiosas? De acordo com o número de usuários no Facebook (mais de 48 milhões de acordo com o Facebook) você poderá visualizar que o investimento de US$15 bilhões se transformam em US$312 doláres por usuário registrado.

Leia mais: Orkut: como enfrentar Facebook e MySpace?

Fonte: Garett Rogers – Googling Google

Comentários (3) Categorias: Google

Imagem do Dia – Erros no anúncio da Samsung

Por em 21 de outubro de 2007 – 16:53


A Samsung lançou recentemente um anúncio na mídia americana sobre seu novo dispositivo móvel Q1 Ultra que utiliza o sistema operacional Windows Vista.

O anúncio veiculado apresenta alguns erros inusitados, além de alterar indevidamente marcas existentes. Você consegue identifica-los? (Clique na imagem para ampliar)

Via: Googlified

Google Search pode ganhar Add-Ons

Por em 21 de outubro de 2007 – 16:24

Google Subscribed Links, parte do Google Co-op, é um serviço que permite estender as capacidades de buscas do Google com dados de sites especializados. Subscribed links são basicamente caixas de buscas personalizaveis que você pode ter nas páginas de resultados de buscas.

O serviço havia ganho um novo nome esta semana(horas depois foi removido sem qualquer informação), o Google Search Add-Ons e podia ser encontrado na página de preferências do Google. Segundo o blog Google Operating System, a nova funcionalidade do Google Search recomendava a você uma lista dos mais populares add-ons para buscas, mas você pode adicionar outros através do diretório público ou desenvolver o seu próprio add-on.

O Google Search Add-Ons pode ser comparado aos add-ons do Firefox, o sistema permite que você integre aplicações independentes ao produto, estendendo suas habilidades de buscas e criando uma busca universal e personalizada.

Google disponibiliza Gadget Designer 1.1

Por em 21 de outubro de 2007 – 15:55


Google disponibilizou uma nova versão do Gadget Designer 1.1, tenha certeza que você está utilizando o último SDK e não deixe de testa-lo. Esta versão do Gadget Designer traz novos recursos, melhorias na estabilidade e suporte a nova 5.5 API.

Como você deve ter notado, o último Gadget Designer é incompatível com o novo Google Desktop 5.5, você precisará da nova versão do Designer se você estiver executando a mais nova versão do Google Desktop. Se você estiver ainda executando a versão antiga do Google Desktop, você precisará usar a versão antiga do Designer.

Nesta nova versão do Gadget Designer 1.1 você pode editar arquivos fontes XML diretamente, isto significa que você pode trabalhar exclusivamente no Gadget Designer a partir de agora.

Comentários (0) Categorias: Google

Google Webmaster Tools ganha histórico de informações e sitelinks

Por em 21 de outubro de 2007 – 15:23


Google Webmaster Tools agora mostra ainda mais informações sobre seu site. Você pode encontrar um histórico de informações sobre os termos mais populares que aparece no top 10. Você pode comparar os termos com a última semana, ou último mês e visualizar as mudanças.

É também muito interessante comparar os termos mais buscados com os termos mais clicados e visualizar se você pode melhorar o título das páginas ou mesmo o conteúdo atual. Google Webmaster Tools permite a você encontrar informações através de sistemas especializados como Blog Search e restringir resultados para domínios internacionais do Google como no Reino Unido, Canadá ou Índia.

Outra novidade é a possibilidade de ajustar os links navegacionais do Google sitelinks exibidos nos resultados de buscas(isto tipicamente acontece quando o título do site é buscado no Google, mas note que isto apenas acontece em alguns sites). Google determines os sitelinks automaticamente, mas agora você pode desativar ou ajustar específicos sitelinks. Acesse o Google Webmaster Tools, clique em Links -> Sitelinks no menu principal.

Agradecimentos ao Mauro Britto pela dica!

Comentários (0) Categorias: Google

Google tenta corrigir links quebrados

Por em 21 de outubro de 2007 – 14:58


Muitas pessoas não sabem a diferença entre a caixa de pesquisas do Google e a barra de endereços do navegador. Esta confusão é acentuada pelo fato que a barra de endereços em alguns casos se torna uma caixa de pesquisa e o Google, como outros sistemas de buscas, mantém o foco na barra de endereços.

Muitas pessoas digitam URLs na caixa de pesquisa. Devido a isso, o Google mudou a forma como tratar essas pesquisas no ano passado: em vez de mostrar informações sobre a URL, esta retorna resultados de pesquisas padrões e no topo dos resultados a página que deve corresponder ao termo pesquisado. Este é um ótimo mode para evitar sites typosquatting, como flicker.com ou twiter.com.

Mas o que acontece quando o Google não encontra uma página similar no index? Até recentemente, ele retornava “sua busca não encontrou nenhum documento”. Agora, retorna informações úteis: resultados de sites com endereços similares, sugestões para termos e um modo de identificar a página restringindo a pesquisa por domínio ou subdomínio.

Agradecimentos ao Leo Baiano pela dica! 

Fonte: Google Operating System

Comentários (1) Categorias: Google

GMail chega a 4 Gb

Por em 21 de outubro de 2007 – 12:58

GMail - logo cartinhaSão 13:40 hs, do domingo, dia 21/10/2007. Por curiosidade, dei uma espiada na capacidade de armazenamento de minha conta do GMail localizada no pé da página e encontrei uma capacidade de 4.003 Mb. Saí da conta e vi o contador, que já estava em 4.110 Mb e ainda contava muito rápido.

Parece mesmo que o GMail chegará a 6 Gb de capacidade gratuitas. Os usuários do Google Apps gratuita também foram integrados ao contador de armazenamento do Gmail e podem visualizar um aumento expressivo de espaço online.

E a sua conta? Qual é a capacidade? Diga-nos!

Você está usando 2628 MB (66%) de 4003 MB no momento.

Leia também: O Contador do GMail Acelera o Passo

Vem aí uma nova camada do Google Earth: resposta rápida a desastres naturais

Por em 21 de outubro de 2007 – 12:08

Google Earth - LogoNasa - logoEntre os inúmeros contratos existentes entre a Google e a NASA, acaba de ser firmado um, que terá um volume de dados, que poderá ser muito impactante. Será a futura camada Resposta a Desastres Naturais.

Quando concluído o projeto, será possível incorporar à nova camada do Google Earth imagens e dados do local de um terremoto, tsuname, furacão, enchente, erupção vulcânica, ou outro desastre natural, tão logo eles venham a ocorrer.

A importância disso seria muito grande, porque, sendo novas as imagens e dados, poderiam ajudar as equipes de resgate a salvar vidas e também a orientar as populações e governos de todo o mundo a se mobilizar para a ajuda humanitária.A fonte consultada não fala isto, mas poderíamos pensar que o serviço poderia ser integrado ao YouTube, para que imagens de TV e também de cinegrafistas amadores de todo o mundo fossem liberadas via Google Earth e ajudassem nos resgate das vítimas.

As organizações humanitárias poderiam ser integradas via blogs ao Google Earth e usar um sistema eletrônico de recolhimento de doações para as vítimas.

Também não dito pela fonte consultada, mas fruto de nossa extrapolação, este sistema poderia ser usado para observação de conflitos armados pelo mundo.

Para dirigir este programa, a Google contratou Ed Lu, veterano de três missões espaciais.

Fonte: San José Mercury News

Comentários (4) Categorias: Google